SUPLEMENTO DESPORTIVO


Gonçalo Guedes `bisa' no derradeiro teste luso, face à Argélia

Gonçalo Guedes assinou ontem dois dos golos da vitória por 3-0 da selecção portuguesa de futebol frente à Argélia, no derradeiro teste antes do Mundial2018, no qual Bruno Fernandes se estreou a marcar pela equipa das `quinas'.

O avançado do Valência acelerou para o `onze' de Portugal, com os dois golos obtidos ontem no Estádio da Luz, em Lisboa, a oito dias da estreia na fase final, frente à Espanha, fazendo dupla no ataque com Cristiano Ronaldo, perante uma seleção argelina praticamente inofensiva.

O avançado do Real Madrid procurou incessantemente coroar a sua 150.ª internacionalização `AA' com um golo, mas os autores dos golos lusos acabaram por ser Guedes, por duas vezes, e Bruno Fernandes - a passe de Cristiano Ronaldo -, que cimentaram as suas candidaturas ao `onze' luso no Mundial2018.

Fernando Santos deu a titularidade ao `capitão', que cedo visou a baliza argelina, num livre direto sobre a direita contra a barreira, sem que João Moutinho conseguisse depois desviar para a baliza, no primeiro minuto, e, aos seis, com um remate de pé esquerdo, ao lado.

O seleccionador português recorreu à estrutura defensiva mais experiente, com Cédric e Raphaël Guerreiro nas alas, Pepe e Bruno Alves no centro e no guarda-redes Rui Patrício, atrás dos médios Bruno Fernandes, Bernardo Silva, João Moutinho e William Carvalho.

Do lado argelino, o seleccionador Rabah Madjer fez alinhar os conhecidos Brahimi e Slimani, que tentaram a primeira aproximação à baliza lusa, aos 16 minutos, num lance sem perigo, tal como a maioria dos avanços africanos.

Portugal era `dono' da bola e Ronaldo chegou a bater o guarda-redes Salhi, aos nove minutos, quando estava em posição de fora de jogo, mas, mesmo com a facilidade na circulação de bola e na chegada à linha de fundo, foi através de um lançamento longo que o primeiro golo chegou.

Aos 17 minutos, William Carvalho, com uma abertura a meio-campo, desmarcou Bernardo Silva que, já na área argelina, assistiu de cabeça para Gonçalo Guedes dar vantagem à equipa das `quinas, com um remate frontal fora do alcance de Sahli.

Em vantagem, Portugal concedeu alguns espaços, desaproveitados pela Argélia, apesar das intenções de Brahimi e de Boukhanchouche, que mais não conseguiam do que trocar cruzamentos longos, e de uma investida da `estrela' Mahrez.

Perante o desacerto adversário, sobretudo defensivo, Portugal retomou facilmente o domínio e voltou a marcar, aos 37 minutos, com o primeiro golo pela selecção de Bruno Fernandes, num desvio de cabeça a um cruzamento de Ronaldo da ala esquerda.

Brahimi e Mahrez continuavam a destoar na seleção africana e, apesar da luta desigual, o portista ainda conseguiu visar a baliza portuguesa antes do intervalo, mas só ganhou um canto.

O arranque da segunda parte repetiu o início do jogo, com Ronaldo à procura do golo e Gonçalo Guedes a marcar.

Em dois minutos, o avançado do Real Madrid desaproveitou uma intervenção incompleta de Salhi, arriscou um `tiro' de livre para defesa do argelino e ainda fez um passe quase remate - para Guedes, que não chegou a tempo.

Tardou três minutos o terceiro golo luso, novamente pelo avançado do Valência, com um remate forte, de cabeça, correspondendo a um cruzamento `letal' de Raphaël Guerreiro, da esquerda, aos 55.

O primeiro remate enquadrado dos argelinos foi protagonizado pelo suplente Bounedjah, aos 72 minutos, imediatamente antes de Fernando Santos trocar Ronaldo por André Silva e desviar Guedes para a ala esquerda.

Aos 82 minutos, os mais de 50 mil presentes na casa do Benfica ainda celebraram novo golo, da autoriza de João Mário, mas o lance viria a ser invalidado pelo VAR devido a um toque com a mão de Gonçalo Guedes, na receção de um cruzamento de Ricardo Quaresma.

Perto do fim do encontro, Bounedjah voltou a testar Rui Patrício, que defendeu o cabeceamento do avançado do Al Sadd, mas acabou o encontro com queixas na perna direita.

Portugal somou o segundo jogo consecutivo sem sofrer golos, depois do `nulo' diante da Bélgica, num `amigável' em que testou a eficácia ofensiva, mas não foi verdadeiramente posto à prova defensivamente.

A selecção campeã da Europa estreia-se no próximo dia 15 frente à Espanha, em Sochi, em jogo do Grupo B do Mundial2018, no qual vai ainda defrontar Marrocos, em Moscovo, a 20, e Irão, de Carlos Queiroz, a 25, em Saransk.

Declarações:

- Fernando Santos (Seleccionador de Portugal): "Nem tudo esteve bem. Houve coisas boas, mas ainda há coisas para melhorar.

Nos primeiros 25 minutos, a equipa esteve bem, muito compacta, com bons movimentos ofensivos e a reagir bem à perda e fez com que a selecção da Argélia parecesse um pouco mais fraca do que é. Tem tês grandes jogadores na frente, Mahrez, Brahimi e Slimani, que deixa saudades em Portugal, e se não brilharam foi por mérito da minha equipa, que esteve bem e concentrada.

Fizemos um golo e podíamos ter feito mais. Depois, o ritmo baixou, com cruzamentos, o que é normal, mas depois voltámos ao normal e fizemos o segundo golo.

Na segunda parte, até aos 70 minutos, as coisas mantiveram-se, mas, depois, com as substituições, o ritmo baixou, mas mesmo assim podíamos ter feito mais golos.

Vamos ter que crescer, afinar algumas coisas. Vamos continuar a crescer com o campeonato (do mundo), nunca vi uma equipa antes da prova já estar na sua plenitude".

- Bruno Fernandes (autor do segundo golo de Portugal): "Fizemos um bom jogo. Entrámos forte e demonstrámos que queríamos ganhar.

Estou muito feliz pelo meu primeiro golo na selecção. Lugar no onze? O lugar ganha-se durante os treinos, com muito trabalho. Dei o meu melhor e daqui para a frente é continuar a fazer o mesmo.

Este último jogo foi muito importante para acabar a fase de preparação e chegar em alta ao Mundial".

- Bruno Alves (jogador de Portugal): "É importante vencer, bem como marcar golos e não sofrer. Temos que continuar assim, concentrados.

Eu quero ajudar a equipa e a competição entre os jogadores é saudável. Seja quem for que o mister escolha, está preparado.

Temos que pensar jogo a jogo e temos um jogo muito difícil, logo contra a Espanha, mas estamos muito bem e queremos é começar a ganhar".

- Gonçalo Guedes (autor de dois golos de Portugal): "Estivemos bem e cumprimos com o que o `mister' nos disse. Sabíamos os pontos fracos da Argélia e fizemos um grande jogo. Estamos a tentar chegar ao Mundial nas melhores condições possíveis.

Quero jogar o máximo de minutos, ajudar a selecção, trabalhar e evoluir dia após dia, para poder estar na condição máxima.

Mais importante do que os golos que marquei, é o bom jogo da equipa e a evolução que estamos a ter para estarmos preparados para o Mundial".

- Yacine Brahimi (Jogador da Argélia): "Sabíamos que era um jogo complicado, contra uma grande equipa, com grandes jogadores. Fizemos tudo o possível contra uma grande equipa, campeã da Europa e procurámos dar o nosso máximo.

É bom fazer estes jogos e temos que continuar a trabalho muito para evoluir.

Portugal tem grandes jogadores e pode ir longe no Mundial, mas vai ser complicado, porque há muitas selecções candidatas".


Voltar a Golo


Voltar a Sol Português