1ª PÁGINA


FPCBP: 12 jovens luso-canadianos premiados no Portuguese Heritage Essay Contest

Por Luís Aparício
Sol Português

Numa cerimónia que decorreu na Galeria Almada Negreiros, no Consulado-Geral de Portugal em Toronto, a Federação de Empresários e Profissionais Luso-Canadianos (FPCBP, na sigla em inglês) distinguiu na passada quarta-feira (22) um grupo de jovens que foram premiados na mais recente edição do "Portuguese Heritage Essay & Multimedia Contest".

Dirigido a alunos do 7.º ao 12.º ano de escolaridade, o concurso de Ensaios e Multimédia para celebrar a Herança Cultural Portuguesa proporcionou-lhes "uma oportunidade única de reflectirem sobre a sua identidade e o papel que a herança cultural portuguesa tem nas suas histórias pessoais e familiares", como destacou José Pedro Ferreira, coordenador do ensino de português no Canadá, do Camões I.P.

Ao lembrar que "as línguas são espaços de partilha e de construção do mundo" e que "a língua portuguesa já faz parte do futuro comunitário que estes estudantes estão a construir no Ontário", José Pedro Ferreira sublinha ainda que "são eles [jovens] os depositários desta nossa língua portuguesa, que faz de nós uma comunidade única, com uma identidade forte".

Ana Maria Faria, presidente cessante da FPCBP, referiu que a iniciativa – levada a efeito durante o seu mandato – "é um testemunho da nossa dedicação e empenho em promover e encorajar a juventude portuguesa nas nossas comunidades do Ontário a abraçar e celebrar o nosso Património Cultural Português".

No ano em que se celebram 70 anos de relações diplomáticas entre o Canadá e Portugal, Ana Maria Faria lembrou ainda que não só "os nossos valores partilhados cresceram", nesse entretanto, como "os jovens de hoje têm potencial para os fortalecer ainda mais".

Por sua vez, o cônsul-geral de Portugal em Toronto, José Manuel Carneiro Mendes, que ao longo da sua vida diplomática tem defendido uma maior aproximação e colaboração entre o mundo empresarial e as instituições de ensino, congratulou a FPCBP pela iniciativa anual e destacou o mérito dos jovens bolseiros que participaram no concurso.

Contudo, referiu, as respostas que os estudantes deram a um conjunto de perguntas pertinentes, nas diferentes categorias, devem levar a uma reflexão geral, pois como destacou, aí "reside muito do futuro do nosso movimento associativo".

No decurso do encontro, Melissa Simas, presidente do comité de selecção do concurso, agradeceu aos elementos que o compuseram – oito entidades ligadas ao mundo do ensino – pelo tempo que disponibilizaram a avaliar e a classificar os trabalhos submetidos pelos alunos, na sua maioria elaborados em inglês, ainda que houvesse a opção de fazê-los também na língua portuguesa.

Segundo indicou, os patrocinadores continuam entusiasmados em apoiar esta iniciativa por envolver estudantes com futuros promissores.

Para Patrizia Rella Gama, uma dos doze estudantes premiados nesta edição do concurso, "é bom ver que estas empresas e outros profissionais estão a ajudar os jovens".

A luso-descendente, que vai começar um curso na Universidade de Toronto em Setembro, considera o empenho da FPCBP em promover iniciativas de apoio à educação um sinal positivo e motivador para a juventude de origem portuguesa em Toronto.

Paulo Henrique Pereira, estudante do 10.º ano em Oshawa e que participou no concurso por incentivo da mãe, disse que esta foi uma forma de dar a conhecer o seu lado português, deixando um apelo a outros jovens para que falem e tirem partido do amplo potencial da língua portuguesa.

Durante a cerimónia seria também ele a receber o prémio em nome do irmão, Daniel José Pereira, que esteve ausente.

Helena Filipe, que participava no seu primeiro evento público enquanto presidente do Conselho Directivo da FPCBP após ter sido eleita para o cargo, a 1 de Junho, destacou o sucesso da iniciativa e elogiou o papel dos pais que motivaram os filhos a participar no concurso e, principalmente, a não perderem o contacto com as suas raízes portuguesas.

Num futuro próximo, além de querer continuar a dignificar o trabalho que foi feito pelas Direcções anteriores, Helena Filipe diz pretender diversificar a colaboração com este multifacetado e proactivo grupo de profissionais luso-canadianos, e, ao mesmo tempo, ir mais longe em sectores que têm menor destaque na comunidade portuguesa, mas que contribuem imenso para a sociedade canadiana.


Voltar a Sol Português