1ª PÁGINA


CCPM formaliza apresentação dos novos corpos gerentes aos sócios

Por João Vicente
Sol Português

O resultado da mais recente Assembleia-Geral do Centro Cultural Português de Mississauga (CCPM) para a selecção dos seus corpos gerentes para o período 2019/20 foi anunciado oficialmente no passado sábado (2) no decorrer de um convívio que a colectividade designou como o Baile de Apresentação da Direcção.

Tal como já havíamos noticiado, à beira da realização da Assembleia-Geral contava-se que o Executivo passasse a exercer mais um mandato sem grandes alterações e o resultado correspondeu às expectativas, pelo que este encontro viu formalizado o processo com a assinatura do livro de registo numa cerimónia simples e singela que se realizou durante um interregno no espectáculo.

Logo após o jantar convívio e a celebração do aniversário do pequeno Santiago, que integra o rancho folclórico desta colectividade, a noite foi animada pelo conjunto Mexe Mexe e Henrik Cipriano, que depressa levaram o público à pista de dança.

Seria no final da primeira parte desta actuação que se precederia à apresentação individual dos dirigentes eleitos, mesmo os que, por um ou outro motivo, se encontravam ausentes nessa noite.

Um a um, foram chamados pelo presidente da Assembleia-Geral, Gilberto Moniz, a assinar o seu nome no livro de registo, posando depois para uma foto de grupo, numa cerimónia que incluiu também breves alocuções dos presidente e vice-presidente do Executivo, Tony de Sousa e Jorge Mouselo, respectivamente.

No decorrer da Assembleia-Geral que resultou na eleição dos corpos gerentes, e que se realizou no fim-de-semana anterior, foram também seleccionados três sócios honorários, designadamente, Francisco Antunes, Leonel Moniz e Alfredo Machado, facto que foi revelado também publicamente na cerimónia de sábado.

Segundo Tony de Sousa, trata-se de uma distinção que normalmente é atribuída a quem ajuda o clube, seja contribuindo com donativos avultados ou de outras formas, mas entretanto há também aqueles cujo contributo se arrasta ao longo de muitos anos e que merecem esse estatuto como forma de agradecimento.

"Às vezes esquecemos-nos de pessoas que estão aqui dentro a trabalhar e a quem não damos o valor [que merecem]", referiu Tony de Sousa, passando a explicar que o estatuto de sócio honorário é atribuído anualmente mas quando toca a escolher alguém da casa, aí a coisa fica mais difícil.

"No ano passado tive uma dificuldade tão grande que pedi ao presidente da Assembleia-Geral para fazer isso por mim", referiu, indicando que há sempre muitos que merecem esta honra.

Para 2019 e 2020 decidiu, juntamente com Jorge Mouselo, designar três sócios honorários por ano, voltando em 2021 a uma pessoa por ano pois, como explica, há bastante gente que merece e alguns são pessoas que já arregaçaram as mangas há cerca de 20 anos para ajudarem e desde aí não pararam.

Com respeito aos corpos gerentes do clube, Tony de Sousa destacou ter havido apenas uma alteração no elenco, uma senhora, como explica, com quatro netos e que deseja passar mais tempo com a família, mas que se dispõe a continuar a auxiliar o CCPM em alturas de maior necessidade, como por exemplo por ocasião do festival multicultural Carassauga.

Segundo revelou à nossa reportagem, outro assunto abordado durante a Assembleia-Geral foi a possibilidade de alguns dos dirigentes da ala jovem do CCPM que estão já a rondar os 30 anos de idade passarem para a Direcção do clube e darem lugar a outros mais jovens, podendo servir-lhe de mentores para que comecem também a dar os primeiros passos rumo como futuros dirigentes.

Na realidade, nessa noite já esteve envolvido um contingente de adolescentes na preparação das travessas que saíram da cozinha e no próximo mês é possível que a Direcção venha a dar as boas-vindas a dois outros, sinal do diálogo salutar entre gerações e da progressão natural que ocorre nesta casa com vista à sua longevidade.

Segundo apurámos, as próximas realizações de maior destaque no CCPM serão as comemorações do São Valentim a 16 de Fevereiro, um espectáculo abrilhantado pela banda Sagres; o Baile do Continente, a 23 de Fevereiro, com os Tabu; e a celebração do Dia Internacional da Mulher, a 2 de Março, com o cantor Luís Filipe Reis, vindo de Portugal.

Entretanto, os corpos gerentes do CCPM para 2019/20 ficaram constituídos, como já referimos, com Gilberto Moniz na presidência da Assembleia-Geral, tendo Vítor Vieira no cargo de vice-presidente e Alberto Rocha como secretário.

Para além de Tony de Sousa e Jorge Mouselo mais uma vez nos cargos de presidente e vice-presidente, completam o Executivo a secretária Angie Câmara, a vice-secretária Valerie da Silva e a assistente Sandy Mouselo.

Por seu turno, o Conselho Fiscal é composto por Alfredo Pita, Olga Oliveira e Liza Balestra, respectivamente como presidente, vice-presidente e secretária, enquanto que a Tesouraria é composta pelo tesoureiro Bill da Costa e pela vice-tesoureira Esperança Cordeiro.

A relações públicas é Madalena Barreto e Luísa de Sousa está encarregue do departamento de alugueres, com Carlos Travassos responsável pelo departamento de Terceira Idade.

À frente do rancho folclórico do CCPM estão Andrew Câmara e Brian e Nancy Vieira, enquanto que o departamento responsável pela participação do clube na Carassauga está nas mãos de Olga, Mélia e Daniella de Oliveira, respectivamente presidente e vice-presidentes.

O longo rol de directores e directoras é constituído por: Alfredo Machado, Ana da Mata, Ângelo Frias, Anna Maria Silva, Delfina Freire, Elizabeth Borges, Fernando Silva, Francisco Antunes, Hélio da Silva, João Rodrigues, José Bento Pereira, José Machado, José Medeiros, José Sobrinho, Liza Frias, Leonel Moniz, Manuel Machado, Odette Pereira, Orlando Santos, Rafael Pereira, Ricardo Santos, Suzy Câmara e Tony Barreto.


Voltar a Sol Português