1ª PÁGINA


Associação Cultural 25 de Abril:

Capitão Mário Telles convidado de honra no 24.º aniversário

Por Jonathan Costa
Sol Português

Cerca de uma centena de pessoas celebraram no passado sábado (29) os 24 anos de existência da Associação Cultural 25 de Abril (AC25A) num encontro que trouxe ao Canadá como convidado especial o capitão de mar e guerra da Marinha, e engenheiro hidrógrafo, Mário Telles.

Numa noite marcada pela comemoração e tendo por palco o salão de festas da empresa luso-canadiana de banquetes Europa Catering, o serão incluiu, além de alocuções das entidades convidadas, um espectáculo com entretenimento musical proporcionado pelo DJ Zip Zip, pelos cantores Herman Vargas e Victor Martins e pela Tuna Académica Luso-Can Tuna.

"É a primeira vez que estou em Toronto", referiu o capitão Mário Telles, adiantando que "a comunidade tem sido fantástica comigo (e) estou a ser imensamente bem recebido".

Em declarações ao jornal Sol Português, o oficial e engenheiro considerou "um prazer poder estar aqui a representar os valores desta Associação", que são "os valores da revolução de Abril", e defendeu a importância de se continuar a celebrar o 25 de Abril, assim como ensinar a sua importância às próximas gerações.

"Não consigo imaginar a minha vida, o meu país sem o 25 de Abril", realçou, adiantando ser "importantíssimo continuarmos a celebrar este dia, assim como a ensinar aos mais jovens toda a sua importância, para assegurarmos a continuação de uma democracia, da igualdade e justiça para o nosso povo, o nosso país, a nossa felicidade".

A cerimónia, que contou com apresentação de José de Lima, sócio de longa data, teve início com um momento de patriotismo e emoção durante o qual José Goulart, ex-cabo das Forças Armadas Portuguesas e sócio da Associação tocou os hinos canadiano e português na sua harmónica, fardado a rigor.

O público acompanhou-o, cantando em uníssono e de pé, num momento de imenso respeito por ambos os países, após o que se deu então início ao jantar, acompanhado por temas tradicionais portugueses proporcionados pelo DJ Zip Zip, que foi também responsável pelo som ao longo da noite.

No final da refeição deu-se então início às alocuções, com o vereador Joe Mihevc a manifestar a sua satisfação em poder estar presente neste convívio com a comunidade luso-canadiana.

"Esta associação tem um grande impacto e representa uma revolução que para sempre ficará na história como uma das poucas que não derramou sangue para atingir o seu objectivo", afirmou o edil citadino, acrescentando a sua convicção de que a AC25A "irá continuar a crescer e a demonstrar o mesmo orgulho pela sua cultura e pelos valores democráticos que todos defendemos no Canadá".

O vice-presidente da Assembleia-Geral, Luís Morgadinho, foi o próximo a subir ao pódio, agradecendo a presença de todos nessa noite especial e lembrando que "a cada ano continuamos aqui a representar o melhor da nossa democracia, da nossa cultura, e vamos continuar fortes", terminando com votos de "parabéns à nossa Associação e a todos nós que a formamos".

O público pediu também por algumas palavras do novo presidente, Rogério Alves, que exprimiu o orgulho que sentia "de todos os membros deste grupo" destacando que "todos os dias lutamos pelos valores de Abril que nos permitem construir uma sociedade melhor e mais justa".

Depois de agradecer "a todos os presentes, a todos os nossos membros, aos nossos patrocinadores e a todos os nossos fundadores que lutaram para que pudéssemos estar aqui presentes", Rogério Alves reafirmou a sua esperança na juventude lembrando que "já atravessamos dificuldades em tempos passados, mas hoje estamos aqui fortes e unidos" e "acredito que a geração jovem irá continuar todo o trabalho que temos feito ao longo destes 24 anos".

Mário Telles foi então convidado a partilhar alguns dos momentos que passou ao longo da sua carreira militar em Portugal, "muitos anos na marinha portuguesa, a maior parte do tempo passado na costa lisboeta", como destacou.

"A tropa é uma escola da vida. Ensina-nos sobre nós mesmos, sobre o companheirismo, ajuda-nos a crescer mentalmente e emocionalmente. Estou muito agradecido à Marinha Portuguesa por tudo o que me ensinou e é com muita honra que estou aqui a representar esta Associação, que defende todos os valores democráticos que valorizo", afirmou o convidado especial.

A propósito da golpe militar que a 25 de Abril de 1974 provocou a derrocada do governo, Mário Telles é peremptório: "Perdemos demasiados jovens no Ultramar – por volta de 10.000 – demasiados para um país com cerca de 10 milhões de pessoas. Precisávamos de mudança, de uma revolta contra a ditadura".

"Unidos jamais seremos vencidos, um lema que até hoje não nos podemos esquecer, e é por isso que estamos aqui reunidos, a festejar esta linda data desta maravilhosa associação. Obrigado por poder fazer parte desta noite", concluiu.

Após uma fervorosa salva de palmas, Carlos Morgadinho presenteou o convidado com uma medalha comemorativa e entregou um ramo de flores à sua esposa, Maria João Catalão, que o acompanhou nesta deslocação ao Canadá.

A medalha, em tons de prata, comemora o serviço militar de Mário Telles assim como a sua nova relação com a AC25A.

Arthur de Jesus, presidente da Assembleia-Geral, agradeceu a presença de todos e concluiu os discursos formais enquanto a Direcção se reunia para o tradicional corte do bolo de aniversário, enfeitado em tons de verde e vermelho e com o símbolo de um cravo.

Depois de partilhado o bolo com todos os presentes deu-se então início ao serão musical que contou com as prestações dos cantores Herman Vargas e Victor Martins, e da Luso-Can Tuna, levando a que a pista de dança se enchesse com dezenas de pessoas que alegremente bailaram ao ritmo de temas tradicionais portugueses até bem para lá da meia-noite.

A AC25A atravessa actualmente um período de transição na sua liderança, com Rogério Alves eleito presidente do Executivo há cerca de três meses, sucedendo a Carlos Morgadinho.

Em declarações ao jornal Sol Português, o novo presidente – que já ocupou o cargo anteriormente – mostrou orgulho na história deste grupo, assim como alguns dos obstáculos que o colectivo enfrentou ao longo do caminho, desde a sua fundação.

"Esta organização foi criada em 1994, devido ao trabalho e iniciativa de Mário Lebre, um dos nossos fundadores. Não foi um caminho fácil, não éramos aceites antigamente como somos hoje. Fomos designados por muitos membros da nossa comunidade como comunistas devido à nossa ideologia de esquerda. Vários comércios locais rejeitavam qualquer associação ou apoio ao nosso grupo. Mas consoante o tempo foi passando, a mentalidade da comunidade foi mudando, evoluindo, e o nosso objectivo de defender os valores da democracia, da liberdade de expressão, do fim de qualquer ditadura, foram cada vez mais aceites. Hoje estamos aqui, uma organização forte e saudável", concluiu.

Devido ao escasso tempo disponível para Rogério Alves desde a sua eleição, foi o presidente cessante, Carlos Morgadinho, quem se encarregou de organizar esta noite de celebração e gala pela última vez.

O director da AC25A assumiu as suas razões para abandonar o cargo: "Devido a problemas de saúde, decidi colocar o meu lugar à disposição. Cada ano que passa fica mais difícil. Já fui presidente há vários anos e é sempre bom receber uma nova voz no comando do nosso grupo".

Quanto à sua continuidade na organização, "irei continuar a prestar o meu serviço, agora como director e continuarei encarregue da nossa revista, que continua a crescer", acrescentou, desejando "toda a sorte" ao novo presidente e um agradecimento especial ao filho, Luís Morgadinho, "assim como a todos os nossos patrocinadores, na organização desta bela noite de gala – estou imensamente orgulhoso desta data e de toda a história da nossa Associação", afirmou.


Voltar a Sol Português