1ª PÁGINA


Canadá/Covid-19: Escolas reabrem no Ontário, excepto em Toronto, York e Peel onde continuam fechadas até 16 de Fevereiro

Apesar da preocupação com as novas estirpes de coronavírus, o número de novas infecções mostra tendência a diminuir, tanto a nível global como no Canadá, embora o de mortes não dê ainda sinais de abrandar.

No início desta semana contabilizavam-se 3,75 milhões de novos casos, o valor semanal mais baixo desde o princípio de Novembro, o que elevou o total das infecções detectadas até à data para 103,9 milhões.

Face aos 75,4 milhões de pessoas que se considera terem já superado a doença, a taxa de recuperação subiu para 72,6 por cento, mas com mais 100.000 falecimentos o número de mortes atribuídas ao vírus ascende agora a 2,24 milhões.

Já a nível nacional registaram-se esta semana cerca de 31.400 casos – também este o número semanal mais baixo desde Novembro – o que elevou o total desde o início da pandemia para 782.000, enquanto que as 709.680 pessoas que superaram a doença fizeram com que a taxa de recuperação subisse para 90,7 por cento.

Com 919 novos óbitos na última semana – o número mais baixo desde há um mês – o número de mortes cifra-se agora em mais de 20.000.

A meio da última semana, uma petição subscrita por virologistas, epidemiologistas, médicos e outras entidades do sector da saúde designava as novas variantes do coronavírus – consideradas mais contagiosas e potencialmente mais perigosas – como "um perigo claro e presente" para a saúde e para o bem estar económico do Canadá.

Os especialistas que colocaram o seu nome no documento consideram por isso que o combate à infecção merece uma resposta muito mais dura de Otava, incluindo a realização de "um teste válido de Covid-19 a todos os que cheguem" ao país, quer por via aérea ou terrestre, "sem isenções para ninguém, incluindo trabalhadores essenciais e tripulantes".

Face à escassez de vacinas, o Departamento de Aquisições do governo federal debate-se agora também com dificuldades em adquirir seringas menores para administrar a vacina da Pfizer-BioNTech, antecipando-se que o Departamento de Saúde venha a concordar em mudar o rótulo para especificar que cada frasco da preciosa substância contém seis doses em vez das cinco que actualmente indicam.

A companhia solicitou formalmente essa mudança em 22 de Janeiro e, caso o rótulo venha a ser alterado, a Pfizer enviará menos frascos para o Canadá uma vez que o contrato com aquele fabricante assenta no envio de 40 milhões de doses e não no número de frascos.

Os profissionais médicos descobriram por acaso que o uso de seringas menores permitiria extrair mais uma dose de cada frasco, mas essas seringas não são comuns e agora tornaram-se na mais recente mercadoria disputada em todo o mundo após a Europa e os Estados Unidos terem já concordado com a mudança do rótulo no início deste mês.

Previa-se que a partir de ontem (4) começassem a chegar ao país dois milhões dessas seringas, parte duma recente encomenda de 37,5 milhões, enquanto que a Pfizer já passou a contabilizar os frascos como contendo seis doses ao calcular a quantidade a enviar para o Canadá até ao fim de Março.

Entretanto a polémica em torno dos chamados "turistas das vacinas" continua a aumentar, com várias pessoas acusadas de se deslocarem a outras localidades onde as vacinas estão mais facilmente acessíveis.

Recentemente o ex-director executivo da firma Great Canadian Gaming, Rod Baker, e a esposa, Ekaterina Baker, foram acusados de se terem deslocado de avião até uma comunidade remota do Yukon para apanharem a vacina contra a Covid-19.

O casal, que vive em Vancouver, vai ter de responder à alegação em tribunal, após ter sido sumariamente autuado por violar a Lei das Medidas de Emergência Civil daquele território do nordeste canadiano.

Caso sejam condenados, poderão ter de cumprir seis meses de prisão.

No Ontário, o sindicato que representa os funcionários dos correios na área da Grande Toronto indicou que um dos trabalhadores empregados na central de processamento "Gateway", em Mississauga, faleceu com Covid-19.

Até àquela data já tinham acusado infecção com o vírus 250 das 4.500 pessoas que trabalham naquele complexo.

Também as Forças Armadas Canadianas se têm vindo a debater com um aumento significativo no número de soldados infectados com Covid-19 no último mês, com 250 casos positivos desde o final de Dezembro, em contraste com os menos de 700 que ocorreram nos primeiros nove meses da pandemia.

Entretanto o ministro do Trabalho do Ontário, Monte McNaughton, indicou que o governo provincial vai aumentar o número de inspecções às quintas e herdades antes que comece a época das colheitas.

Segundo o ministro, o objectivo é confirmar se estão a ser seguidas as medidas decretadas para proteger os trabalhadores sazonais estrangeiros, que estão previstos começar a chegar ao país nas próximas semanas, salientando no entanto que a inspecção dos alojamentos que lhes são destinados cabe ao governo federal.

Em mais um revés para o sector turístico e de transportes aéreos, a linha aérea Air Transat anunciou a suspensão de todos os voos com partida de Toronto até ao dia 30 de Abril, assim como de algumas das rotas que envolvem Montreal.

Por outro lado, dados publicados recentemente pelo Departamento de Estatísticas do Canadá (conhecido por StatsCan) apontam para uma queda significativa no número de crimes participados à polícia durante os primeiros oito meses da pandemia.

Segundo a StatsCan, houve uma queda de 18 por cento em alguns tipos de incidentes criminais entre Março e Outubro de 2020, em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Em contrapartida, o número total de chamadas em que foi necessário destacar agentes em serviço aumentou oito por cento, particularmente para averiguações relacionadas com o bem-estar de indivíduos, queixas de violência doméstica e problemas de saúde mental.

Na passada quinta-feira (28), numa altura em que o Ontário ultrapassava as 6.000 mortes provocadas pela Covid-19, na China uma equipa da Organização Mundial de Saúde (OMS) terminava o período de quarentena na cidade de Wuhan para começar a investigação à origem do vírus que causou a pandemia – uma missão sujeita a extrema pressão política pois a China quer evitar ser culpada pelos erros cometidos no início da resposta à crise que se alastrou ao redor do mundo.

Entretanto, o major-general Dany Fortin, encarregado de supervisionar a distribuição das vacinas no Canadá, disse que o país vai receber 149.000 doses da vacina Pfizer-BioNTech ao longo desta e da próxima semana.

Trata-se de uma fracção, estimada em 20 por cento, do que a firma se tinha comprometido a enviar antes de reduzir temporariamente a produção para, alegadamente, aumentar a capacidade de fabrico nas suas instalações na Bélgica.

Apesar de tudo, Dany Fortin considera que o Canadá continua no bom caminho para receber quatro milhões de doses da vacina até ao fim de Março.

Na sexta-feira (29), o Primeiro-ministro Justin Trudeau viria a anunciar que também as remessas de vacina da Moderna para esta semana seriam menores do que estava previsto, com apenas 180.000 das 230.000 doses que deveriam chegar ao país.

O Primeiro-ministro esclareceu ainda que quem chega ao país vindo do estrangeiro passa a ser responsável pelas despesas da estadia num hotel para quarentena, enquanto aguarda o resultado do teste obrigatório de Covid-19 que será implementado "assim que possível".

O chefe de estado canadiano anunciou também que as principais linhas aéreas concordaram em suspender os voos do Canadá para as Caraíbas e México até Maio.

Por sua vez, o primeiro-ministro do Ontário, Doug Ford, anunciou que os testes obrigatórios de Covid-19 no aeroporto Pearson, em Toronto, iam começar a ser administrados esta segunda-feira (1) e que a recusa em submeter-se ao teste seria punida com uma multa de, no mínimo, 750 dólares.

Segundo indicou, o Ontário tenciona em breve implementar testes obrigatórios também nas fronteiras terrestres.

A Unidade de Saúde do Distrito de Simcoe Muskoka deu nesse dia conta da existência de 10 casos já confirmados da variante B.1.1.7, do coronavírus, inicialmente identificada no Reino Unido, enquanto que 105 outros testes tinham tido resultados preliminares também positivos.

A dra. Theresa Tam, directora dos Serviços Nacionais de Saúde advertiu os governos provinciais de que, apesar da situação geral mostrar sinais de melhoria, ainda é cedo para levantar as medidas de segurança devido à propagação das novas estirpes do vírus.

Enquanto isso, o Departamento de Saúde da Região de Peel mandou testar todos os funcionários que trabalham nas instalações dos Correios em Mississauga, onde grassa um grande foco de contágio.

No fim-de-semana, quando o país ultrapassava as 20.000 mortes devido ao coronavírus, acendeu-se também uma centelha de esperança com o anúncio de que as autoridades competentes estariam a avaliar uma nova proposta de vacina contra a doença – desta feita proveniente da firma americana Novavax, com a qual o governo canadiano já firmou um contracto para a aquisição de 52 milhões de doses.

Entretanto na segunda-feira (1) o governo federal anunciou que tinha começado a preparar um plano alternativo de acção, caso a União Europeia não cumpra a sua promessa de não interferir com as remessas de vacinas destinadas ao Canadá.

Nesse mesmo dia, 280.000 alunos em regiões menos afectadas pela pandemia no Ontário voltaram às aulas presenciais, enquanto que os seus colegas nas zonas mais afectadas estavam previstos voltar às aulas a 10 de Fevereiro.

Essa data viria a ser alterada na quarta-feira (3) quando o ministro da Educação, Stephen Lecce, confirmou que após consultas com entidades médicas foi decretado que as escolas em Toronto, York e Peel continuariam fechadas até ao dia 16, reabrindo só depois do fim-de-semana prolongado pelo feriado do Dia da Família.

Todas as outras que não estavam ainda em funcionamento voltam à actividade uma semana antes, no dia 8 de Fevereiro.

No entretanto o governo provincial destinou 381 milhões de dólares provenientes de verbas federais para várias iniciativas escolares, incluindo a compra de equipamento de protecção pessoal para os funcionários.

O montante será também aplicado para custear as despesas com aulas de Verão para os alunos que necessitem de reforçar os seus conhecimentos ou que tenham tido dificuldade em acompanhar o ensino online, assim como para que as direcções escolares possam comprar dispositivos para os alunos que deles necessitem poderem aceder às aulas virtuais.

Para colmatar a falta de professores o governo vai também autorizar os finalistas dos cursos de Ensino a leccionarem como professores-substitutos já este ano.

Enquanto isso, um surto infeccioso num dos matadouros da empresa Belmont Meats revelou a presença da variante B.1.1.7 de Covid-19 em alguns dos trabalhadores infectados, segundo o Departamento de Saúde de Toronto, com a planta afectada a encerrar voluntariamente a 28 de Janeiro.


Voltar a Sol Português