COMUNIDADES EM FOCO


Borges Foods:

Churrasco anual beneficente angariou verbas para luta contra o cancro

Por João Vicente
Sol Português

A firma luso-canadiana Borges Foods comemorou no domingo (3) o seu 36.° ano de actividade, efeméride que como tem vindo a acontecer ao longo das últimas duas décadas foi celebrada com um grande churrasco e espectáculo ao ar livre com fins beneficentes.

Este convívio anual atrai sempre largas centenas de pessoas, graças aos saborosos enchidos que tornaram a empresa famosa e que são servidos durante toda a tarde, bem como os vários momentos musicais preenchidos por artistas e ranchos folclóricos que dão ânimo à festa.

"Mais um ano, mais uma festa para agradar à nossa comunidade portuguesa é um orgulho trazer aqui as nossas raízes portuguesas", anunciou Jorge Romeiro, um dos sócios da empresa, ao enfatizar a natureza beneficente deste evento e ao destacar publicamente a ajuda de várias empresas de origem lusa, nomeadamente das padarias e pastelarias Caldense, Nova Era, Trigo e Nova Bakery, entre outras.

Há mais de 20 anos que começaram a canalizar verbas angariadas através da solicitação de donativos e da venda de bebidas e rifas para a organização caritativa Luso Canadian Charitable Society, mas no entretanto adicionaram também a fundação do hospital Princess Margaret como uma das obras merecedoras de apoio.

Assim, há já cerca de uma década que têm vindo a alternar entre estas duas organizações, que se dedicam aos deficientes e à luta contra o cancro, respectivamente, sendo este ano visada a fundação Princess Margaret.

"Mais um ano, mais uma angariação de fundos e sempre com a mesma boa disposição, alegria e entusiasmo", como nos dizia Mário Gomes, co-proprietário da Borges Foods salientando que "quando se trabalha para esta comunidade, que nos sustenta através das compras que faz de enchidos e tudo o mais, [esta festa] é uma forma de contribuir" e "uma apreciação que demonstramos aos nossos consumidores".

Contudo, a generosidade da empresa e dos seus sócios não se fica por aqui, já que, como destaca, "nós não resumimos as nossas contribuições apenas a este evento anual" e "todos os meses e até todas as semanas nos aparecem por aqui clubes, associações e até pessoas que precisam e a quem nós damos os nossos donativos sem nunca recusar ninguém só pomos uma condição: só pode ser uma vez por ano, se não damos mais do que vendemos".

Entretanto, e a respeito dos produtos da empresa, Mário Gomes ressalva que tudo passa pela produção de alimentos saudáveis, nas máximas condições de higiene.

"Somos muito esmerados na questão da saúde e daquilo que as pessoas consomem", afirma, salientando que "não adianta nada estar a dar donativos para [a luta contra] o cancro e a fazer produtos que podem provocar o cancro", dai que o empenho seja em aprimorarem o que produzem, aliado à vontade de ampliarem a gama de bens alimentícios que colocam no mercado "sempre com a mesma atenção à qualidade".

A empresa adicionou recentemente à sua gama de enchidos os "Toscana", com receita brasileira, e estão também a importar presuntos e queijos directamente de Portugal, aproveitando o acordo de comércio celebrado entre o Canadá e a União Europeia.

Da qualidade dos produtos Borges Foods advém a sua popularidade e o alto nível de vendas estimula ainda mais a generosidade dos co-proprietários, Mário e Jorge, que ano após ano vão partilhando a sua boa fortuna com quantos decidem fazer-lhes uma visita neste dia.

O evento deste ano decorreu numa tarde que se apresentou um pouco "mal encarada", e a prometer chuva, mas lá se foi aguentando enquanto os apresentadores, Linda Correia e Ziko Pereira, foram chamando ao palco os vários grupos e artistas que colaboraram com esta iniciativa.

Ali viriam a actuar os ranchos folclórico Pérolas do Atlântico, da Nazaré e do Arsenal do Minho, assim como o cantor brasileiro de hip-hop D Snow e os bombos do Arsenal do Minho, numa tarde que chegou a estar bastante animada até que uma forte chuvada finalmente se abateu sobre o local, dispersando as cerca de duas centenas de pessoas que na altura assistiam ao espectáculo.

Faltava ainda actuar o rancho do Centro Cultural Português de Mississauga, cujos elementos, já alinhados e prontos a subir ao palco, tiveram de procurar abrigo rapidamente, e estava ainda agendada a actuação do grupo Searas de Portugal.

Até se verificar a precipitação, o público pôde ir apreciando os excelentes enchidos que dão a esta empresa a merecida fama e que se podem encontrar não só em estabelecimentos portugueses, mas também em estabelecimentos das principais cadeias de supermercados do Canadá.

Entretanto, os co-proprietários, Mário e Jorge, revelaram-se anfitriões exemplares, interagindo com o público e oferecendo no final da actuação de cada grupo ou artista uma placa a assinalar este aniversário e colocando as fitas comemorativas nos estandartes dos ranchos folclóricos.

Uma vez contabilizados os donativos recolhidos, assim como o resultado da venda de bebidas e rifas, esperam ter reunido entre 5.000 a 7.000 dólares que irão reverter este ano a favor da fundação Princess Margaret.


Voltar a Comunidade em Foco


Voltar a Sol Português