CANADÁ EM FOCO


Canadá/Covid-19:

Testes rápidos prestes a chegar em semana marcada por novo recorde de casos no Ontário

A nível mundial, o vírus corona responsável pela doença designada por Covid-19 infectou mais 2,1 milhões de pessoas na última semana, o que eleva o total para 35,7 milhões desde que primeiro foi detectado na China, em finais do ano passado.

Enquanto isso, os óbitos cifram-se já em 1,04 milhões, acrescidos pelas cerca de 40.000 mortes que se registaram desde a semana passada, com a taxa de recuperação – que a semana passada era de 73,48 por cento – a continuar a registar uma ligeira evolução, para 73,9 por cento ou 26,3 milhões de pessoas.

No Canadá, o número de infecções detectadas no mesmo período voltou a aumentar, para cerca de 13.500, o que elevou o número de casos registados desde o início da pandemia a quase 169.000 e fez descer a taxa de recuperação de 85,7 para 84,3 por cento, enquanto que os óbitos ultrapassaram os 9.300, acrescidos por mais 215 mortes atribuídas ao vírus.

Na passada quarta-feira (30), um dia após terem encomendado quase oito milhões de testes de despistagem "Abbott Diagnostics ID Now", que indicam o resultado em menos de 13 minutos, as autoridades de Saúde canadianas anunciaram a selecção deste kit rápido para ser usado na detecção de Covid-19.

Nesse mesmo dia voltaram ao Parlamento os dirigentes dos partidos Conservador e Bloc Québécois, Erin O'Toole e Yves-Francois Blanchet, respectivamente, após terem sido considerados recuperados do vírus corona que contraíram, separadamente, em meados de Setembro.

Ambos os partidos viriam a votar a favor da proposta de lei C-34 apresentada pelos Liberais – o que serviu também como voto de confiança para o governo minoritário do Primeiro-ministro Justin Trudeau – apesar de se declararem insatisfeitos com a forma como o governo limitou o debate.

A proposta de lei visava a adopção de um novo pacote de ajuda financeira aos trabalhadores que foram afectados pelas medidas de contenção da pandemia, acabando por ser aprovada por esse motivo, segundo ambos os líderes da oposição, para não atrasar mais a sua implementação.

Enquanto isso, o ministro de Segurança Pública, Bill Blair, comunicou por tweet que a fronteira com os Estados Unidos iria continuar encerrada à circulação não essencial até pelo menos 31 de Outubro.

No entanto, o governo viria a anunciar dois dias depois que a lista de excepções seria revista para facilitar a reunificação de famílias e permitir a entrada no país de estudantes estrangeiros, ao mesmo tempo que prometia reforçar as medidas de rastreio do vírus corona e de quarentena.

No Ontário, perante um cenário geral de aumentos diários no número de novas infecções, foi revelado haver já 342 casos ligados a escolas e estabelecimentos de ensino

O governo provincial revelou também as projecções actualizadas da evolução do contágio na população em geral, que prevêem atingir os 1.000 casos diários até meados de Outubro, com a taxa de infecções diárias a duplicar a cada 10 ou 12 dias.

Este alastramento é atribuído principalmente aos muitos jovens que têm vindo a contrair a doença por não tomarem as necessárias precauções – cerca de 70 por cento dos novos casos – e que, por sua vez, infectam as pessoas com quem contactam.

Também o ministro dos Serviços Indígenas viria a expressar a sua preocupação face ao aumento nas últimas semanas do número de casos de Covid-19 nas comunidades de povos nativos, até ao momento menos afectadas mas consideradas potencialmente mais vulneráveis devido à falta de recursos médicos e hospitalares.

Entretanto a Associação Canadiana das Liberdades Civis alertou para o acesso ilegal da polícia às bases de dados de pacientes com Covid-19, antes deste lhes ter sido vedado, a 17 de Agosto.

Segundo aquela organização, 40 por cento dos acessos partiram de apenas dois destacamentos policiais: o de Thunder Bay (14.800 vezes – número 10 vezes superior à média provincial, embora se registassem apenas 100 casos de Covid-19 naquela região) e o de Durham.

No dia seguinte, quinta-feira (1), o representante do governo no Senado prometeu a apresentação de uma moção para que também aquele órgão legislativo passasse a ter reuniões híbridas durante a pandemia, tal como o Parlamento.

Otava anunciou também que mantinha abertas as negociações com os governos regionais que ainda não adoptaram o aplicativo "COVID Alert" para uso nas suas províncias, numa altura em que Manitoba se juntava ao Ontário, Nova Brunswick, Saskatchewan e Terra Nova e Labrador, onde já foi sancionado pelas autoridades locais, e o Quebeque indicava que iria seguir-lhes o exemplo dias depois.

Entretanto, e tal como já havia anunciado, o governo do Ontário voltou a alterar as directrizes que os pais têm de seguir diariamente na gestão dos potenciais sintomas de Covid-19 que os filhos que frequentam as aulas presenciais ou jardins-escola possam apresentar.

Entre as novas indicações, é pedido aos pais para que as crianças não vão à escola durante pelo menos 24 horas se tiverem corrimento do nariz ou dores de cabeça, mas retira da lista de sintomas as queixas de dores abdominais e a conjuntivite.

Apesar destas medidas serem semelhantes às adoptadas pela Colúmbia Britânica, a decisão foi criticada por alguns peritos em doenças infecciosas em Toronto que afirmaram que o governo provincial não tinha comprovado que o abrandamento das directrizes se justifica numa altura em que se regista um aumento significativo do número de casos.

O governo do Ontário anunciou também aumentos salariais para os funcionários de apoio que trabalham no Sistema de saúde, o que representa um incremento de três dólares/hora para os funcionários de lares de idosos e dois dólares/hora para os seus congéneres hospitalares.

Antes do fim-de-semana a província viria a bater mais uma vez o recorde de novos casos diários, com 732 infecções detectadas na véspera, o maior número desde os 700 que haviam sido detectados escassos dias antes e quase 10 vezes mais do que se registava em finais de Agosto.

Enquanto isso, e com todo o sector de viagens e turismo em crise profunda, os sindicatos que representam os empregados das companhias aéreas apelaram ao governo federal para que adoptasse de imediato um pacote de auxílio financeiro e a aprovação de testes rápidos para as empresas de aviação devastadas pela pandemia, por forma a evitar mais despedimentos ou reduções salariais aos seus sócios.

Embora não se pronunciasse a propósito deste pedido, Otava indicou no dia seguinte que irá adicionar 600 milhões de dólares ao fundo destinado a auxiliar as pequenas e medias empresas, que aumentou para 1.500 milhões de dólares.

O Departamento de Saúde do Canadá anunciou também sexta-feira (2) que tinha começado a sua avaliação da eficácia e da segurança da primeira potencial vacina contra a Covid-19, que está a ser desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford e da qual já encomendou 20 milhões de doses.

Entretanto, uma sondagem efectuada pela firma Angus Reid revelou que menos de metade da população canadiana está disposta a ser inoculada logo que seja anunciada uma vacina, por recear que possa não ser segura.

Com as festividades do Dia de Acção de Graças e do tradicional Dia das Bruxas, ou Halloween, à porta, as autoridades de saúde do Ontário têm vindo a aconselhar o público a limitar o contacto próximo só às pessoas com quem moram, mantendo o distanciamento de dois metros de quaisquer outras.

Contudo, para quem vive sozinho as directrizes oficiais admitem que "possam socializar com moradores de outra residência" por forma a minimizarem os igualmente nefastos resultados do isolamento total prolongado.

Face às enormes filas nas clínicas e postos onde se fazem os testes de despistagem de Covid-19, o governo provincial decretou entretanto que doravante estes só seriam administrados a quem fez marcação prévia ou por recomendação médica.

O Primeiro-ministro Doug Ford anunciou também que a partir desse fim-de-semana os restaurantes, bares, ginásios e salões de banquete nas zonas mais afectadas pela pandemia passariam a estar sujeitos a restrições adicionais.

Em Toronto, a Dra. Eileen de Villa, directora dos serviços de saúde municipais, declarou o seu apoio às novas medidas do governo provincial, mas pediu ainda mais restrições para "proteger Toronto", nomeadamente o congelamento das actividades no interior de restaurantes e bares durante quatro semanas.

Por seu lado, a Torre CN – uma das mais populares atracções para quem visita a cidade e que esteve encerrada desde Março até meados de Julho – anunciou que a partir desse sábado (3) voltava a suspender a sua actividade.

Nesse mesmo dia a Dra. Theresa Tam, directora dos serviços de saúde do Canadá, fez questão de alertar o público de que o tempo para agir e alterar o rumo da pandemia se estava a esgotar rapidamente, e no domingo (4) sugeria mesmo que todos optassem apenas por "jantares virtuais" no Dia de Acção de Graças ou mantivessem os convívios familiares bem pequenos, especialmente nas zonas onde se registam maiores taxas de infecção.

Idêntico conselho seria dado pela sua congénere de Toronto, a Dra. Eilleen de Villa, que no início da semana acautelou que é melhor evitar grandes convívios por ocasião do fim-de-semana prolongado pelo Dia de Acção de Graças dado que o vírus se está a alastrar rapidamente.

A autarquia torontina revelou entretanto que, face ao aumento significativo do número de infecções na cidade, não ia ser possível continuar a avisar as pessoas que tivessem tido contacto com alguém infectado, por falta de recursos.

Por seu turno, o Primeiro-ministro provincial, Doug Ford, indicou que a falta de técnicos estava a contribuir para a dificuldade dos laboratórios darem resposta ao crescente número de pedidos de testes de despistagem, vindo subsequentemente a anunciar que seriam contratados laboratórios nos Estados Unidos para os efectuar.

Com os casos a aumentarem em todo o país, a meio desta semana os números continuavam a dar conta de que a situação está longe de ser uniforme e afecta diferentes regiões de formas distintas, sendo as províncias do Ontário e Quebeque as mais martirizadas, com 80 do total.

Foi também esta semana que a Ministra da Agricultura, Marie-Claude Bibeau, comunicou aos agricultores que estes iam poder pedir um subsídio que cobre 50 por cento do custo do equipamento de protecção que adquirirem para proteger os seus trabalhadores da pandemia – 60 por cento no caso da propriedade pertencer a jovens ou mulheres.

Enquanto isso, a Universidade de Guelph deu conta de uma iniciativa inovadora para tentar detectar e antecipar o surgimento de focos infecciosos ao anunciar que iria testar as águas residuais das residências para detectar os primeiros sinais da presença do vírus corona.

Segundo os peritos, os estudos demonstram que o vírus começa a ser detectável nos esgotos cerca de uma semana antes da pessoa infectada ter sintomas da doença.

No meio de tudo isto, as lojas de electrodomésticos vêm-se actualmente a braços com um duplo problema de aumento da procura e de falta de produto, devido a problemas nas cadeias de abastecimento.

Prevê-se que a situação se venha a agudizar com a chegada da época de compras mais movimentada do ano, especialmente se a segunda vaga da pandemia se manifestar de forma mais acentuada.

Enquanto isso o preço das casas em Toronto continua a bater recordes, com a média em Setembro a aumentar 14 por cento, para 960.772 dólares – com base em todos os tipos de habitação que foram vendidas nesse mês, incluindo condomínios.


Voltar a Canadá em Foco


Voltar a Sol Português