1ª PÁGINA


Casa do Alentejo propõe Fim-de-Semana Cultural em Outubro

Por João Vicente
Sol Português

Este ano a Casa do Alentejo de Toronto (CAT) vai celebrar um Fim-de-Semana Cultural de 19 a 21 de Outubro, passando a sua habitual Semana Cultural Alentejana a realizar-se em Fevereiro.

O anúncio foi feito na passada sexta-feira (28), numa conferência de imprensa que decorreu na sede da colectividade e durante a qual foram reveladas algumas das componentes do programa, ainda em fase de finalização.

"Penso que vai ser um projecto bastante rico em termos culturais", afirmou o presidente da CAT, Manuel Brito Fialho, referindo-se ao leque de mostras e actividades que estarão patentes ao público ao longo daqueles três dias e que, como revelou, se proporcionou graças a uma iniciativa em curso que abrange várias Câmaras Municipais do Alentejo.

Referia-se ao projecto Art Fest Patrimónios Internacional, fruto de uma parceria entre os municípios de Évora, Elvas, Beja, Cuba, Vidigueira e Portel, e que tem também um espectáculo agendado no Brasil.

Segundo os dirigentes, a CAT procurava alinhar alguns artistas que participaram do Festival de Cultura de Beja para participarem na sua Semana Cultural quando lhes foi indicada a existência deste projecto, que engloba artistas e exposições que reflectem a alma, criatividade, cultura e artesanato da região alentejana, além de ter também o mandato da sua divulgação.

O facto das datas coincidirem com a apresentação da tradicional Semana Cultural juntou o útil ao agradável, por assim dizer, preenchendo assim aquilo que teria sido este ano uma lacuna devido à mudança da mesma para Fevereiro.

Além de Brito Fialho, participaram na conferência de imprensa a relações públicas da CAT, Rosa de Sousa; a presidente da Assembleia-Geral, Cristina Marques; e o vice-presidente do Executivo, Jaime Nascimento, cabendo a este último expor em mais detalhes os artistas e actividades previstas.

Segundo revelou, será apresentado o filme Marfim, do jornalista Luís Godinho, que se assume como "um olhar invulgar sobre o centro histórico de Évora", um projecto destinado a assinalar os 30 anos da passagem de Évora a Património Mundial da Humanidade e que contempla o centro da cidade na visão de 20 artistas de diferentes áreas.

O colectivo de artes e artistas que aqui se desloca trará também uma exposição de fotografia, da autoria de Rui Diogo Castela, Carlos Gasparinho, Telmo Rocha e Beatriz Rocha, "que pretende colocar em evidência a ligação entre o Património Material e Imaterial do Alto, Baixo e Alentejo Central", assim como o artesanato regional através dos chocalhos de Alcáçova – já designados Património da Humanidade – das mantas alentejanas, de Mértola e dos tapetes de Arraiolos.

Não faltará também muita música, desde a canção nacional ao cante alentejano, estilos musicais caracteristicamente portugueses e classificados como Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO, a par de projectos de fusão com outras sonoridades lusófonas.

Assim, o fado vai estar representado na voz de Duarte, artista natural de Évora e que traz a Toronto o seu mais recente lançamento, "Só a Cantar", o quarto trabalho discográ-fico depois de "Fados Meus" (2004), "Aquelas Coisas da Gente" (2009) e "Sem Dor Nem Piedade" (2014).

Os Dona Zéfinha, vindos de Portel para demonstrar o tradicional cante alentejano, são um grupo constituído por três jovens com idades compreendidas entre os 17 e 19 anos – Francisco Pestana e Vítor Justino (vocalistas) e Tiago Pinto (viola campaniça) – e que nos três anos desde a sua formação já lançaram um CD, fizeram diversos espectáculos e popularizaram-se a nível nacional ao participarem no concurso "Got Talent Portugal".

Outra das ofertas musicais será proporcionada pelo grupo Zanguizarra, de Arraiolos, que apresenta uma fusão de música portuguesa com música lusófona e que, registando no seu som "marcas do universo rural português", vai beber "de um sensual aroma das culturas brasileira e africana", sem perder, "no entanto, o carácter muito próprio da melodiosa alma lusa".

Destaque ainda para "Bonecos e Campaniça", duo originário de Évora e constituído pelo marione-tista Manuel Dias e o músico Tó Zé Bexiga, que vai apresentar um espectáculo de robertos e marionetas que conta, ao som da viola campaniça, "histórias sem palavras, de bonecos que poderíamos ser nós".

Para este espectáculo, mais acessível aos jovens e crianças, a CAT conta com a participação das escolas Novos Horizontes e do First Portuguese, mas por se destinar, no fundo, a todas as gerações, também estarão presentes participantes dos programas do centro comunitário Abrigo.

Isto de direccionar actividades especificamente aos jovens e de tentar atrair os mais pequenos é algo que o presidente da CAT lamenta tenha sido descurado quando a colectividade teve de se concentrar na componente física da Casa do Alentejo e o reaproveitamento do edifício.

Agora que esse aspecto está bem encaminhado, o foco volta a recair sobre a componente cultural, referindo por isso que gostaria de ver nascer na CAT uma escola de folclore português – não um grupo folclórico, como destaca, mas um projecto para ensinar folclore às crianças.

No entanto, não põe de parte que isso possa levar ao renascimento de um rancho na CAT, que reconhece ter ficado depau-perada quando perdeu o seu grupo, perdendo também muitos jovens que agora fazem falta para revitalizar esta instituição.

Entretanto, e no res-pei-tante a este Fim-de-Semana Cultural, adianta que as datas estão firmes, mas o programa detalhado dos três dias está ainda por definir na totalidade, sabendo-se desde já que o primeiro dia, sexta-feira (19), vai ser dedicado ao cante alentejano, com dois espectáculos.

No sábado (20) vai proporcionar-se o espectáculo de marionetas e à noite o fado vai estar o fado em destaque com a actuação não só de Duarte mas também da jovem Cláudia Pereira, enquanto que o domingo (21) vai contar com uma amostra de cada um dos artistas, centrando-se as actuações em torno de um almoço convívio organizado pela colectividade.

Depois do interregno do Verão, a CAT abre oficialmente a época de actividades 2018-19 amanhã, sábado (6), com um jantar e baile.


Voltar a Sol Português