1ª PÁGINA


14.º Concurso de Cantores:

Haverá pelo menos três concorrentes luso-canadianos na final

Por João Vicente
Sol Português

A primeira de duas semifinais do Concurso de Cantores com John Santos (SCJS na sigla em inglês) teve lugar no passado sábado (29) na Casa do Alentejo de Toronto e três dos cinco finalistas apurados são luso-canadianos: Sabrina Barreto, que passou à final na categoria juvenil, e Jennifer Ramalho e Patrick Lopes, no escalão de adultos.

Jennifer Ramalho registou uma das melhores actuações dessa noite com a sua interpretação do êxito de Lady Gaga "I'll Never Love Again", revelando apenas algum nervosismo por detrás de uma postura firme e voz forte e segura mesmo no final, quando agradeceu a seguir à última palavra da canção e pareceu querer sair do palco, ainda soavam as últimas notas.

No seu todo, porém, foi a apresentação mais polida da noite pois munida de uma voz forte mas de timbre agradável, a concorrente conseguiu cativar a atenção da plateia que irrompeu em sincero aplauso.

A jovem, que nasceu no Canadá mas cresceu em São Miguel, revelou que pelo menos parte do nervosismo se devia a ter-se enganado na letra no ensaio no dia anterior por isso tinha um pouco de receio que isso voltasse a acontecer.

Jennifer era arquitecta em Portugal e embora tivesse feito uma pausa no canto para estudar, já lá havia concorrido ao programa dos ídolos e agora decidiu "vir atrás do sonho".

Diz por isso que esta "foi uma experiência" e que mesmo sem saber "se este concurso abrirá portas para outras" tentativas, confessa que ficou surpreendida pela positiva.

Afirma-se pessimista por natureza, por isso não tem expectativas para a final, apenas indica que irá acrescentar a música "Valerie", de Amy Winehouse, ao seu reportório e faz votos de que tudo corra pelo melhor.

O seu colega, Patrick Lopes, já antes chegou à final e na verdade esta é a terceira vez que concorre no SCJS, mas longe de ver isso como algo negativo, considera que é como "levantar-se depois de cair".

Como explica, "torna-se mais difícil [voltar a concorrer depois de não ganhar] mas isso torna-nos mais fortes" e a dificuldade é mesmo ultrapassar o sentimento de chegar tão longe e não ganhar.

Desta vez Patrick apresentou-se com o tema "Someone You Loved", de Lewis Capaldi, e embora a assistência e júri lhe tenham dado votos suficientes para passar à final, no seu jeito contraditório – humilde mas confiante – considera que esteve "bastante OK".

"Ouvi chamarem o meu nome do palco e é só isso que interessa – ainda aqui estou para lutar mais um dia", afirmou.

Patrick Lopes, que diz ter sido influenciado por John Lennon e Vance Joy, afirma, calmo e confiante, que mesmo que não ganhe desta vez, vai "continuar a tentar".

A concorrente juvenil luso-canadiana que nessa noite saiu apurada para a final, Sabrina Barreto, afirmou sentir-se "muito bem" perante o resultado alcançado.

"Significa que tenho hipótese de ganhar, o que seria maravilhoso porque poderia ser o próximo passo no meu percurso musical", disse a jovem, que é filha de mãe portuguesa e pai brasileiro e que nessa noite interpretou a canção "Rise Up", de Andra Day.

Segundo a mãe, Sandra Roca, que já foi também ela uma concorrente neste concurso, "é fantástico" ter uma pequena estrela lá em casa, pois a Sabrina "adora cantar e está sempre a cantar".

A jovem de 12 anos diz que o seu plano para a final, onde vai interpretar esta canção e o tema "What About Us", de Pink, é "praticar, praticar até conseguir atingir a perfeição, ou quase", e depois tentar o seu melhor.

Mais do que isso não se pode exigir de ninguém e Alex Andronache, um técnico de som e instrutor veterano da indústria musical que fez parte do júri, manifestou-se especialmente impressionado com a confiança dos cantores mais novos ao "saltarem para aquele palco e cantarem uma música dos Imagine Dragons ou de Sam Smith", isto com uma idade em que, como refere, "eu ainda nem sabia usar um taco [de basebol]".

A seu ver, "é emocionante testemunhar" a forma como os jovens "estão tão empenhados naquilo que fazem" opinando que "caso decidam continuar, podem muito bem ter carreiras nesta indústria", já que pelo que observou, com um investimento de tempo, qualquer um deles pode elevar o seu nível ou – como gosta de afirmar – "nenhum deles sofre de nada que 20 ou 30 espectáculos não consigam curar".

Além de Alex Andronache, o júri foi constituído nessa noite por Valter Barberini, Patrick Albernaz, Jheo Navarro e Trevor Shelton, e foi o resultado da sua votação, juntamente com os votos do público, que levou dois jovens e três adultos à final.

Além dos luso-canadianos, passaram também Ishaan Grotra, na categoria juvenil, com o tema "I'm Not The Only One", de Sam Smith, e Tasheena Doxtator, na categoria de adultos, com a canção "I'd Rather Go Blind", de Etta James.

Tal como tem vindo a acontecer em cada uma das etapas, a apresentadora da SCJS TV entrevistou os participantes de cada categoria no final das actuações dos respectivos grupos, dando ainda oportunidade aos juízes para colocarem algumas questões aos concorrentes.

Durante o intervalo foram exibidos telediscos da vencedoras da 12.ª edição do SCJS, "It's All Good", de Melissa Clement (escalão juvenil) e "Hopeless Hearts", de Keeana Cerezo (escalão de adultos).

Não se qualificaram nessa noite as jovens luso-canadianas Cassie Acevedo e Isabela Antunes, assim como Abigail Murphy, Loren Aronov, Mia Baron, Camille Orate, Julia Romanelli, Nivedita Motiram, Shane Aludud e AJ Manuel.

Contudo, todos eles voltarão amanhã, sábado (7), a tentar a sua sorte, juntamente com os adultos Carine Sroujian, Crystal Jones, Sarah McLennan, Tanya Yousofi, Justine Fong, Janiah Brown, MJ Thompson, Samantha Pearson e Talise Mulholland, no decorrer da segunda semifinal.

A votação da plateia e do júri irá seleccionar mais três jovens e dois adultos para a grande final, que irá realizar-se no dia 25 de Abril no Centro de Convenções Pearson, em Brampton.


Voltar a Sol Português