1ª PÁGINA


Casa do Alentejo de Toronto:

Noite dedicada à juventude na 37.ª Semana Cultural Alentejana

Por Rómulo Ávila

Sol Português

Um dos eventos pioneiros da comunidade portuguesa no Canadá, a 37.ª edição da Semana Cultural Alentejana organizada pela Casa do Alentejo de Toronto (CAT) dedicou a noite de 26 de Outubro ao público mais jovem.

O espectáculo abriu com uma actuação de Tânia Barbosa, uma jovem do Minho que encantou o público com a interpretação duma selecção de temas portugueses, promovendo uma verdadeira interacção com o público.

A cantora, que há alguns anos participou no popular Concurso de Cantores com John Santos (SCJS, na sigla em inglês) abriu o palco em termos musicais e logo de seguida seria o próprio John Santos a apresentar mais quatro cantoras jovens com raízes bem portuguesas, cada uma a interpretar quatro temas.

A primeira a subir ao palco foi Natasha Costa, uma jovem com ligações de sangue aos Açores e que sublinhou ao jornal Sol Português ser "versátil na música".

Segundo indicou, começou a cantar há mais de três anos e apela aos jovens para que "não desistam dos seus sonhos, de serem felizes, de se libertarem e, se o sonho for cantar, que o façam".

A jovem Melanie Cabral, filha de pais portugueses, começou a cantar com 10 anos e adora o estilo "country", subindo ao palco da Casa do Alentejo de Toronto para actuar "com alma, com energia e com muita alegria", afirmou.

"Adoro divertir-me a fazer o que amo: cantar", destacou a jovem à nossa reportagem.

A noite estava bem recheada de jovens artistas e John Santos, que foi um dos apresentadores deste serão dedicado à juventude, introduziu a pequena Victoria Dimitrova, que com 9 anos pisava pela primeira vez um palco.

A jovem cantou uma selecção de temas originais, deliciou o público e deixou uma mensagem a cada jovem ali presente: "Pensa sempre positivo na vida; se tens o sonho de cantar ou de subir a um palco, não percas isso de vista e luta pelo teu objectivo".

Ainda do Concurso de Cantores, esteve também presente Sabrina Barreto, que adoptou, como diz, "para já o estilo de música pop".

A jovem canta desde os sete anos de idade e um dos temas com que brindou o público foi "Conquistador", da banda portuguesa Da Vinci, fazendo questão de sublinhar que não sabe falar português, mas que cantar este tema foi para si "muito gratificante e interessante".

Francisco Pegado, jornalista de profissão, foi outro dos apresentadores da noite e aproveitou para deixar também um recado: "esperava mais jovens presentes, pois quando é dada a oportunidade à juventude, esta faixa etária devia aproveitar".

"Às vezes dizemos que os jovens não têm espaço, mas cá está um espaço dado pela Direcção da Casa do Alentejo e, mesmo assim, não estão aqui em grande número", destacou.

Dando seguimento ao espectáculo e convívio, viria a subir ao palco a Luso-Can Tuna, grupo de estudantes que divertiu o público fazendo lembrar as noites universitárias de boémia, música e tradições.

Contudo, sobressaíram as palavras de Catarina Gomes, coordenadora desta que é a única tuna portuguesa na América do Norte e que por várias vezes fez o mesmo apelo:

"Ensaiamos todas as sextas-feiras às 21 horas na Igreja Santa Helena (1680 Dundas St W) e estamos mesmo a precisar de jovens ou menos jovens que tenham gosto pela música, por cantar, por aprender instrumentos e, sobretudo, pela cultura portuguesa. Juntem-se a nós. A Luso-Can Tuna foi fundada em 1998 e não queremos que morra".

Apesar de não ter sido muito participada, a noite da Juventude da 37.ª Semana Cultural Alentejana teve muita qualidade e os organizadores da iniciativa prometem "continuar a dar espaço aos mais jovens" pois, como ressalvam, "é deles o futuro".


Voltar a Sol Português