1ª PÁGINA


Estátua de Sir John A. Macdonald derrubada por activistas em Montreal

Um grupo de activistas derrubou na tarde de sábado (29) a estátua do primeiro Primeiro-ministro canadiano, Sir John A. Macdonald (1867-73 e 1878-91), situada na Place du Canada, na baixa de Montreal, no rescaldo de uma manifestação que exigia cortes ao orçamento das forças policiais e até a sua abolição.

Já na recta final da manifestação, vários activistas subiram à estátua e ataram-na com cordas ao mesmo tempo que desfraldavam faixas onde se podia ler que John Macdonald tinha "as mãos sujas de sangue" por ter privado a comunidade asiática dos seus direitos civis e ter sido um dos arquitectos do sistema de escolas residenciais aquando da fundação do país.

Momentos depois os vândalos desaparafusaram o monumento e puxaram a estátua que ao cair do pedestal perdeu a cabeça, que saltou e rebolou pelas pedras da calçada para gáudio de muitos que assistiam.

A manifestação, que decorreu de forma pacífica, foi uma de várias que se realizaram em diferentes cidades do Canadá, organizada por activistas negros e indígenas, e os seus organizadores dizem ter sido apanhados de surpresa pelo acto de vandalismo, desconhecendo a afiliação dos responsáveis.

Um panfleto que estava a ser distribuído na altura para explicar o que estavam a fazer faz referência a uma petição online que recolheu 46.000 assinaturas e na qual era pedido à presidente da Câmara de Montreal, Valérie Plante, que retirasse a estátua.

O mesmo panfleto acusava o antigo Primeiro-ministro de ser "um supremacista branco que orquestrou o genocídio de povos indígenas através da criação do sistema de escolas residenciais" e de "promover outras medidas que atacaram pessoas e tradições indígenas", culpando a inacção do município por esta intervenção de "uma coligação diversa de jovens activistas".

Este não foi o primeiro acto de vandalismo perpetrado contra a estátua, que além de já ter sido decapitada em 1992, então "para comemorar o enforcamento de Louis Riel a 16 de Novembro de 1885", tinha sido coberta com tinta vermelha por várias vezes nos últimos anos.

Outras estátuas de Sir John A. Macdonald, noutras cidades do Canadá, têm sido alvo de actos semelhantes ao longo dos anos, tendo a Assembleia Municipal de Victoria, na Colúmbia Britânica, decretado a remoção da que ornamentava os degraus da autarquia como gesto reconciliatório, em 2018.

O primeiro-ministro do Quebeque, François Legault escreveu no Twitter que "independentemente do que se possa achar de John A. Macdonald, é inaceitável destruir um monumento desta maneira. Devemos lutar contra o racismo, mas a solução não é destruir parte da nossa história. O vandalismo não tem lugar na nossa democracia e a estátua tem de ser restaurada".

Também o seu homólogo de Alberta, Jason Kenney, usou a rede social para condenar o acto e para dizer que estão prontos para receber a estátua se Montreal não a quiser.

Por sua vez, Valérie Plante condenou o "acto de vandalismo" e afirmou que a Polícia de Montreal estava a investigar o sucedido e que o município iria restaurar a estátua.

"Compreendo e partilho a motivação de cidadãos que desejam viver numa sociedade mais justa e inclusiva, mas o debate e as acções necessárias devem ter lugar pacificamente, sem nunca recorrer ao vandalismo", afirmou a edil.


Voltar a Sol Português