1ª PÁGINA


Gala Together Helping Women angaria fundos para auxiliar mulheres com cancro

Por João Vicente
Sol Português

Cerca de um milhar de pessoas participaram no passado sábado (30) num jantar de gala no salão de festas da LIUNA Local 183 a favor da Together Helping Women (THW), encontro que visou angariar fundos para dar continuidade ao trabalho desta instituição de caridade fundada por uma portuguesa.

Ana Pereira foi diagnosticada com cancro da mama há quatro anos e dessa experiência nasceu a ideia para esta organização, mais especificamente quando, após ter completado todos os tratamentos e com a doença em remissão, celebrou o seu 50.º aniversário.

Como nos conta, pediu então aos familiares e aos amigos que se preparavam para comemorar com ela para que, em vez de lhe oferecerem prendas, darem antes uma oferta para ajudar outras mulheres com cancro.

No final da noite e com quase três mil dólares em mão surgiu a ideia de fundar a THW, um processo que não foi fácil pois, como recorda, 95% das portas onde foi bater estavam fechadas.

Ainda assim, agarrou-se aos restantes 5% que lhe deram respostas positivas e correu com a ideia e com o projecto.

O objectivo da THW é auxiliar mulheres de poucas posses com cancro e a ajuda prestada varia de acordo com as necessidades individuais de cada uma, tanto podendo tomar a forma de apoio moral, disponibilizando-se para encorajar e aconselhar telefonicamente as pessoas afectadas a qualquer hora do dia ou da noite, como envolver ajuda nas lides da casa, a fazer compras ou nas deslocações aos médico, ou ainda apoio financeiro com a compra de medicamentos, perucas e próteses.

Presentes neste evento estiveram outras mulheres que já passaram ou estão a passar por situações semelhantes, como é o caso de Rosemary Bastos que em Dezembro descobriu um caroço no seio durante um auto-exame e que, como conta, desde logo ficou receosa, sem querer acreditar no que lhe estava a acontecer.

"O cancro da mama acontece sempre com um vizinho, com um conhecido, mas nunca connosco, mas no meu caso bateu à minha porta e quando vi a cara do médico já sabia que era cancro", diz.

Rosemary, decidiu enfrentar a doença falando muito sobre o assunto, fazendo vídeos e registando todos os períodos por que passou, desde a mastectomia total até à perda do cabelo, das pestanas e das sobrancelhas.

Foi assim que tentou romper o silêncio e o tabu de abordar o assunto, procurando sensibilizar outras mulheres para que despendam 15 segundos para detectar o cancro antes que este progrida sem darem por isso.

Durante a sua odisseia, Rosemary Bastos contou com muito apoio da família, mas os conselhos de Ana Pereira ajudaram bastante, como salientou.

Conheceu a fundadora da THW numa terça-feira, através de uma amiga, e na sexta-feira tinha marcada o seu primeiro tratamento de quimioterapia, e Ana explicou-lhe tudo o que vinha ao seu encontro – já para não falar do poder de ter alguém que a encorajasse ao longo da sua luta, recorda.

"Aquele empurrão de alguém que é uma vitoriosa também e passou por tudo o que eu passei […], o apoio dela para mim foi fundamental e estou agarradinha nela sempre", diz com convicção.

"A Ana sempre me disse: `olhe, agora vai acontecer isto, mas vamos conseguir porque vou estar consigo' ", conta Rosemary, concluindo "estou aqui sem cabelo, sem pestanas nem nada, mas esta doença não me vai vencer e um evento como este é muito importante para pacientes como eu".

Também Patrícia Rocha, que tem apenas 24 anos, tem recorrido aos serviços prestados pela THW.

A jovem considera que ter cancro com esta idade é mais difícil pois ainda tem toda a vida pela frente e tem sonhos e ambições que receia possam não se concretizar, mas pensa positivo e está decidida a lutar e a vencer.

Ana Pereira ofereceu-lhe ajuda para a compra de uma peruca, mas Patrícia Rocha diz que felizmente não precisa de ajuda financeira; no entanto o apoio e o encorajamento que lhe foi dado têm-na ajudado muito, tanto a ela como à família.

Segundo Ana Pereira, a THW pretende ajudar qualquer mulher que lute contra esta doença, independentemente do tipo de cancro de que sofra, tanto assim que no ano passado, aquando da festa inaugural, o tema foi o cancro da mama mas desta vez o encontro teve como foco o cancro do cólon.

Como nos explica, a organização ainda está a ser estruturada – tanto em termos operacionais como financeiramente, pelo que não está ainda a funcionar em pleno, mas conta em breve poder emitir recibos como entidade caritativa para fins da dedução dos donativos na declaração de impostos.

Kelly Malavasi, directora da THW, explica que de momento procuram auxiliar quatro a cinco mulheres por mês, mas o objectivo final é duplicar os esforços por forma a que possam servir mais de 10 pessoas por mês.

O serão contou com Fátima Barros e Luís Ferraz no papel de mestres-de-cerimónia e foi animado pelos espectáculos da cantora Tânia Barbosa e da banda luso-canadiana Unique Touch.

Entretanto, ao longo da noite procedeu-se também à venda de rifas, que tiveram como prémios principais viagens aos Açores e a Portugal continental.


Voltar a Sol Português