1ª PÁGINA


Semana Cultural Alentejana encerrou com chave de ouro

Gala do Fado e comemoração do 36.º aniversário da CAT constituíram momentos marcantes do certame deste ano

Por João Vicente e Noémia Gomes
Sol Português

A 35.ª edição da Semana Cultural Alentejana organizada pela Casa do Alentejo de Toronto (CAT) terminou no passado sábado (23), depois de sete dias repletos de actividades, espectáculos e gastronomia ilustrativa da riqueza e diversidade da região.

Pelo meio ficaram exposições, palestras e animados convívios, incluindo a comemoração do 36.º aniversário desta colectividade e, a culminar o certame, uma grande Gala de Fado abrilhantada por duas vozes da actualidade – a fadista luso-canadiana Clara Santos, e, de Portugal, o fadista Duarte, na que foi a sua segunda visita ao Canadá.

Precisamente a meio da edição deste ano desta grande mostra cultural alentejana, que foi adiada do último quartel de 2018 para o início de 2019 precisamente por forma a incorporar também o aniversário da CAT, os sócios e dirigentes dedicaram o dia de quarta-feira (20) para festejarem a feliz ocasião.

No decorrer desse serão, que foi igualmente designado como a Noite dos Sócios, as actividades começaram na galeria Alberto de Castro com a realização de uma prova de vinhos e a degustação de produtos trazidos pelas delegações visitantes de Aljustrel e Castro Verde, que aqui se deslocaram para participar neste certame.

A mostra foi organizada em colaboração com a Agência para o Comércio Externo de Portugal - AICEP e permitiu o contacto não só do público como de empresários com vários produtos portugueses, incluindo enchidos, carnes curadas, bolos e cogumelos, entre outros que se encontravam expostos também no salão nobre, juntamente com informações sobre a sua origem, confecção e as autarquias de onde provêm.

Entretanto, não tardou a que o gigantesco salão fosse palco para o jantar de aniversário, altura em que o público foi brindado também com uma demonstração de Jiu Jitsu, arte marcial demonstrada pelos alunos e instrutores do Keisatsu Dojo, que tem a sua escola nas instalações da CAT.

As apresentações ficaram a cargo do vice-presidente do Executivo da CAT, Jaime Nascimento, que começou por saudar os sócios, em honra dos quais se celebrava essa noite, destacando ainda a presença das comitivas vindas de Portugal.

Momentos depois a presidente da Assembleia-Geral, Cristina Marques, proferiria também algumas palavras de agradecimento e boas-vindas ao público e convidados, fazendo homenagem aos que construíram esta colectividade que há mais de três décadas tem vindo a representar não só a região do Alentejo como Portugal em diversas realizações pioneiras.

Antes de se despedir, a dirigente deixou ainda um emotivo apelo aos mais jovens, para que se juntem a esta organização e ajudem a levá-la rumo ao futuro.

No decorrer do serão tiveram ainda a palavra o vice-presidente e vereador de Castro Verde, David Marques, e o presidente da Câmara de Aljustrel, Nelson Brito, que integram as comitivas visitantes e que elogiaram a iniciativa e a comunidade portuguesa que aqui vieram encontrar.

Antes de se proceder à cerimónia do corte do bolo de aniversário, que marcou este convívio, escutar-se-iam ainda alocuções por parte da deputada provincial Marit Stiles, eleita no distrito de Davenport, onde reside o maior núcleo de portugueses no país, assim como do novo cônsul-geral de Portugal em Toronto, Rui Gomes, que destacou a importância desta Semana Cultural e do aniversário que nessa noite se comemorava como exemplos do sucesso da comunidade portuguesa.

À conclusão dos discursos e alocuções, foi então colocado em evidência o cante alentejano – declarado património imaterial da humanidade pela UNESCO – primeiramente com a actuação do Grupo Coral da Casa do Alentejo de Toronto, reconhecido como único na diáspora portuguesa a preservar e divulgar esta forma de expressão musical tão característica da cultura alentejana.

O cante continuou ainda durante mais algum tempo, desta feita nas interpretações dos Maravilhas do Alentejo e dos Moços D'Uma Cana, dois agrupamentos vindos de Portugal – de Aljustrel e de Castro Verde, respectivamente – e que habitualmente cantam ao som da tradicional guitarra campaniça, mas que a finalizarem a sua actuação entoaram também dois temas à capela.

Por fim, e a dar por encerrado um espectáculo que se revelou ambicioso para um dia de semana, escutou-se a actuação do Louis Simão Trio, cuja entrada em palco só se registou por volta da meia-noite e meia, já a sala se encontrava praticamente vazia visto o dia seguinte ser de trabalho.

Grande Gala do Fado na conclusão do certame

Na recta final da edição deste ano da Semana Cultural Alentejana e depois de mais dois dias de actividades, incluindo um serão dedicado à juventude, foi o fado que cantou mais alto quando na noite de sábado (23) os fadistas Clara Santos e Duarte fecharam o certame com chave de ouro.

Em noite de Gala e após o jantar de bacalhau que tradicionalmente acompanha estas noites de fado, foi Clara Santos a primeira a pisar o palco, fazendo-se acompanhar dos músicos Hernâni Raposo, Pedro Joel e Sérgio Santos.

Com a garra e alegria que lhe são características, a fadista luso-canadiana deliciou o público com o seu estilo clássico na interpretação de temas bem conhecidos, intercalando com alguns originais na mesma veia clássica e que lhe valeram fortes aplausos.

O cabeça-de-cartaz era o fadista Duarte, que aqui se deslocou vindo de Portugal, e foi a ele que coube o segmento final.

Ao longo do seu espectáculo, e com a sala em profundo silêncio e a total atenção do público, o artista apresentou um estilo diferente de cantar o fado, com uma selecção de temas inspirados em cantores e autores antigos que tem vindo a cultivar como letrista e que deslumbraram quem os escutava.

Natural de Arraiolos, Duarte trouxe também um pouco do Alentejo consigo, interpretando alguns temas tradicionais, sempre com o acompanhamento de dois exímios músicos, os guitarristas Pedro Amendoeira e João Filipe, que com ele se deslocaram vindos de Portugal.

Em declarações à nossa reportagem, o artista, que é psicólogo de profissão, confirmou ser a sua segunda visita à CAT, onde há cerca de dois anos participou também no projecto Cantar Amália, em homenagem à diva do fado.

Em ambas as datas, destacou o acolhimento excepcional de que foi alvo, considerando-o um factor que distingue Toronto de outros destinos internacionais e comunidades da diáspora.

Para finalizar o espectáculo e continuando no mesmo estilo melancólico e melodioso que confere aos temas que escolhe cantar, Duarte optou por fazê-lo fora do palco, junto do público, dando ênfase ao carácter intimista que marcou a sua actuação.

No encerramento do certame, que considerou bem sucedido, o presidente da CAT, Brito Fialho, indicou pretenderem organizar em breve um espectáculo que juntará os artistas locais que participaram nesta Semana Cultural.

Entretanto, e segundo apurámos, a fadista Clara Santos tem já agendada a sua Gala do Fado em Hamilton, a quinta que realiza e que este ano terá lugar a 6 de Abril.

Com o mesmo alinhamento de músicos que a acompanharam no espectáculo de sábado, a fadista conta ainda com os fadistas Elizabete e Tony Gouveia como convidados especiais.


Voltar a Sol Português