1ª PÁGINA


Família portuguesa no Canadá leva amor às crianças órfãs em Moçambique

Uma família portuguesa no Canadá está a levar amor e a "melhorar a vida às crianças órfãs de Moçambique", angariando donativos para lhes proporcionar uma melhor vida, disse sábado (26) à Lusa um dos fundadores do projecto.

"Temos a vontade de criar essa fundação sem fins lucrativos para ajudar os mais necessitados, neste caso as crianças, que são as menos afortunadas, tendo o básico, que é alimentação e ir à escola, já é um grande passo para as crianças em Moçambique", afirmou Francisco Pacheco, de 55 anos, natural de Maputo.

No Canadá desde 1988, o luso-canadiano explica que a ASAM – Assistência Social Amor por Moçambique teve início há dois anos com o desejo de "ajudar as crianças em Moçambique".

Neste momento o projecto está numa fase de legalização enquanto fundação sem fins lucrativos, mas já tem vários programas em andamento no distrito de Morrumbala, na província da Zambézia.

"A maioria dos donativos que recebemos são provenientes da minha família, que todos os meses contribuem financeiramente. É essencialmente desta forma que conseguimos os donativos, mas também temos um contacto em Portugal de pessoas que colaboram. É desta maneira que conseguimos manter esse trabalho", contou.

O pastor local em Morrumbala, Mateus Felizardo, coordena os trabalhos no terreno, sinalizando as principais necessidades das mais de 320 crianças que recebem apoio social.

"Um pastor local comunica comigo as necessidades que mais têm, a alimentação que é a principal dificuldade que têm. Os donativos são divididos entre aquelas cinco comunidades", explicou Francisco Pacheco.

Além dos donativos monetários, que são enviados para a aquisição de alimentos, a associação também está a adquirir roupa, material escolar e água potável para as crianças.

No final de 2021, a organização adquiriu uma habitação destinada a crianças órfãs onde podem "dormir e alimentar-se".

Mais recentemente iniciou os trabalhos em duas habitações que serão o lar de duas famílias que "praticamente estavam na rua" e que devem ficar concluídas em breve.

"Agora vamos avançar para uma terceira habitação destinada também a uma família de baixo rendimento com muitas necessidades", revelou.

Num futuro próximo, o projecto pensa em expandir-se para outras regiões de Moçambique e para outros países, tendo já alguns pedidos de ajuda, nomeadamente do Uganda.

Sem nenhum objectivo financeiro até lá, Francisco Pacheco destacou ainda o sonho de construir um "prédio com dormitório para as crianças e com uma escola anexada".

A organização construiu ainda naquela região de Moçambique um aviário e dois poços com água potável.

A rede social Facebook tem sido importante para promover o projeto ASAM junto da comunidade no Canadá.


Voltar a Sol Português