1ª PÁGINA


Semana Cultural Beirã:

Noite de Fado enche Casa das Beiras em véspera da despedida

Por João Vicente
Sol Português

Quase na conclusão de mais uma Semana Cultural Beirã, o fado esteve em destaque na noite de sexta-feira (29) e o público correspondeu e acorreu ao evento, enchendo a Casa das Beiras de Toronto para escutar um naipe de artistas em actuações bem variadas mas todas elas agradáveis e de qualidade.

O mestre-de-cerimónias foi o radialista da emissora CHIN, António César, que logo após o jantar regional apresentou o Grupo de Fado da Estudantina Universitária de Coimbra que interpretou quatro temas.

"Saudades de Coimbra", de Mário da Fonseca, foi seguido de "Canção das Lágrimas", de Armando Góis, "Menino de Oiro", de Zeca Afonso e "Fado Hilário", de Augusto Hilário.

Pelo aplauso, a assistência fez-lhes saber que era preciso cantar mais uma e a "Balada da Despedida" foi praticamente cantada a uma só voz com o público, pelo menos no que toca ao refrão, com os cantores, Mauro Sérgio da Silva, Daniel Monteiro, Carlos Pinho e Rui Cruz a tomarem conta das outras estrofes, sempre acompanhados por Gonçalo Oliveira e Miguel Luís na viola e Diogo Mendes e Emanuel Moreira na guitarra portuguesa.

Seguiu-se a intervenção do fadista que foi também o responsável por esta noite especial, João Brito, e que com este evento marcou também o início de uma digressão de 25 espectáculos para comemorar um quarto de século de carreira.

Durante a sua actuação nessa noite, João Brito interpretou os temas, "Saudade", de Linhares Barbosa e Carlos Ramos, "Tudo me deixa", de Moita Girão, "Renascer", de Pedro Rodrigues e João Dias e ainda "Chico Sapateiro", de Paulo de Carvalho.

O fadista por várias vezes declarou o seu nervosismo e contentamento por ser a primeira vez que actuava com lotação esgotada e vários foram também os agradecimentos proferidos ao longo da noite ao principal patrocinador do serão, Hélder Costa, proprietário da padaria Caldense, que assistia na primeira fila, acompanhado da esposa, Lídia.

Antes do intervalo actuou ainda Nancy Costa que com a presença e voz que já lhe são conhecidas, lestamente passou do fado "Cansaço", popularizado por Amália, para outro tema também da rainha do fado. mas mais animado, "O Timpanas", ao que o público respondeu com palmas ritmadas.

A seguir cativou a assistência com um tema da autoria de Jorge Fernando, popularizado por Mariza e que cada vez mais se torna um favorito dos apreciadores de fado, "Chuva", e, para concluir, cortejou mais uma vez os aplausos do público que de bom grado lhos ofereceu ao interpretar "Oiça lá. ó senhor vinho".

Entretanto, no andar de cima, a Estudantina de Coimbra oferecia uma serenata ao pessoal que confeccionou e serviu as deliciosas iguarias.

Indagando junto do público durante o intervalo, constatámos que a maior parte optava pela diplomacia, escusando-se a declarar qualquer preferência face à variedade de vozes e estilos.

Também Lígia Nóbrega e Daniel Lima classificaram todos os intervenientes como "muito bons", sem esconderam os motivos que os levaram até à Casa das Beiras, nomeadamente o fado de Coimbra e o desejo de apoiar a colectividade beirã e a sua Semana Cultural.

Já Rosa de Sousa, há muitos anos envolvida na Casa do Alentejo e conhecida apreciadora de fado, decidiu elaborar mais um pouco dizendo que gostou de todos, e classificando João Brito "mais fadista", Nancy Costa "mais fado canção, e os estudantes já se sabe que tocam-nos no coração".

Mas nem só de música e artesanato se tratou nesta Semana Cultural uma vez que a outra grande estrela foi a gastronomia beirã, trazida até Toronto pelo chefe António Mendes e pela esposa.

Embora natural da Beira Litoral, o chefe convidado trouxe uma ementa variada, elaborada em consulta com o dirigente da colectividade, Bernardino Nascimento, incluindo cozido à portuguesa, rancho, feijoada e lulas estufadas, além doutros pratos tradicionais.

A doçaria esteve a cargo da esposa e o ponto alto foi o buffet servido no sábado (30) para o encerramento desta Semana Cultural.

Como o chefe António Mendes nos dizia na véspera, "amanhã vou tentar brilhar um pouco com os meus saberes e os meus gostos para agradar a todos os nossos luso-canadianos e aos amigos canadianos que os acompanham".

Entretanto tivemos também oportunidade de conversar com João Brito que ainda antes de começar o espectáculo já tinha ouvido boas notícias de alguns dos patrocinadores. "Fui dar uma entrevista a uma rádio local e enquanto estava a dar a entrevista passámos dois temas do CD do Miguel [Ramos] e logo a seguir dois dos patrocinadores mandaram-me uma mensagem a dizer que posso contar com eles para o ano e que vão aumentar o valor do patrocínio, portanto estou felicíssimo", disse o organizador do evento.

Vindo de Portugal, Miguel Ramos preencheu a segunda metade do espectáculo, uma actuação que abriu com "Aqui na Alma", o título do seu segundo CD e também o primeiro tema que interpretou nessa noite.

Filho do viola Victor Ramos, que tocava no Solar da Hermínia, casa de fados da saudosa Hermínia Silva, há mais de 20 anos que Miguel Ramos está ligado ao fado, principalmente como viola, tal como o pai.

Nessa capacidade já passou várias vezes pelo Canadá, ao acompanhar Camané, Carlos do Carmo e Pedro Moutinho, entre outros, mas apesar de todos estes anos a cantar e a viver o fado no dia-a-dia, considera que só agora começa a carreira de fadista pois "só agora encontrei a minha gente", referindo-se ao produtor, Diogo Clemente, e a Ângelo Freire e Marino de Freitas, que identifica como "músicos de excelência".

O artista, que pertence à prestigiosa agência PG, representante de Camané e Mariza, concluiu declarando: "demorou, mas estou aqui".

De facto, aqui esteve e marcou a sua actuação com uma voz excelente e uma dicção clara e distinta que impressionaram a assistência, que lhe dedicou calorosos aplausos.

O espectáculo concluiu com os três fadistas em palco a interpretarem "Uma Casa Portuguesa", ao que se seguiu a entrega de placas de reconhecimentos.

O acompanhamento musical esteve a cargo dos músicos Hernâni Raposo (guitarra), Valdemar Mejdoubi (viola) e Pedro Joel (contrabaixo), e o trabalho de som foi da responsabilidade de 5 Star Productions.

A Semana Cultural Beirã 2017 concluiu oficialmente no dia seguinte, sábado (30), com um programa que incluiu actuações de Hélder Pereira e da Tuna Estudantina Universitária de Coimbra.


Voltar a Sol Português