SUPLEMENTO DESPORTIVO


Portugal é a nona liga europeia com maiores receitas em 2016/17

A I Liga portuguesa de futebol gerou em 2016/17 uma receita de 366 milhões de euros, sendo a nona liga europeia que mais retorno gerou nessa temporada, revelou quinta-feira um estudo da consultora Deloitte.

Com um crescimento de 6% em relação à época anterior, o campeonato português coloca-se no nono posto entre as 14 principais ligas do continente europeu, numa tabela liderada pela liga inglesa, sendo que a I Liga é "a única dos grandes campeonatos em que os direitos televisivos dos clubes são vendidos de forma individual".

Esta prática resulta numa "desigualdade nas receitas significativa" entre clubes do mesmo campeonato, alerta o estudo, sublinhando que um fosso que é ainda mais profundo tendo em conta a distribuição de verbas da UEFA "pelos mesmos três clubes", Benfica, FC Porto e Sporting, responsáveis por "gerar a maioria das receitas combinadas".

Dos 366 milhões, a maior fatia pertence aos direitos televisivos (190 milhões), seguido dos patrocínios e outras receitas comerciais (88 milhões) e da bilheteira (51 milhões), entre outras fontes mais residuais.

Em média, cada clube luso gera 20 milhões de euros em receitas, sendo que a I Liga conta com 18 equipas, com um rácio de 71% entre receitas e salários.

Num mercado europeu que ultrapassa os 25,5 mil milhões de euros em receitas na temporada de 2016/17, o campeonato que mais se destaca é o da inglesa `Premier League', com uma receita combinada de 5,3 mil milhões, uma subida de 400 milhões em relação a 2015/16, números impulsionados, em grande medida, pelo novo ciclo de direitos de transmissão televisiva, que levou a uma receita recorde.

A 27.ª edição do Relatório Anual das Finanças do Futebol, da Deloitte, mostra que `La Liga' gerou 2,854 milhões em receitas, ultrapassando a `Bundesliga' no segundo lugar da tabela, que cai para terceiro após mais de 10 anos naquele lugar, com 2,793 mil milhões.

A Liga italiana superou em 2016/17 os dois mil milhões de euros em receitas pela primeira vez (2,075 mil milhões), ocupando o quarto lugar da tabela, à frente da `Ligue 1', de França, com 1,643 mil milhões.

Ao todo, as cinco principais ligas (Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália e França) geraram 14,7 mil milhões de euros, outra verba recorde, ainda que a Liga inglesa assuma uma dimensão 86% maior do que a espanhola, a segunda europeia em termos de receitas, sendo que a maioria dos clubes das chamadas `big five' apresentaram resultados operacionais positivos.

Os acordos de transmissão assumem cada vez mais peso no futebol moderno, uma vez que um novo acordo nas duas principais divisões da Alemanha, que entrou em vigor em 2017/18, levará a um crescimento médio de 1,4 mil milhões de euros, apontou a consultora, mas também crescimentos no retorno em Espanha e França, também com novos negócios de TV.

Fora das cinco principais ligas, dois campeonatos se destacam no que toca a receitas, o turco (734 milhões) e o russo (701 milhões), sendo que este último poderá receber um reforço pela organização do Mundial2018 naquele país, "inicialmente através de receita directamente associada ao torneio e, numa escala menor, na influência indirecta que esse legado terá sobre o futebol russo".

Quanto a assistências em estádio, a Liga alemã, com uma média superior a 44 mil espectadores por jogo, continua a liderar a tabela.


Voltar a Golo


Voltar a Sol Português