1ª PÁGINA


Canadá/Covid-19:

Autoridades de saúde alertam para eventual segunda vaga

O número de pessoas infectadas pelo vírus Covid-19 em todo o mundo atingiu os 25,6 milhões no início desta semana, 69,1 por cento das quais, ou 17,7 milhões, já recuperaram, o que representa uma melhoria em relação aos 67,9 por cento registados na semana anterior.

Entretanto, a nível nacional o número de casos no Canadá quase atingiu os 129.900 e a proporção de pessoas que recuperaram da doença ronda os 88,9 por cento (115.447), praticamente inalterada em relação às duas semanas anteriores.

Na pretérita quarta-feira (26) foi anunciado que o Ontário iria receber mais 381 milhões de dólares em assistência federal destinada a ajudar no processo de reabertura das escolas, além dos 900 milhões anteriormente prometidos pelo governo de Doug Ford.

Esta verba adicional faz parte de um pacote de assistência, no valor de dois mil milhões de dólares, anunciado em Toronto pelo Primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, e que se destina a apoiar o processo de reabertura das escolas nas províncias e territórios canadianos.

O governo do Ontário destinou cerca de um quarto do montante que lhe coube ao reforço dos protocolos de saúde pública estipulados no seu plano de acção para o novo ano lectivo, com 100 milhões de dólares dedicados à contratação de mais pessoal de limpeza e de manutenção, reforço dos sistemas de ventilação nas escolas, assim como no apoio ao ensino online.

Cerca de 70 milhões de dólares destinam-se à contratação de mais professores e 30 milhões serão empregues na aquisição de equipamento de protecção, além de 70 milhões para o transporte de alunos – 25,5 milhões dos quais especificamente dedicados a medidas que permitam reduzir o número de alunos que viajam em cada autocarro.

Entretanto o governo provincial vai aplicar mais 12,5 milhões de dólares no apoio ao sistema de educação especial e igual montante na contratação de mais enfermeiras para os serviços de saúde pública que servem as escolas, enquanto que 36 milhões de dólares provenientes do governo federal se destinam a garantir que "cada conselho escolar que oferece aprendizagem virtual tem um director dedicado e o necessário apoio administrativo para as escolas virtuais de ensino primário e secundário".

Segundo o governo provincial será ainda criada uma reserva, no valor de 50 milhões de dólares, para cobrir eventuais despesas imprevistas, enquanto que em Dezembro será anunciada a forma como vai ser aplicada a segunda parcela da ajuda federal.

O total das verbas destinadas ao Ontário nestas duas fases de financiamento federal poderá ascender a 763,3 milhões de dólares.

Ainda a propósito do regresso às aulas, o governo provincial decretou também uma série de procedimentos para prevenir o contágio, destacando a importância dos pais examinarem as crianças diariamente e de não as deixarem ir à escola caso apresentem sintomas do vírus, enquanto que os professores e directores devem de imediato separar qualquer criança que apresente sintomas do resto da turma e mandá-la para casa logo que um dos pais a possa ir buscar.

Cada estabelecimento de ensino vai também ter de avisar os pais de quaisquer testes positivos que venham a ser identificados na escola, embora sem revelar a identidade do aluno ou alunos em questão.

As crianças que apresentem quaisquer sintomas que sugiram a possibilidade de contágio pelo vírus da Covid-19 não poderão voltar à escola sem terem passado 14 dias em quarentena sem apresentar mais sinais da doença.

Não será, porém, obrigatório submeterem-se ao teste, embora seja recomendado.

Entretanto, a nível da autarquia de Toronto foi revelado que o indicador geral de Covid-19 no município retrocedeu do verde para o amarelo, tal como os indicadores de alastramento e contenção do vírus.

Questionada sobre o facto de se mostrar mais preocupada do que o costume nas conferências de imprensa em que participa, a Dra. Eileen de Villa, directora dos serviços de saúde de Toronto, citou o risco que representa o regresso às aulas para o potencial alastramento da doença.

A médica salientou também que tanto no Canadá como no estrangeiro parece haver "a sensação de que estamos de volta ao normal", apressando-se a rematar que "isso ainda não é verdade".

Na sexta-feira (28) a sua homóloga dos serviços de saúde do Canadá, Dra. Theresa Tam, fez questão de reiterar o aviso de que os pais se devem preparar para a deflagração de casos de Covid-19 nas escolas, à medida em que as crianças voltam às aulas nas próximas semanas, e que é importante que cada escola tenha um plano de acção e todos saibam o que fazer caso surja um foco infeccioso.

Na véspera a Direcção Escolar de Toronto revelou que os alunos da primária, para além de poderem optar pelo ensino presencial ou à distância, vão ter três oportunidades durante o ano lectivo para trocarem de um para o outro, caso mudem de ideias: a 13 de Outubro, a 23 de Novembro ou a 16 de Fevereiro, tendo para isso de requerer a mudança com duas semanas de antecedência.

Entretanto, os professores vieram denunciar o que consideram a "implementação em cima do joelho" do novo currículo provincial de matemática pois dizem ter tido pouquíssima orientação sobre o conteúdo que devem estar a ensinar dentro de poucas semanas e que, face a tudo o que têm às costas devido à situação que se atravessa, é algo que pode ser adiado para outra altura.

Por sua vez, o Primeiro-ministro Doug Ford pediu às escolas para que tentem utilizar os 50 milhões de dólares que lhes foram concedidos para melhorarem os seus sistemas de ventilação até meados de Outubro.

Este montante tinha sido anunciado no princípio de Agosto e o governo provincial urge as Direcções Escolares a acelerarem o processo.

Dias depois, Cathy Abraham, presidente da Associação das Direcções Escolares Públicas do Ontário, alertou para o facto de algumas escolas terem de juntar algumas turmas quando as aulas começarem devido ao facto de terem de cumprir com acordos de financiamento previamente estabelecidos com o governo provincial e que obrigam a que o tamanho das turmas se mantenha, apesar de haver alunos que optaram pelo ensino virtual.

Entretanto, o ministro federal da Segurança Pública, Bill Blair, anunciou que as restrições em vigor em relação aos viajantes internacionais irão prolongar-se até 30 de Setembro para limitar a disseminação de Covid-19.

Estas restrições visam limitar a entrada de estrangeiros no país, ao exigirem um período de 14 dias de quarentena, quer tenham ou não sintomas da doença.

No fim-de-semana a Dra. Theresa Tam alertou o público para que não espere que uma eventual vacina contra a Covid-19 venha a pôr fim às medidas que foram decretadas para conter o contágio, nomeadamente a necessidade de se cumprir com as regras de distanciamento social e o uso de máscaras.

Como salientou, o planeamento a nível nacional é feito "a longo prazo – ou seja dois ou três anos, durante os quais a vacina poderá vir a desempenhar um papel importante, mas ainda não sabemos".

No início da semana o governo federal anunciou que iria prolongar o prazo limite das candidaturas ao programa de empréstimos a pequenas empresas até ao fim de Outubro.

Otava anunciou também ter firmado um novo acordo com uma terceira firma produtora de vacinas, a americana Novovax, para poder ter acesso à sua vacina experimental a partir da Primavera.

O contrato assegura o fornecimento de 76 milhões de doses – quase duas para cada canadiano – da vacina que está ainda a ser submetida a testes preliminares nos Estados Unidos da América e na Austrália.

Entretanto os quatro sindicatos dos professores do Ontário apresentaram as prometidas acções junto do organismo provincial de mediação laboral alegando que o plano do governo do Ontário para o regresso às aulas "não toma todas as precauções razoáveis para proteger os trabalhadores, conforme exigido pela Secção 25 (2) (h) da Lei de Saúde e Segurança Ocupacional" da província.

Enquanto isso, Doug Ford avisou que não irá prorrogar o Parlamento, pelo que a legislatura do Ontário volta ao activo a 14 de Setembro, como habitual, na véspera do regresso às aulas.

Na retoma da actividade em vários sectores, também o Supremo Tribunal do Canadá anunciou que vai voltar a ter julgamentos de forma presencial a 22 de Setembro, com medidas de distanciamento em vigor e a possibilidade dos advogados que não se possam deslocar a Otava o poderem fazer por tele-presença.

A reabertura surge mais cedo do que se antecipava para que o tribunal possa dispor dos casos em atraso devido à pandemia, antes de retomar a sua agenda normal.

O Supremo Tribunal anunciou ainda que a suspensão dos prazos-limite para procedimentos civis, como declarações de falência ou divórcios, expira a 13 de Setembro.

Entretanto, novos dados do Departamento de Estatísticas do Canadá revelam que apesar do uso dos transportes públicos ter aumentado em Junho, o número de utentes continua 75 por cento aquém do que se registava no ano anterior, enquanto que as receitas diminuíram 77 por cento.

Dias antes, este departamento publicou um relatório onde destacava que mais de metade dos canadianos com deficiências que foram sondados revelaram estarem a passar por dificuldades financeiras devido ao impacto da crise causada pelas medidas de contenção do vírus corona.

Esta semana as autoridades municipais começaram também a sensibilizar a população para o facto de se esperar um ressurgimento de Covid-19 no Outono, incluindo o que prevê seja uma vaga ainda maior do que a de Abril.

Segundo a autarquia torontina, a magnitude dessa vaga será directamente influenciada pelo cumprimento ou não das regras de distanciamento social e do uso de máscara.

Na terça-feira (1) as autoridades sanitárias do Canadá viriam a reforçar a mensagem ao afirmarem que a única forma de conter o vírus da Covid-19 e permitir o regresso a uma vida semelhante à que se vivia pré-pandemia vai ser com a vacinação geral da população.

A Dra. Theresa Tam e o seu assessor, Dr. Howard Njoo, adiantaram que não se sabe ao certo qual a percentagem de canadianos que precisa de ser inoculada para se atingir a imunidade generalizada, mas que é importante vacinar o maior número possível de pessoas.


Voltar a Sol Português