1ª PÁGINA


Festas da Nossa Senhora da Luz

Bispo de Angra em Toronto nos 25 anos das comemorações

Por Jonathan Costa e Noémia Gomes
Sol Português

As festas de Nossa Senhora da Luz em Toronto celebraram a sua 25.ª edição ao longo do último fim-de-semana, tendo como convidado especial o bispo de Angra, D. João Lavrador, que se deslocou ao Canadá para participar nas comemorações.

Largas centenas de pessoas marcaram presença na igreja de São Mateus para demonstrarem a sua fé e celebrarem a padroeira da aldeia da Luz – pequena povoação da ilha Graciosa no arquipélago dos Açores, de onde esta tradição originou – numa realização que viria a abranger quatro dias de actividades, a começar pelo triduo preparatório ainda na quinta-feira (30).

Entretanto, D. João Lavrador foi o convidado de honra durante um jantar que na noite de sexta-feira (31) decorreu no salão de festas da sindical LIUNA Local 183 e no qual o público teve oportunidade de conviver de perto com o sacerdote.

O encontro precedeu as principais realizações, que dominaram os dias de sábado (1) e domingo (2) e durante os quais o bispo não só celebrou missas solenes em ambos os dias como incorporou a procissão em honra da Senhora da Luz, na qual viria a participar também o bispo-auxiliar de Toronto, Robert Kasun.

Em declarações ao jornal Sol Português, o responsável pela diocese de Angra do Heroísmo confirmou ser a primeira vez que visitava o Canadá, indicando terem-lhe sido feitos "imensos pedidos e convites para estar aqui presente este ano com a comunidade açoriana e portuguesa, para celebrar a nossa querida Senhora da Luz", uma experiência da qual gostou "imenso".

"É uma honra poder estar aqui e sentir-me em casa, com esta enorme diáspora açoriana presente deste lado do Atlântico", referiu D. João Lavrador, enaltecendo "o trabalho e dedicação do padre André [Grecki, da paróquia de São Mateus], que tornou tudo isto possível", ao mesmo tempo que incentivava os portugueses para que "continuem esta tradição e mantenham sempre a vossa fé".

Durante o fim-de-semana, e após a realização da tradicional missa solene ao final da tarde de sábado, as comemorações tiveram início com a realização do primeiro arraial, que decorreu no recreio da escola Católica de São Mateus, adjacente à igreja.

Cerca das 20h00 a animação musical abriu com um concerto da Banda do Senhor Santo Cristo, a que se seguiram as actuações dos artistas Tony Câmara, Victor Martins e Décio Gonçalves.

Ao longo da noite o público foi-se divertindo ao som de temas populares e bem conhecidos da comunidade, entre aplausos, gargalhadas e, claro, muita dança, e nem o calor e a humidade intensa, nem mesmo a chuva miudinha que a certa altura se fez sentir, afastaram o público que encheu por completo aquele espaço.

"É sempre um prazer podermos fazer parte deste evento e celebrarmos as nossas raízes, a nossa cultura e a nossa fé com a comunidade portuguesa, especialmente numa noite especial e histórica como esta", destacou John Medeiros, que preside à Banda do Senhor Santo Cristo.

O espectáculo, que teve produção e realização de som a cargo da equipa da Five Star Productions – como, de resto, aconteceria ao longo de todo o fim-de-semana – viria a terminar com o regresso ao palco do cantor Tony Câmara para a segunda parte da sua actuação.

No dia seguinte, domingo, assinalou-se o último dia dos festejos, altura em que após mais uma missa solene dirigida pelo bispo João Lavrador se procedeu à tradicional procissão em honra da Senhora da Luz, ponto alto das actividades religiosas.

O cortejo, que se iniciou cerca das 15h00, percorreu a Old Weston Road, Rogers Road e várias das pequenas ruas adjacentes à igreja, nos passeios das quais se aglomeraram multidões de fiéis para assistir, uns sentados em cadeiras, outros encostados às paredes dos edifícios, tentando resistir ao calor intenso que se fez sentir durante toda a tarde.

A procissão resultou no corte momentâneo do trânsito local, o que provocou alguma confusão com vários veículos que se viram envoltos pelo desfile e tiveram que esperar largos minutos até conseguirem seguir o seu percurso normal.

As bandas do Sagrado Coração de Jesus e Lira Portuguesa de Brampton acompanharam musicalmente o cortejo, que se realizou ao som de temas de afecto e devoção à Senhora da Luz.

O séquito religioso incluiu, entre vários sacerdotes, D. João Lavrador e o padre da paróquia de São Mateus, André Grecki, bem como o bispo-auxiliar da Região Central de Toronto, Robert Kasun, que afirmou ser "uma honra poder aqui estar com vocês e fazer parte desta ocasião tão especial".

O prelado destacou a natureza hospitaleira do povo português ao referir a forma como foi "muito bem recebido" e elogiou a comunidade portuguesa por mostrar "um espírito forte de união e entreajuda na sua devoção e demonstração de fé".

Também a vereadora e vice-presidente da Câmara de Toronto, Ana Bailão, marcou presença e acompanhou a procissão ao lado dos elementos da Comissão de Festas da Nossa Senhora da Luz, afirmando ser "um orgulho estar com a minha comunidade, a celebrar as nossas tradições e cultura portuguesas".

"Já venho às festas da Nossa Senhora da Luz há imensos anos e penso que representa a grandiosidade da união da nossa comunidade, assim como a fé que a move", declarou a política luso-canadiana que em Outubro vai procurar a reeleição à Assembleia Municipal pelo distrito de Davenport.

A acompanhar os andores, entre os quais se destacava o da Senhora da Luz, contavam-se centenas de devotos que seguiam rezando e cantando em honra da padroeira, incluindo muitas crianças que desfilavam trajadas de anjos ou de menino Jesus.

À conclusão da procissão realizou-se uma pequena cerimónia, altura em que ambos os bispos convidados tiveram oportunidade de discursar, tal como o faria o padre da paróquia.

Deste segmento, destaque para as palavras de D João Lavrador e o seu conselho aos que têm a seu cargo a educação da nova geração: "Não tenham medo da nova cultura, tentem compreendê-la e aceitarem-na, para que possam ensinar aos mais jovens o poder e a importância da fé nas nossas vidas e na nossa felicidade".

Por volta das 18h00 dava-se então início ao arraial, que intercalou as bandas que acompanharam a procissão com os artistas convidados para essa noite, a começar pela Lira Portuguesa de Brampton, seguida da actuação da jovem cançonetista luso-canadiana Victoria Raimundo.

Após uma curta pausa, foi a vez da Banda do Sagrado Coração de Jesus subir ao palco, seguindo-se-lhe Lídia Sousa e logo depois a Lira Portuguesa de Brampton mais uma vez.

O arraial terminou com as actuações dos artistas Mário Marinho e Henrik Cipriano, num divertido espectáculo que proporcionou momentos de alegria, reflexão, nostalgia e muita animação, e que só chegou à sua conclusão já bem depois da meia-noite.

Ao longo de ambos os dias, o local esteve repleto de agradáveis aromas que emanavam das várias tendas e postos de venda de comidas e bebidas, e que, para além de grande quantidade de cerveja, água e refrigerantes gelados que foram vendendo para colmatar o calor, proporcionaram oportunidade aos visitantes para degustarem petiscos, doces e pratos típicos da gastronomia regional, incluindo favas guisadas, fígado, chouriço, mal-assadas e muitos outros.

Enquanto isso, quem procurasse uma lembrança destas celebrações tinha também muito por onde escolher entre os bazares artesanais que vendiam grande número de artigos alusivos à Senhora da Luz e outros ilustrativos das tradições portuguesas.

Para José Bettencourt, que preside à Comissão de Festas de Nossa Senhora da Luz, ao registarem um quarto de século as festas atingiram um marco significativo e "são já uma tradição histórica na comunidade portuguesa de Toronto".

"Dá-nos um orgulho enorme vermos esta casa cheia e a comunidade unida aqui novamente", como destacou à nossa reportagem, salientando que é tudo fruto de um trabalho intenso.

"Somos apenas cerca de 30 voluntários e já andamos a preparar estas festas há cerca de duas semanas. Não é nada fácil. Para tratarmos das flores, da comida, da preparação, é preciso muito trabalho, muita dedicação e agradeço imenso a toda a minha equipa", referiu.

Apesar de tudo, é uma tarefa que abraçam com vontade, por fé e devoção, e, como salienta José Bettencourt, um acontecimento que espera se continue a realizar por "muitos mais anos", pois considera "importantíssimo celebrarmos a nossa cultura" e, neste caso específico, "agradecermos à Nossa Senhora da Luz, que é imensamente adorada por mim e por muitos de nós", concluiu.


Voltar a Sol Português