PORTUGAL EM FOCO


Equipas dos Açores conquistam medalhas de ouro nas Olimpíadas de Física

A participação dos alunos açorianos na fase nacional das Olimpíadas de Física fica marcada pela conquista de duas medalhas de ouro, tendo a equipa da Escola Secundária Domingos Rebelo vencido no escalão A, enquanto a equipa da Escola Secundaria Antero de Quental ganhou no escalão B desta competição.

As Olimpíadas Nacionais de Física, que decorreram este ano no Porto, são organizadas pela Sociedade Portuguesa de Física com o objectivo de incentivar e desenvolver o gosto por esta área da ciência nos alunos do ensino básico e secundário, tendo apurado os representantes do país nas Olimpíadas Internacionais e nas Olimpíadas Ibero-Americanas, duas competições que terão lugar em 2019.

O Governo dos Açores, através da Direcção Regional da Ciência e Tecnologia (DRCT), reconhecendo a importância desta iniciativa na educação científica dos jovens e o seu impacto no crescente interesse pelas temáticas dos vários ramos da ciência e da tecnologia, tem vindo a associar-se nos últimos anos às Olimpíadas da Física.

Assim, através do concurso de apoio à participação de alunos e professores acompanhantes de escolas do sistema de ensino da Região em eventos e iniciativas de divulgação científica e tecnológica, que é aberto anualmente, a DRCT apoia a participação de diversas equipas de todas as ilhas na etapa regional das Olimpíadas de Física, que este ano contou com a participação de cerca de 85 alunos e professores.

As provas das Olimpíadas de Física têm uma componente teórica e uma competente experimental e dividem-se em dois escalões, nomeadamente o escalão A, para alunos até ao 9.º ano de escolaridade, e o escalão B, para alunos até ao 11.º ano de escolaridade.

No escalão A, as equipas têm um máximo de 3 alunos, enquanto no escalão B a representação é individual, podendo cada escola apresentar até três alunos.

O sucesso dos alunos açorianos nesta competição vem comprovar que a aposta neste tipo de eventos e na promoção da divulgação científica e tecnológica e do ensino experimental das ciências na Região deve continuar, revelando-se um factor fundamental para a formação dos jovens e para o despertar de vocações nas áreas científicas e tecnológicas.


Voltar a Portugal em Foco


Voltar a Sol Português