1ª PÁGINA


Festas da Senhora da Luz:

Padroeira da Graciosa continua a atrair milhares de devotos em Toronto

Por João Vicente
Sol Português

Vinte e seis anos volvidos desde que José Manuel Bettencourt trouxe para a paróquia de São Mateus a imagem de Nossa Senhora da Luz, com a bênção do pároco e ajudado pela família, as festividades em honra da padroeira da ilha Graciosa continuam a atrair milhares de pessoas até esta paróquia de Toronto.

No fim-de-semana esta celebração de fé mais uma vez se voltou a repetir e José Bettencourt, que continua a presidir à comissão de festas responsável pela sua realização, estava feliz pois nem os aguaceiros que se registaram esporadicamente conseguiram afastar os fiéis.

É-lhe difícil articular exactamente o que o motiva a continuar activo na organização, mas é claro que esta é uma tradição extremamente importante para si e por isso mesmo, embora dizendo há muito que vai deixar o cargo, continua envolvido em todos os aspectos desta realização.

"Já não moro em Toronto, moro fora, mas ando para baixo e para cima todos os dias" e apesar da mudança das circunstâncias, "a vontade é mais forte e a gente nem vê a distância nem o tempo que leva pelo caminho", diz-nos com convicção.

É algo que o toca pessoalmente, reconhece: "é a minha padroeira, é a mãe do céu para mim que sou católico [...] é uma imagem e uma pessoa muito importante – quando estou aflito ou tenho uma necessidade rezo a ela e nunca falta", acrescenta, notando ainda que à falta da mãe, que já faleceu, é na Senhora da Luz que encontra conforto; um hábito que mantém desde criança.

A componente religiosa dos festejos arrancou na quinta-feira (29) com o tríduo preparatório, que abrangeu também o dia seguinte, ficando a noite de sexta-feira (30) para o primeiro arraial, um espectáculo com os artistas Tony Câmara e Lídia Sousa.

O público, porém, foi escasso nessa primeira noite, facto que José Bettencourt reconhece e atribui à falta da sua divulgação uma vez que o voluntário encarregue de preparar o cartaz, por lapso, não incluiu essas actuações no programa.

No sábado (31) as festividades prosseguiram com a procissão de mudança das imagens para a igreja, realizando-se nessa noite novo arraial, desta feita inaugurado pela Banda do Senhor Santo Cristo e ao longo do qual voltaram a actuar Tony Câmara e Lídia Sousa, assim como a banda SoNos, desta feita com grande aderência de público.

As festividades atingiram o seu auge no domingo (1) quando a procissão em honra de Nossa Senhora da Luz saiu à rua, sendo ao longo do percurso acompanhada por milhares de pessoas – não só integradas no cortejo como a assistirem nos passeios e nas janelas e varandas.

Antes ainda já Maria Olívia e Armando Almeida estavam na igreja, determinados a participar deste evento para o qual nos confessaram sentirem-se movidos pela fé.

De igual modo, Fernanda Medeiros dizia-nos participar desta e doutras festas semelhantes, mesmo noutras paróquias, porque, como destacou: "sou católica, acredito, foi da maneira que fui criada e é uma coisa que adoro", rematando: "está no meu sangue".

O pároco de São Mateus, Andrzej Grecki, dá-nos uma explicação sóbria da popularidade desta festa religiosa: "Sejamos nós polacos, portugueses, italianos ou de qualquer outra cultura, acreditamos que Deus escolheu Maria para ser portadora da salvação".

E continua: "Maria trouxe até nós Jesus, que é a luz do mundo, nosso salvador, nosso redentor – louvamos Deus uno e trino por intercessão de Maria, por isso, seja ela chamada Nossa Senhora da Luz ou qualquer outro nome, é a Maria que nos trouxe Jesus para nos salvar".

Um dos muitos fiéis italianos que assistiram a esta procissão foi Pasquale Frangione, que fez questão de sair à porta para melhor apreciar o cortejo, comentando, com um nó na garganta: "isto é formidável, [...] nasci cristão, hei-de morrer cristão [e] isto abre-me o coração".

Jim e Betty McCoy, casal que se mudou para esta zona da cidade há 29 anos, reconhecem estar na minoria. mas afirmam que os seus vizinhos portugueses são boa gente e que desde que existe esta procissão que a aguardam com expectativa, pois são católicos irlandeses.

Um pouco mais adiante, Manuel Vieira e Elisabete Fernandes assistiam da sua varanda e Manuel não hesitou em exclamar: "a minha esposa adora – quer arranjar a casa bem arranjadinha para a procissão", salientando que embora tivessem ido dar um passeio a Barrie, Elisabete certificou-se de que chegavam a tempo.

Para ela, é com um misto de saudade, tradição e religião que aprecia esta procissão de Nossa Senhora da Luz em Toronto, explicando-nos que nos Açores vivia precisamente em São Mateus e isto traz-lhe à memória a festa de Santo António e as procissões que lá se realizavam.

Por ali perto também, Rui e Lurdes Coelho assistiam acompanhados dos filhos, um casalinho de gémeos que Rui nos diz querer que comecem desde bebés a "saber o significado de serem boas pessoas na comunidade e na igreja".

Rui e Lurdes, que se casaram na igreja de São Mateus e pertencem à paróquia, expressaram o seu orgulho por assistirem ao que classificaram como uma procissão linda e bem organizada.

Tudo se deveu ao grupo de voluntários que, juntamente com os 13 elementos que constituem a comissão de festas, ajudaram a levar a cabo este evento.

Rui Madeira foi um dessas dezenas de voluntários e se no sábado vendia rifas, já no domingo ajudava a carregar um dos oito andores da procissão; no fundo o que for preciso, adiantando que gostava de ver ainda mais gente a envolver-se, a participar e a ajudar um pouco pois, como destaca, "isto é para envolver a nossa comunidade".

No Canadá há quatro anos, desde então tem vindo a auxiliar nestas festas, "por gosto", oferecendo-se como voluntário pois tem "três filhos pequeninos e eles gostam disto e como pais ajudamos também e participamos", adiantando ainda estarem "sempre dispostos a ajudar a igreja".

Coube ao pároco ajudante da paróquia de São Mateus, Leszek Kulas, ministrar todos os serviços religiosos, desde o tríduo preparatório à missa da vigília no sábado e a missa solene de domingo, sendo também da sua responsabilidade a homilia após a procissão, que terminou com três vivas a Nossa Senhora da Luz, bem correspondidos pelo público.

Na noite de encerramento das festividades, o entretenimento abriu com concertos das bandas do Senhor Santo Cristo, do Sagrado Coração de Jesus e Lira de Brampton, as quais pouco antes haviam acompanhado o cortejo.

Seguiram-se então os espectáculos com os artistas convidados, Jessica Vidal, Ricardo Cidade e Mário Marinho, que de imediato puseram o público a dançar, fechando o arraial com chave de ouro.

A apresentação dos espectáculos de sexta-feira e domingo esteve a cargo do radialista António César, da emissora CHIN, cedendo essa responsabilidade à colega Inês Pintos no sábado, para cumprir com outro compromisso, enquanto que o som e luzes estiveram a cargo de Steve Ferreira, da 5 Star Productions.


Voltar a Sol Português