1ª PÁGINA


Corporações de bombeiros estão a preparar as equipas para o Túnel do Marão

As corporações de Amarante e Cruz Branca, de Vila Real, estão em fase de recrutamento de bombeiros para as equipas que vão estar em permanência no Túnel do Marão, pelo menos, durante um período de oito meses.

As corporações assinaram na semana passada um protocolo com a Infraestruturas de Portugal (IP) e a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), com vista à criação das equipas de protecção e socorro que estarão em permanência no túnel a assegurar serviços de prevenção, primeira intervenção e socorro.

Esta medida foi uma das consequências do inquérito realizado ao incêndio num autocarro, no interior do Túnel do Marão, que lançou um alerta sobre questões de segurança e socorro dentro deste que é o maior túnel rodoviário da Península Ibérica, com quase seis quilómetros e está incluído no Autoestrada 4 (A4), entre Amarante e Vila Real.

O protocolo, homologado pelos secretários de Estado das Infraestruturas e da Protecção Civil, vigora pelo período de oito meses, findo o qual será efectuada uma avaliação sobre a sua aplicação, podendo, depois, ser renovado.

Segundo o documento, a que a agência Lusa teve acesso, as equipas vão ser constituídas por 16 bombeiros, oito de cada corporação. Em permanência ficarão três elementos no edifício técnico número um, localizado junto à entrada do lado de Amarante.

No dia em que o documento foi assinado, a 26 de Abril, o secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme d'Oliveira Martins, disse que os bombeiros estariam no túnel a partir desta semana.

Contactadas pela Lusa, as duas corporações explicaram que abriram, entretanto, um concurso interno para o recrutamento dos elementos que irão integrar as equipas, não avançando com previsões para a conclusão do processo.

De acordo com o protocolo, os bombeiros terão acesso ao serviço de voz directo entre a sala de emergência e o centro de controlo de tráfego da IP, com gravação das comunicações, bem como à visualização das imagens no túnel.

Em sequência do inquérito ao incêndio no autocarro, que ocorreu em Junho de 2017, os secretários de Estado das Infraestruturas e o da Administração Interna ordenaram a elaboração do plano de Prevenção e a revisão dos planos de Emergência Interna e Prévio de Intervenção do Túnel do Marão, para melhorar a resposta às ocorrências.

Depois de as equipas de bombeiros estarem em funções, será realizado um simulacro de incêndio dentro da infraestrutura.

Este simulacro já era reivindicado pelos bombeiros antes mesmo da abertura ao tráfego do Túnel do Marão, a 8 de Maio de 2016.

Entretanto, depois do autocarro já se se registaram mais dois incêndios em viaturas dentro da infra-estrutura. Em todos os casos não se registaram vítimas, contudo, o túnel ficou fechado ao trânsito por diferentes períodos de tempo.


Voltar a Sol Português