COMUNIDADES EM FOCO


Dançarina afro-luso-americana começou no folclore e chegou aos L.A. Clippers

A dançarina afro-luso-americana Shaelly Adams, filha de uma emigrante madeirense nos Estados Unidos, descobriu a paixão pela dança nos ranchos folclóricos e chegou ao grupo de dança dos L.A. Clippers e ao festival Coachella.

"Quando era mais nova estava investida em vários desportos e não tinha decidido qual era a minha paixão", disse a jovem dançarina à Lusa. "Mas depois de entrar no rancho folclórico, percebi que o queria mesmo fazer era dançar".

Adams cresceu com uma grande família portuguesa do lado materno e começou a dançar em ranchos folclóricos aos dez anos. "Cresci com muita influência portuguesa e íamos a Festas", referiu a luso-descendente, que chegou a ser fluente em português em criança por causa da mãe e da avó.

Agora, sente mais dificuldade em manter a língua mas indicou vontade de se reconectar com ela. "Quero preservar a cultura", frisou.

Adams tornou-se parte do grupo de dança da equipa de basquetebol profissional L.A. Clippers, Spirit, na temporada 2021/2022. A luso-descendente explicou que o trabalho de animação do grupo é algo inovador em relação às equipas de `cheerleaders' mais comuns.

"Os Clippers são muito baseados em hip-hop, não usamos pompons nem roupas exuberantes", descreveu. "Durante tanto tempo nesta indústria, onde a audiência é sobretudo masculina, as coisas foram direccionadas para os homens. Agora vivemos numa era diferente".

Aos 21 anos, Shaelly Adams estuda Comunicação na Universidade Estadual da Califórnia em Fullerton, a cerca de 40 quilómetros de Los Angeles, e conjuga os estudos com a dança profissional, que pode exigir treinos e ensaios de várias horas por dia. "É um trabalho fisicamente exigente".

Agora que a temporada de basquetebol terminou, Shaelly Adams vai dançar no novo espectáculo da Disneyland "Tale of the Lion King", que estreia no final de Maio no Fantasyland Theatre do parque temático.

"É um elenco todo afro-americano e tem sido muito interessante", afirmou. "Vou fazer isso durante o Verão e ver que outras oportunidades surgem".

Já em Abril, a dançarina também se estreou no icónico festival de música Coachella, a dançar para a cantora Olivia O'Brien, no que foi a concretização de mais um sonho.

"Nunca tinha estado no Coachella. Muitas pessoas, muita energia e adrenalina", descreveu. "E definitivamente muito pó".

A ambição de Shaelly Adams, depois de terminar a formação superior, é "ir ver o mundo" e dançar com grandes artistas, como Lady Gaga ou Janet Jackson.

"Quero muito viajar com a dança", afirmou. "Se puder ir dançar a Portugal será uma oportunidade incrível", disse, referindo que a família teve de cancelar a viagem que estava prevista para o ano passado devido às restrições da pandemia de covid-19.

"Agora que sou mais velha e fui sempre tão influenciada pela minha família e pela cultura, adoraria ir e experimentar Portugal do meu ponto de vista", acrescentou. A família da dançarina está baseada no norte da Califórnia, na zona de Fremont, enquanto ela reside na zona de Los Angeles.

Olhando para um horizonte mais longo, a ideia da luso-descendente é aplicar a formação em Comunicação na área do entretenimento e turismo.

"Depois de parar de dançar, gostaria de fazer direcção criativa para artistas ou filmes", indicou. "Gosto de fazer parte da arte de contar histórias na indústria do entretenimento e gostaria de contar histórias através da minha visão e da minha experiência".


Voltar a Comunidade em Foco


Voltar a Sol Português