1ª PÁGINA


Festa conjunta de Natal e 40.º aniversário:

Jornal português mais antigo do Ontário quer continuar a ser o "Sol" da comunidade lusa

Por Rómulo Ávila (texto),
Fátima Martins e Noémia Gomes (fotos)

Sol Português

"Bem-vindos à festa de todos nós"; e com estas palavras, pouco passava das 19:00h de sábado (26), António Perinú recebia no Europa Convention Centre aquela que é a família do jornal Sol Português para mais uma noite de gala.

Em causa, a comemoração dos 40 anos da publicação, não esquecendo a proximidade da quadra festiva naquela que é habitualmente a primeira grande realização natalícia na comunidade portuguesa.

Importante é dizer que esta é uma tradição que se repete há exactamente quatro décadas, salvo os últimos anos da pandemia de covid-19, e que, para além de abrir as portas aos leitores, pretende reconhecer os jornalistas, funcionários e colaboradores que, edição após edição, mantêm viva a chama da informação com qualidade e dedicação.

Depois da recepção e das boas-vindas dadas aos convivas, o director do jornal Sol Português abriu oficialmente esta noite comemorativa que ficou marcada por um requintado jantar confeccionado pela empresa de banquetes luso-canadiana Europa Catering.

Compromissos de agenda nessa noite fizeram com que a deputada federal eleita por Davenport, Julie Dzerowicz, fosse a primeira a ser chamada a intervir nesta sessão dos 40 anos do jornal Sol Português, que evoca a dedicação à informação da comunidade lusa da Área da Grande Toronto e arredores, sem esquecer as notícias e reportagens do Canadá, de Portugal e do Mundo.

A representante deste círculo eleitoral torontino, onde reside a maior concentração de portugueses no Canadá, afirmou primeiramente, e na língua portuguesa, ser um enorme prazer estar entre gente que luta pela preservação da sua cultura e da sua língua.

"Admiro muito o jornal Sol Português, que na pessoa do seu director considero que faz um excelente trabalho junto da comunidade portuguesa, mas também junto da comunidade canadiana. Adoro este jornal e leio-o sempre com muita atenção, mas também com muito carinho", afirmou.

Já em inglês, a deputada considerou que o jornal "é uma referência e um órgão muito distinto na comunicação social", e que "sem ele, não saberíamos grande parte das histórias" que se passam na comunidade.

A representante de Davenport em Otava viria ainda a entregar um certificado de excelência ao director do jornal, em seu nome e do Primeiro-Ministro Justin Trudeau.

"Em nome do Primeiro-Ministro e em meu nome pessoal, desejo muitas felicidades ao Sol Português e à comunidade portuguesa pelo grande sucesso deste evento", referiu Julie Dzerowicz, admitindo que "os jornais, como é o caso do Sol Português, são pilares da democracia e fazem com que, às vezes, os políticos despertem para os problemas".

Por fim, e novamente na língua de Camões, a deputada federal fez votos de que o jornal aniversariante tivesse muitos e longos anos de vida, sempre com a mesma força e qualidade, desejando também "Boas Festas" a todos os presentes, reflexo da comemoração do início da quadra natalícia que ali se marcava.

Para além de agradecer as suas palavras nessa noite, o director do jornal viria a oferecer-lhe também uma placa comemorativa que registava a sua participação nesta gala.

Refira-se que Julie Dzerowicz agendou já uma entrevista com o nosso semanário, no sentido de explanar as suas ideias e, principalmente, dar a conhecer alguns dos projectos de âmbito social e de saúde que foram avançados pelo governo.

Dando seguimento ao serão de festa, António Perinú lembrou que "este evento anual, no início, era apenas para funcionários e colaboradores da redacção, sendo à posteriori aberto ao público, aos colaboradores, a patrocinadores e a um conjunto de convidados de honra", em função "dos muitos apelos que surgiam para que isso acontecesse".

Os nomes que constam da ficha técnica do semanário foram publicamente referidos pelo director e sinalizados como "peças importantes" para o bom funcionamento do jornal, que, como gosta de mencionar: "é uma equipa que funciona como uma família e uma família que funciona como uma equipa".

Alice Perinú, Vasco Evaristo, Alexandra Faria, Fátima Martins, Noémia Gomes, Vanina Araújo, Inácio Natividade, Luís Marcelino, Leonor Gago da Câmara, Idalina da Silva, Diniz Borges, António Justo, Mário Saturno, Humberto Pinho da Silva, Francisco Amorim, Manuel Fernandes, Jorge Moreira Leonardo e, mais recentemente, Rómulo Ávila, foram assim reconhecidos publicamente pela sua actividade em prol do jornal e da comunicação social em língua portuguesa no Canadá.

Seguidamente, e com a energia e dinâmica que lhe é característica, António Perinú prosseguiu com a apresentação do planeamento traçado para essa noite comemorativa. Neste contexto, era tempo de enaltecer e agradecer também a todos os patrocinadores e anunciantes, mas neste caso e em particular àqueles que conseguiram pôr de pé mais este evento.

Fazer uma festa como esta, destacou António Perinú, "dá muito trabalho, custa dinheiro e aqui fica a nossa gratidão para os patrocinadores: LIUNA Local 183; LIUNA OPDC; Caldense Bakery; Pavão Meats e Maia & Associates".

Um por um, foram chamados ao palco os representantes destas empresas e organizações que se encontravam presentes, sendo-lhes entregues uma placa em reconhecimento do seu apoio a esta festa de convívio e de reconhecimento (...)

dos profissionais que todas as semanas produzem cada edição do jornal Sol Português.

Convidados a dizerem algumas palavras, quase todos os que optaram por o fazer referiram-se à época natalícia que atravessamos e ao espírito de família que se vive nesta altura do ano.

Também ao Europa Catering seria atribuída uma placa, agradecendo o serviço e dedicação desta equipa, sendo que foi feita uma referência especial "à cozinha e ao serviço prestado" pelos seus funcionários de mesa.

Falando entretanto no aniversário do Sol, António Perinú afirmou que "foram 40 anos de lutas, de muitas alegrias e algumas tristezas. Fomos muitas vezes perseguidos de certas e determinadas formas, mas sempre conseguimos ultrapassar todas as barreiras e fomos vencendo cada problema".

O Director assumiu mesmo, sem pejo e com orgulho, que "há uma coisa que ninguém nos pode tirar: são 40 anos ao serviço da comunidade portuguesa, sem qualquer interrupção, semana após semana, nos locais habituais".

"Isso" – frisou – "só podemos agradecer aos nossos leitores e, acima de tudo, aos nossos anunciantes, pois sem eles o nosso jornal jamais poderia festejar estes 40 anos ao serviço de todos vós".

Com alguma emoção, foi claro na sua intervenção: "O Sol Português é o jornal mais antigo da província do Ontário e não só" e recorrendo ao apelo que lhe foi feito por um amigo, que lhe disse: "Perinú, nunca penses em acabar com o nosso Sol!", ter-lhe-á respondido: "Pelo menos enquanto Deus me der força e saúde, este nosso jornal continuará a ser o grande Sol da comunidade portuguesa e canadiana".

Depois destas palavras, foi altura do director, chamar para uma intervenção a nova cônsul-geral de Portugal em Toronto, Sofia Batalha, que é tão somente a "máxima representante de Portugal" nesta província e em Manitoba.

Agradecendo muito o convite que lhe foi endereçado, a diplomata manifestou a sua satisfação em estar presente neste importante evento, tendo referido ler "com muita atenção, agora que cá está, todas as semanas, o Sol Português", e com "grande prazer e honra" verificar que "estão a fazer um excelente trabalho de divulgação da língua portuguesa e dos eventos da nossa comunidade".

Sofia Batalha deu os parabéns também "pela persistência, pelo entusiasmo e pela vontade de continuar a trabalhar, pois 40 anos num mundo em mudança e numa comunidade em mudança é muito prestigiante e assim espero que continuem", concluiu.

Por seu turno, António Perinú, entregando-lhe uma placa que assinalava a participação da cônsul-geral neste evento, asseverou que a sua presença nessa noite, "para além das palavras", era para ele "um motivo de grande satisfação".

Contrariamente ao que tem sido habitual em anos anteriores, o serão passou primeiramente para o domínio da música, ficando para um pouco mais tarde as placas que viriam a ser entregues aos colaboradores e funcionários que se encontravam presentes.

"Quero pedir um grande aplauso para uma voz de tenor que na comunidade não tem igual, para uma voz cristalina e para um amigo", assim introduziu António Perinú o artista Miguel Domingos, que cantou e encantou o público.

"E que voz!", ouvia-se na plateia, enquanto Miguel Domingos interpretava temas bem conhecidos levando a plateia numa autêntica viagem musical no tempo, com destaque para os clássicos "Só nós dois é que sabemos" e "You Raise me Up".

A sua participação nesta festa seria igualmente eternizada com a entrega de uma placa, tendo-se o tenor dirigido a António Perinú para o congratular pelo aniversário do jornal.


Segundo disse o também maestro, "este director e este Sol Português têm muito valor e merecem todo o nosso carinho, pois foi através deste jornal que muitos músicos nas bandas filarmónicas foram reconhecidos e valorizados".

Antes do espectáculo prosseguir com os próximos músicos convidados, proceder-se-ia então à entrega das placas que se destinavam a distinguir os funcionários e colaboradores do jornal.

Chamados um a um a receber o seu galardão que reconhece mais um ano de dedicação ao jornalismo comunitário, voltariam ainda para a habitual "foto de família", já com a equipa (a que pôde estar presente) do Sol Português no centro das atenções.

Antes de se dar por terminado este momento formal, foi António Perinú a receber também a sua placa de homenagem e agradecimento pelas mãos de Vasco Evaristo, o director-adjunto deste semanário que, não esqueçamos, inclui um suplemento semanal dedicado

ao desporto – "Golo".

Vasco Evaristo aproveitou a oportunidade para referir o nome de Alice Perinú, editora do jornal Sol Português (...)

e que mais uma vez não podendo estar presente por motivos de saúde, encontrando-se em Portugal a fazer tratamentos, se associou a este momento, nele participando de "alma e coração sempre presente".

Destaque ainda para a participação de Ricardo Evaristo, de 7 anos, neto do director e que apesar de ter nascido no Canadá preserva e domina a língua portuguesa, dirigindo-se aos presentes em perfeito português, facto que constitui nos dias de hoje um "motivo de orgulho para os avós e os pais", como ressalvaram vários dos espectadores que se encontravam na sala.

Posto isto, foi então a vez de Tony Gouveia e Eduardo Câmara – elementos do conjunto Tabu – subirem ao palco, animando a noite e proporcionando momentos de diversão e de dança ao som de temas como "Eu ouvi um passarinho", "Apita o Comboio", "Comment ça va", "Volare" e "Zumba ",

Em reconhecimento também da quadra natalícia que ali se celebrava, os artistas finalizaram o seu alinhamento de temas com um cheiro a Natal: "Feliz Navidad".

Ao agradecer-lhes pela sua participação, António Perinú classificou estes músicos como sendo "elementos das melhores bandas musicais da actualidade" e artistas "de uma qualidade acima da média", assinalando a sua passagem pelo evento com a entrega de uma placa comemorativa a cada um deles.

E porque havia ainda quem quisesse continuar a dançar, o DJ e técnico de som Tony Silva, da TNT FX – que seria também agraciado com uma placa pela sua participação nesta gala – fez questão de passar mais música alegre para diversão dos convivas que se mantinham na pista de dança.

Dando por terminado este apontamento sobre aquela que é a única realização anual do Sol Português e em que o jornal é o foco das atenções, apetece-me desejar que o Sol, tal como o astro-rei do planeta e seu homónimo – aquele que ilumina e aquece tudo e todos – continue a ser a luz da comunidade e que estas páginas possam sempre sentir o calor da língua e da cultura portuguesa.

Quarenta anos do jornal Sol Português, o maior periódico de língua portuguesa no Canadá, se passaram, mas mantém-se o mesmo objectivo, o mesmo dinamismo, a mesma força e a mesma tenacidade.

O comandante do leme (António Perinú) e toda a tripulação (equipa), qual nau portuguesa dos Descobrimentos, pretendem continuar no rumo certo, descobrindo novas rotas, mas sempre com os pés bem assentes em terra.

Que o Jornal Sol Português nunca tenha um final feliz, que é como quem diz: nunca tenha um final!

Da parte do jornal Sol Português e de toda a equipa, votos de Festas Felizes, de um Feliz e Santo Natal e que 2023 traga a todos os leitores e anunciantes tudo o que desejam.


Voltar a Sol Português