1ª PÁGINA


Toronto e Vancouver entre as cidades com custo de vida mais alto em todo o mundo

O preço cada vez mais alto das casas e a estagnação dos salários elevaram Toronto e Vancouver ao patamar das cinco cidades com imóveis mais caros em todo o mundo.

A classificação surgiu num relatório recentemente publicado pelas equipas de especialistas do Instituto da Reforma Urbana e do Centro para a Política Pública Frontier que, através do método "múltiplo mediano" – uma medida dos rendimentos em relação ao preço dos imóveis em que um número mais alto equivale a um mercado menos acessível – avaliou as principais cidades mundiais e pontuou as capitais da Colúmbia Britânica e do Ontário com o segundo e quinto valores mais elevados.

Segundo o estudo, Hong Kong é pelo 11.° ano consecutivo a cidade menos acessível, com uma classificação de 20,7 pontos – uma ligeiríssima melhoria face ao ano anterior (20,8).

Vancouver surge em segundo lugar, com 13 pontos, seguindo-se as cidades australianas de Sydney, com 11,8 pontos, e Auckland, com 10.0, na terceira e quarta posições, respectivamente, enquanto que Toronto finaliza a lista das cinco cidades mais caras com 9,9 pontos.

As cidades canadianas de Montreal e Otava-Gatineau não se classificaram entre as 20 mais caras, mas a situação piorou o suficiente para passarem a ser consideradas "extremamente caras".

Segundo os autores do estudo, a acessibilidade do mercado imobiliário tem-se vindo a deteriorar há décadas, mas a pandemia veio agudizar a situação "tendo em conta o grande influxo de novos compradores, especialmente em zonas suburbanas e mais afastadas" dos principais centros, refere o relatório.

"Em consequência disso, muitos agregados familiares de rendimento baixo ou mediano, que já sofreram as piores consequências da inflação imobiliária, vão ver a sua qualidade de vida regredir ainda mais", refere ainda.

Embora o preço da habitação tenha disparado em muitos centros canadianos, o governador do Banco do Canadá, Tiff Macklem, indicou que só se sentirá preocupado quando se começarem a identificar tendências especulativas.

"Quando verificamos que as pessoas estão a começar a comprar casas só porque acham que os preços vão aumentar, isso para nós é um alerta", esclareceu Tiff Macklem ao discursar a 23 de Fevereiro perante as Câmaras de Comércio de Edmonton e de Calgary.

"Estamos a começar a ver sinais precursores de um excesso de entusiasmo, mas estamos longe da situação que se vivia em 2016/17 quando as coisas estavam realmente ao rubro", afirmou.

Só quatro cidades foram designadas "acessíveis", por terem uma classificação igual ou inferior a três pontos, todas elas nos Estados Unidos: Pittsburgh, Rochester, Buffalo, e St. Louis.


Voltar a Sol Português