1ª PÁGINA


Community Living Mississauga:

Homenagem ao sindicalista Joseph Mancinelli resulta em mais de 900.000 dólares para jovens deficientes

Por João Vicente
Sol Português

O vice-presidente e administrador regional do sindicato Labourers International Union of North America (LIUNA), Joseph Mancinelli, foi homenageado na pretérita quinta-feira (28) pela organização beneficente Community Living Mississauga (CLM).

A cerimónia, que desde há 35 anos tem vindo a distinguir anualmente uma pessoa influente, de espírito altruísta, teve como objectivo angariar verbas para esta organização que presta apoio a jovens portadores de deficiências motoras e cognitivas.

O jantar de gala, que congregou cerca de 1800 pessoas no salão de festas do Centro de Convenções de Mississauga, rendeu um total de 916.818 dólares para esta organização caritativa.

A lista de convidados que integraram a mesa de honra e o rol de oradores incluiu o mestre-de-cerimónias e fundador da empresa seguradora e financeira Masters, Sam Ciccolini – que foi alvo desta homenagem no ano anterior – o cardeal da arquidiocese de Toronto, Thomas Collins, a procuradora-geral do Ontário e ministra responsável pelos Assuntos Francófonos, Caroline Mulroney, a presidente da Câmara de Mississauga, Bonnie Crombie, e o presidente e director executivo da firma Fengate Asset Management, Lou Serafini Jr,

Entre estes encontravam-se igualmente o utente da CLM, Paul Brum, e a directora Holly Pellizzer, a filha do homenageado, Victoria Mancinelli, directora de comunicação, relações públicas e marketing da LIUNA, assim como o administrador do Conselho Distrital (OPDC, na sigla em inglês) e da filial Local 183 da LIUNA, o luso-canadiano Jack Oliveira, que foi homenageado pela CLM em 2017.

Antes da refeição e das cerimónias houve oportunidade para alguns momentos de convívio, durante os quais o homenageado conversou com o presidente do comité de selecção da CLM, Jack Prazeres, entre outros, e acolheu pessoalmente muitas das pessoas que iam chegando, enquanto os convidados e participantes inspeccionavam os artigos para o leilão silencioso, cujos resultados viriam a ser revelados mais tarde.

"É um tributo bem merecido", destacou Jack Prazeres em declarações à imprensa, ao salientar que o homenageado, "através da LIUNA, tem feito coisas excelentes por todas as comunidades, não só a portuguesa [...] mais uma razão por que [merece] ser dignificado".

Com respeito especificamente à CLM, "tem feito um excelente trabalho nos últimos 10 anos, portanto achámos que era uma pessoa que bem merecia esta homenagem", continuou o empresário português, que previu um montante "excepcional" e uma "noite histórica para todos", em consequência.

Por sua vez, Joseph Mancinelli afirmou repetidamente que não era ele o centro das atenções nessa noite, mas sim "as crianças que estamos a ajudar", declarando-se "lisonjeado com as `mentiras' que andam por aí a dizer acerca de mim esta noite", mas que o importante realmente era o quanto as crianças e as suas famílias iriam beneficiar com o dinheiro angariado.

"Todas estas pessoas que aqui vieram esta noite são tão generosas, eu sou apenas o veículo", acrescentou o homenageado, lembrando que "os verdadeiros heróis são as pessoas que fizeram donativos" sendo ele simplesmente "uma forma de trazer estas pessoas até cá para expressarem a sua generosidade".

Jack Oliveira considerou "um privilégio trabalhar com uma pessoa como o Joseph Mancinelli", que descreveu como "um homem que nunca diz que não", alguém que quando se aproximam dele. "para qualquer causa" importante, "nunca diz `porque é que isto aconteceu?' ou `não podemos fazer'", mas sim, "vamos fazer – acho isso muito importante", concluiu.

No decorrer da noite, o jantar foi entremeando os discursos de vários intervenientes, incluindo mensagens congratulatórias do Primeiro-ministro Justin Trudeau e do presidente da LIUNA, Terry O'Sullivan.

A primeira a pronunciar-se foi a procuradora-geral do Ontário e ministra responsável pelos Assuntos Francófonos, Caroline Mulroney, que afirmou que desde que foi eleita, há alguns meses, lhe tem sido possível reconhecer em Joseph Mancinelli o homem amável, entusiástico e generoso que toda a gente descreve.

Por seu turno, a presidente da Câmara da Mississauga. Bonnie Crombie, referiu ser um privilégio poder homenagear o amigo, "um homem que tem angariado milhões de dólares para organizações de caridade, contribuído o seu tempo para elevar outras pessoas e que, através do seu trabalho pessoal e profissional, está a edificar a nossa comunidade".

A edil acrescentou ainda que tem contacto com Joseph Mancinelli há quase uma década e considera-o "uma das pessoas mais respeitadas e confiáveis" que alguma vez conheceu pois, salientou, é alguém "que, quando lhe pedem, mostra-se sempre à altura das circunstâncias sem se queixar nem questionar".

Lou Serafini Jr propôs-se dar a conhecer um pouco do Joseph Mancinelli privado, relatando como os pais deles assim que se conheceram decidiram arranjar habitações para as pessoas mais necessitadas de Hamilton e assim nasceu a LIUNA Housing Corporation que veio a construir moradias para milhares de pessoas.

Foi, destacou. "uma mensagem para as gerações posteriores de que a posição privilegiada que ocupam também lhes confere responsabilidades para com as pessoas que precisam de ajuda na comunidade" e uma lição que, segundo ele, Mancinelli levou a peito e pratica no dia-a-dia.

Entretanto, uma mensagem em vídeo do Primeiro-ministro Justin Trudeau referiu-se ao homenageado como alguém que toca "milhares de vidas por todo o continente norte-americano e que quando é preciso" nunca recua ou se recusa a ajudar, enquanto o dirigente máximo da LIUNA, Terry O'Sullivan, o destacou como uma pessoa "genuína – um defensor da classe trabalhadora que nunca se esquece de onde veio, do valor de trabalhar arduamente, nem daqueles que o fazem".

Paul Brum, que foi diagnosticado com autismo em criança e foi utente da CLM durante a maior parte da sua vida, falou sobre essa experiência e o que a organização representou para ele, enquanto Victoria Mancinelli destacou com humor a atribuição do grau de doutor honoris causa ao pai pela universidade McMaster como um exemplo de que, "embora ele não seja a pessoa mais alta que conhecemos, [...] a sua inteligência, generosidade e apoio [a boas causas] continuam a atingir novas alturas".

Holly Pellizzer, que além de directora de CLM tem também beneficiado dos serviços da organização ao longo dos anos como utente, deixou-lhe um agradecimento especial, não só de viva voz e por tudo o que tem feito pela CLM, mas também através de testemunhos em vídeo que destacaram a contribuição do homenageado para outras organizações e causas importantes, incluindo a Larger Than Life, uma organização israelita para crianças com cancro e o hospital St. Joseph de Hamilton.

Por fim, o homenageado foi instado a pronunciar-se e através da sua citação preferida, de que "é possível ver longe quando estamos aos ombros de gigantes", rematou com sentido de humor que isso não se refere à sua "pequena estatura", mas à forma como "cada um de nós depende de todos os outros", deixando claro referir-se aos que tornaram essa noite num sucesso com a sua presença e generosidade.

Joseph Mancinelli reconheceu e agradeceu ainda a presença de cada um dos convidados, destacando o luso-canadiano Jack Oliveira como um "irmão e amigo", e acrescentando nutrir "enorme respeito por este líder laboral, marido e pai – que exemplifica o que a LIUNA tem de melhor".

Ladeado pela esposa, Enza, e rodeado dos filhos, Rosalina, Victoria, Stephania, Michael e Enrico, e os netos Noah e Aiden, o convidado de honra não deixou dúvidas quanto ao que o motiva, afirmando que a família é maior realização da sua vida.

No decorrer do evento fizeram-se ainda duas pausas lúdicas, durante as quais actuaram o tenor Emilio Fina, finalista na edição de 2012 do programa televisivo Canada's Got Talent, e o VIVA Trio.

Quem não soubesse que Joseph Mancinelli além de líder carismático e filantropo é também artista plástico ficou a sabê-lo nessa noite pois nas mesas estavam expostas, em mini cavaletes, impressões em formato de postais de alguns dos seus quadros, que foram postos à disposição dos convidados mediante um donativo.

Entretanto, enquanto uma cópia de um dos seus quadros tinha já conseguido 3.500 dólares no leilão silencioso, foi com um original que se terminou o leilão, arrecadando mais 5.400 dólares para esta boa causa.

Assim, no fim da noite e uma vez feitas as contas, foi com prazer e alegria que foi anunciado o total angariado: 916.818 dólares, quantia que permitirá à CLM levar este Verão mais de 200 jovens deficientes até campos de férias e continuar o seu trabalho beneficente.


Voltar a Sol Português