1ª PÁGINA


Altice instala laboratório tecnológico na ilha Terceira

A Altice instalou um laboratório tecnológico na ilha Terceira, nos Açores, o quarto da empresa no país, que emprega actualmente 11 programadores, mas com perspectivas de crescimento, avançou quinta-feira o presidente executivo da empresa, Alexandre Fonseca.

"Certamente que aqui nos Açores também vamos encontrar projectos específicos e a partir desses projectos criar também mais valor e mais postos de trabalho, com certeza. Estas instalações têm capacidade para crescer", adiantou, em declarações aos jornalistas, à margem da inauguração do laboratório.

A funcionar já há vários meses na Praia da Vitória, o laboratório, integrado no projecto Terceira Tech Island, só neste dia inaugurado, devido às limitações provocadas pela pandemia da Covid-19, segundo Alexandre Fonseca.

Dos 11 programadores informáticos que integram o projecto, três estão na ilha de São Miguel e oito na ilha Terceira, dois dos quais foram relocados do continente.

O Altice Lab da ilha Terceira ainda não desenvolveu um produto específico, mas está a trabalhar em quatro áreas: `wi-fi', tele-medicina e tele-assistência, sistemas de monitorização de rede e televisão digital.

"O MEO lançou recentemente a caixa Android TV e a equipa que está aqui colaborou activamente no desenvolvimento dessa caixa", revelou o presidente executivo da Altice.

Este é o quarto laboratório da Altice em Portugal, seguindo-se aos já instalados em Viseu, Madeira e Algarve.

"Em todos eles o que nós verificámos é que, ao fim de alguns meses de actividade, começam a surgir resultados do repto que eu aqui deixei de se criar um produto made in Açores e tecnologia própria, que a partir daqui possa depois ser exportada", salientou Alexandre Fonseca.

A fixação na ilha Terceira era um compromisso feito há dois anos pela empresa, que colabora também com o parque de ciência e tecnologia Nonagon, na ilha de São Miguel, e é parceiro estratégico do projecto Azores Digital Hub.

As instalações no centro histórico da Praia da Vitória são cedidas pelo projecto Terceira Tech Island, lançado em 2018 pelo Governo Regional dos Açores, que já integra 22 empresas e 170 postos de trabalho.

"Se é certo que o projecto Terceira Tech Island surge numa primeira fase como uma forma de colmatar o impacto social do redimensionamento das forças americanas na base das Lajes e aquilo que isso significou em termos de perda de postos de trabalho e de economia, é importante hoje notar que esse projecto ganhou raízes bem mais profundas", sublinhou o presidente do executivo açoriano, Vasco Cordeiro, na cerimónia de inauguração.

Só em vencimentos, o projecto representou, nos últimos três anos, cerca 3,5 milhões de euros, de acordo com o governante açoriano.

"Isso à nossa escala dá bem nota, não da intenção apenas dessa aposta, dá nota dos resultados efectivos que essa aposta aos mais variados níveis tem apresentado", frisou.

O Terceira Tech Island alicerça-se, segundo Vasco Cordeiro, numa estratégia de fortalecimento dos Açores em áreas ligadas às tecnologias e à programação.

"Esta situação com que fomos confrontados da pandemia de Covid-19 veio evidenciar as áreas em que podemos progredir em termos de fortalecimento e de solidez da nossa economia e da nossa vida social. Uma aposta forte ao nível da digitalização, ao nível daquilo que é o recurso a novas tecnologias para a nossa economia e para a nossa vivência colectiva é essencial", reforçou.


Voltar a Sol Português