ARTES E CULTURA


Peça portuguesa Do bosque para o mundo abre Festival de Avignon em França

A peça "Do bosque para o mundo", de Inês Barahona e Miguel Fragata, que tenta explicar aos mais novos o drama dos refugiados, será apresentada em Julho no arranque do Festival de Avignon, em França.

A 72.ª edição do Festival de Avignon decorrerá de 6 a 24 de Julho e do programa fará parte, no primeiro dia e com sessões ao longo de Julho, a peça "Do bosque para o mundo", numa tradução francesa interpretada pelas actrizes Émilie Caen e Anne-Élodie Sorlin.

Estreado originalmente em 2016, no Teatro Municipal São Luiz, em Lisboa, "Do bosque para o mundo" pôs em palco Anabela Almeida e Manuela Pedroso, narradoras de uma história sobre crianças refugiadas.

Por entre malas de viagem de vários tamanhos e feitios e um gigante mapa da Europa, as personagens da peça traçam a viagem dos irmãos Farid e Reza, duas crianças afegãs enviadas pela mãe com destino a Inglaterra, e que se separam durante o percurso.

"Começámos à procura dos grandes temas informativos e a crise dos refugiados foi um deles. Começámos à procura de histórias que fossem contadas na primeira pessoa, de crianças refugiadas. E ficámos tão envolvidos pelo tema que achámos que era sobre isto mesmo que tínhamos de falar", contou Miguel Fragata à agência Lusa, quando a peça se estreou em 2016.

À Lusa, Inês Barahona explicou que a intenção da peça é falar sobre o drama de quem foge de cenários de conflito e "dar espaço e confiar na inteligência das crianças para que façam a sua leitura e a sua reflexão". "Quando isso acontece, as questões naturais de cada um emergem".

Depois de Lisboa, "Do bosque para o mundo" já foi apresentada noutras cidades portuguesas, como Torres Novas, Guimarães, Coimbra e Oeiras, e também já esteve em Paris, no Théâtre de la Ville.

Em Outubro estará em Montemor-o-Novo e, no primeiro trimestre de 2019, vai regressar a França para o festival de Liège e, novamente, para o Théâtre de la Ville, em Paris.

No Festival de Avignon, considerado um dos mais relevantes na área do teatro, estará ainda o espectáculo "Pur Présent", escrito e encenado por Olivier Py, numa co-produção com o Teatro Nacional D. Maria II, enquanto a autora Joana Craveiro, do Teatro do Vestido, participará no fórum de escrita para teatro.


Voltar a Artes e Cultura


Voltar a Sol Português