1ª PÁGINA


CCPM:

Direcção 2020/21 praticamente inalterada

Por João Vicente
Sol Português

Quer entre os sócios novos quer antigos, incluindo entre os mais experientes administradores do Centro Cultural Português de Mississauga (CCPM), parece existir um consenso generalizado de que a actual Direcção continua a fazer um bom trabalho, pelo que não foi surpresa que na mais recente Assembleia-Geral praticamente todos os elementos fossem reeleitos para um novo mandato.

Exemplo disso é Gilberto Moniz, que durante 15 anos presidiu ao Executivo, nos últimos quatro tem desempenhado as funções de presidente da Assembleia-Geral e que em Janeiro voltou mais uma vez a ser reeleito nesse cargo.

Ele, tal como todos os elementos que integram a Direcção do CCPM para o período 2020/21, foram no passado sábado (1) apresentados oficialmente aos sócios num convívio que celebrou a eleição realizada uma semana antes.

"Foi um ano de muito sacrifício, um ano em cheio", referiu Gilberto Moniz, congratulando a Direcção ao mesmo tempo que aproveitava o ensejo para explicar que uma colectividade com a dimensão do CCPM tem despesas extraordinárias, pelo que além dos generosos patrocinadores com que conta são as realizações semanais que ajudam a equilibrar as contas.

Isso significa um grande esforço e trabalho contínuo por parte de todos os voluntários, mas especialmente do presidente e vice-presidente do Executivo que, como referiu, dedicam muito do seu tempo e energia a idealizar, a organizar e a levar a bom porto todos esses e outros projectos.

Para o serão de sábado coube à banda Unique Touch animar a festa, depressa atraindo muito do público à pista de dança até que, cerca de uma hora depois, era anunciado o momento de proceder ao chamado dos elementos da nova Direcção para assinarem a acta e assim assumirem oficialmente os cargos para os quais foram eleitos.

Assim, e conforme apurámos, além de Gilberto Moniz integram a Assembleia-Geral Vítor Vieira e Alberto Rocha, respectivamente vice-presidente e secretário, enquanto que à frente do conselho fiscal se encontra Alfredo Pita, com Olga Oliveira na vice-presidência e Liza Balestra como secretária.

Tony de Sousa volta a presidir ao Executivo com o apoio do vice-presidente Jorge Mouselo, bem como da secretária Angie Câmara, da vice-secretária Valerie da Silva e de Sandy Mouselo, no cargo de assistente.

Entretanto a tesouraria fica a cargo de Bill da Costa e da vice-tesoureira Esperança Cordeiro, enquanto que Madalena Barreto se responsabiliza pelas relações públicas e Luísa de Sousa pelo aluguer das instalações.

O director do rancho folclórico do CCPM, Brian Vieira, conta com o apoio da ensaiadora Nancy Vieira e do vice-ensaiador Andrew Câmara, o departamento responsável por organizar a participação da colectividade no festival multicultural Carassauga mantém Olga de Oliveira na presidência, com Nélia e Daniella de Oliveira na vice-presidência, enquanto que o departamento de seniores fica a cargo de Carlos Travassos.

Completam ainda os corpos gerentes do CCPM neste mandato um total de 22 directores, designadamente: Alfredo Machado, Hélio da Silva, Manuel Machado, Ana da Mata, João Rodrigues, Odette Pereira, Anna Maria Silva, José Bento Pereira, Orlando Santos, Elizabeth Borges, José Machado, Rafael Pereira, Fernando Silva, José Medeiros, Ricardo Santos, Francisco Antunes, José Sobrinho, Suzy Câmara, Francisco Martins, Leonel Moniz, Tony Barreto e Helena Luís.

Entretanto, o Grupo de Juventude do CCPM (GJ-CCPM) foi constituído com os seus próprios corpos gerentes, apresentando-se o Executivo presidido por Joana Carreira e assistido por Daniella de Oliveira e Michael Mouselo – ambos co-vice-presidentes – Daniella Gomes, no cargo de secretária, e Stephanie dos Santos, como vice-secretária.

Na tesouraria do GJ-CCPM estão Nélia de Oliveira e Nicholas da Silva, respectivamente, tesoureira e vice-tesoureiro, Sara Gomes é a relações públicas do grupo e os directores são: Adam Gomes, André Carreira, Andrew Câmara, Austin Câmara, Daniela Costa, Daniella Vieira, Lídia Fernandes, Paulo dos Santos, Victoria Luís e Victoria Vieira.

No final da cerimónia e após breves palavras do presidente e vice-presidente do Executivo, assim como uma foto de grupo, os Unique Touch deram continuidade à festa.

Aproveitando a ocasião, escutámos alguns dos dirigentes a propósito do que pretendem realizar de inovador no próximo mandato.

Confiante de que o futuro desta colectividade está a ser alicerçado na crescente experiência do vice-presidente Jorge Mouselo e no papel cada vez mais proeminente que a juventude desempenha, Tony de Sousa revela planos para alargarem o Arraial deste ano para dois dias – ao que Jorge Mouselo adianta tencionarem também trazer um artista de Portugal.

Por seu turno, o vice-presidente do CCPM revelou que vai realizar-se pela primeira vez um festival Cultural Português na Câmara Municipal de Mississauga, em Setembro, e que os jovens estão a preparar algo que, como indicou, se for avante e decorrer como planeado, "vai entrar para o Livro de Recordes Guiness".

A propósito de um outro projecto há muito ansiado, a criação de uma escola de música, Tony de Sousa confessa que é algo que vai ter de esperar pois neste momento há muitas coisas a acontecer.

"Já estivemos preparados para este projecto há três anos atrás, mas havia aí umas pessoas que não foram muito honestas connosco e aquilo morreu", lamentou o presidente-executivo, acrescentando que "agora somos nós que não estamos preparados para ele".

Entretanto a dirigente do GJ-CCPM, Joana Carreira, que está envolvida no clube desde criança e integrou o departamento de jovens nos últimos quatro anos, diz-nos que o objectivo é "mostrar [...] que a comunidade luso-canadiana é forte e a juventude tem orgulho de ser portuguesa [para que] as outras pessoas também se sintam orgulhosas da nossa cultura".

Para Helena Luís, que muito embora envolvida no CCPM desde criança, onde aprendeu e mais tarde ensinou português, e onde as filhas integram actualmente o rancho folclórico, esta é a primeira vez que ocupa um cargo nos corpos gerentes – neste caso directora – embora já ajudasse anteriormente como voluntária.

Por enquanto, diz que pretende apenas ouvir e observar antes de opinar ou fazer sugestões, mas recorda-se das enormes festas organizadas antigamente pela juventude e gostava que isso voltasse a fazer parte do ambiente da colectividade.

No decorrer da noite, Tony de Sousa revelou que para além do Festival do Chicharro, que terá lugar amanhã, sábado (8), vai realizar-se para a semana, a 15 de Fevereiro, uma grande festa, dedicada ao Dia dos Namorados.

O serão, para o qual foi convidado a actuar Jorge Ferreira e sua banda, conta já com lotação esgotada mas foi adicionado um segundo espectáculo com o popular artista para o dia seguinte, domingo (16), véspera do feriado do Dia da Família.


Voltar a Sol Português