1ª PÁGINA


Semana de Portugal:

Imigrantes pioneiros homenageados junto a monumento no High Park

Por João Vicente
Sol Português

Os chamados "pioneiros" da imigração portuguesa para o Canadá – aqueles que vieram durante as primeiras vagas de imigração legal de Portugal para Terras de Corte Real, nos anos '50, e "abriram" caminhos que muitos outros viriam mais tarde também a seguir – foram recordados no passado domingo (3) numa homenagem que se realizou junto ao padrão dos Descobrimentos no High Park, em Toronto.

A singela cerimónia, parte do calendário das comemorações da Semana de Portugal organizadas pela Aliança dos Clubes e Associações Portuguesas do Ontário (ACAPO), mais uma vez decorreu junto àquele monumento erigido em sua honra e nela foram referidos alguns dos nomes que ficarão para sempre associados ao fenómeno migratório que aqui viria a constituir uma das grandes comunidades portuguesas na diáspora.

Na sua alocução, José Eustáquio recordou que o saudoso António Sousa, que foi um desses pioneiros vindos nos anos '50, pai do ministro das Finanças do Ontário, Charles Sousa, faria anos no domingo se fosse vivo.

O dirigente da ACAPO reconheceu também a presença nesse dia de António Viola, que chegou ao Canadá em 1952, quase um ano antes do navio Saturnia ter atracado na doca 1, em Halifax com o primeiro contingente oficial de imigrantes portugueses, a 13 de Maio de 1953.

Mário Viola, filho deste pioneiro, explicou que o pai fez parte de um grupo de seis portugueses que chegaram ao Canadá a 7 de Junho de 1952, e aqui viria a trabalhar um pouco por todo o país, incluindo na Terra Nova, em Frobisher Bay; nos territórios do norte (Nunavut); na Colúmbia Britânica, em Kitimat: e vários outros locais.

Referindo-se com humor à casa em que viviam na altura como a "Vila Viola", Mário Viola ainda se lembra de muita gente que por ali passou, sobretudo nos anos '60, e encontrou o primeiro porto de abrigo enquanto tentava descortinar o seu rumo nesta terra.

As coisas não foram fáceis para o pai e para Mário, que veio com 16 anos, deixando os amigos para trás numa fase em que os amigos são tudo.

Confessa que teve dificuldade em se ambientar, apenas se sentindo canadiano passados alguns anos, quando se casou e se naturalizou.

"Agora até parece fácil arrumar uma mala, marcar um bilhete e partir em busca dos nossos sonhos, mas em 1953, sem falar a mesma língua, sem dinheiro nos bolsos e sem saber o que os esperava do outro lado, imaginem as dificuldades que [os pioneiros] não passaram para que hoje pudéssemos estar aqui", enfatizou Katia Caramujo, lembrando que "por isso é importante manter, dentro de um vasto programa de celebrações, um momento para [lhes] expressar a devida homenagem".

A dirigente da ACAPO viria ainda a agradecer o contributo e o apoio dos restantes elementos que compõem a comissão ad-hoc, à qual preside, assim como aos representantes de vários dos membros da Aliança ali presentes e que se apresentaram trajados a rigor, em representação das várias regiões do país.

Representados neste painel cujos coloridos trajes serviram de pano de fundo a esta cerimónia estiveram o Grupo Folclórico Transmontano, a Associação Cultural do Minho, o Rancho Folclórico da Nazaré, a Casa da Madeira, a Associação Migrante de Barcelos, a Casa dos Poveiros e o Rancho Folclórico Académico de Viseu, da Casa das Beiras.

Para todos eles Katia Caramújo solicitou salvas de palmas, assim como para os órgãos de comunicação social presentes ao evento, aos quais agradeceu a cobertura prestada.

A cerimónia finalizou com a deposição de uma coroa de flores junto ao monumento e com os hinos do Canadá e de Portugal tocados pelo trompetista Leo da Silva, da Banda do Sagrado Coração de Jesus, e cantados pelos presentes.

Após mais um agradecimento pela presença de todos e um "Viva Portugal!", foi altura também para algumas fotos de grupo, para recordar o momento.

Ao abrigo do calendário de eventos relativos às celebrações da Semana de Portugal, e que apesar do nome abrange cerca de dois meses de actividades, desde Maio a Julho, decorreu ontem, quinta-feira (7) a cerimónia do hastear da bandeira na praça Nathan Phillips, na Câmara Municipal de Toronto.

Entretanto, amanhã, sábado (9), vai realizar-se a cerimónia do Portuguese Walk of Fame, altura em que será formalizada a apresentação dos nomes que este ano passam a figurar no Passeio dos Luso-Canadianos Famosos, assim como o Festival de Folclore Raízes do Nosso Povo, uma homenagem a Camões e espectáculos com música ao vivo e o DJ Overdrive.

No domingo (10) vai-se realizar a Parada do Dia de Portugal, desfile que percorrerá o habitual trajecto pela rua Dundas Street West, da Lansdowne até ao jardim Trinity-Bellwoods, onde se realizará uma cerimónia de homenagem aos voluntários.


Voltar a Sol Português