1ª PÁGINA


Casa da Madeira de Toronto

"A comunidade madeirense está bem viva", garante Luís Bettencourt

Por Rómulo Ávila

Sol Português

Depois da pausa obrigatória imposta pela pandemia de covid-19 e pelo falecimento de um dos seus fundadores – João Gil de Freitas Abreu, a quem seria dedicado um minuto de silêncio – o Canadian Madeira Club, tal como outras colectividades portuguesas, está a retomar a actividade plena e no último sábado (29) promoveu uma festa alusiva ao Halloween, ou Dia das Bruxas.

Para além de uma ementa esmerada, este clube, também conhecido por Casa da Madeira de Toronto (CMT), coordenou para essa noite a realização de um divertido concurso de máscaras dedicado à temática da época, com grande destaque para o desfile de crianças, jovens e adultos fantasiados que decorreu com grande animação e alegria.

No final todos tiveram direito a prémio, confirmando que o mais importante mesmo era a participação e a confraternização num divertido serão animado pela música proporcionada pelo DJ Miguel Antunes.

Um dos motivos de orgulho para a Direcção do clube madeirense sedeado em Toronto foi a decoração "assustadora" criada para essa noite por Susy Vieira, que coordenou uma equipa de trabalho com "muitas mãos".

Em declarações ao jornal Sol Português, Susy Vieira não escondia a sua felicidade em ver o trabalho final, "para o qual contribuíram muitas pessoas", como destacou, e que ao longo da noite lhe valeram comentários "muito positivos".

Num convívio dedicado sobretudo aos mais novos, para além das brincadeiras e do desfile de mascarados mereceu destaque o espaço que foi criado na sala para o entretenimento das crianças e os brindes de "Halloween", que fizeram as delícias de todos.

Enquanto decorriam as várias actividades, conversámos com Luís Bettencourt, presidente da Direcção da CMT, que fez um convite para que "a comunidade, madeirense ou não, se junte ao clube e participe nas actividades" que realizam, não apenas "na sede, mas também no Madeira Park, pois", como realçou, "tudo o que fazemos é a pensar nas pessoas".

O dirigente afirmou também que a comunidade madeirense "está bem viva e preparada para se unir e participar nos eventos" que organizam, apelando particularmente aos jovens para que se juntem ao clube.

"Precisamos de sangue novo, precisamos da malta jovem para que assumam isto e levem o nosso clube da Madeira para a frente. Nós até podemos ajudar sempre, mas está na altura de se chegarem à frente", sublinhou, agradecendo a "toda a equipa o empenho e o trabalho, pois sem eles eu também não conseguia fazer nada".

Por seu turno, José Rodrigues, presidente da Assembleia-Geral da CMT e conselheiro das Comunidades Madeirenses no Canadá, estava feliz "porque a comunidade está novamente a participar nos eventos madeirenses em grande força e hoje é a prova disso", afirmou, lembrando estarem ali representadas várias faixas etárias, "que me fazem pensar num futuro risonho para a nossa Casa".

"Este foi um bom arranque e apelo a que todos se juntem a nós, aqui e no Madeira Park, pois são as pessoas, as comunidades, que mantêm as instituições vivas", clarificou, deixando um convite: "a juventude que se junte a nós; é da nova geração o futuro e precisamos deles".

A próxima festa na CMT será dedicada ao São Martinho, a 12 de Novembro, e os seus responsáveis prometem que não faltarão as tradicionais castanhas assadas e animação típica da época.

Entretanto está a ser pensado o programa para a noite da passagem de ano, mas para já a organização confirma a realização de um jantar tradicional de matança do porco, no dia 26 de Novembro.

Fundada em 1963, a CMT pretende ser um elo de ligação para a comunidade portuguesa na Área da Grande Toronto, seja ela madeirense ou de qualquer outro lugar no mapa de Portugal.


Voltar a Sol Português