PORTUGAL EM FOCO


Morreu Avelino Rodrigues, histórico dirigente do PS-Açores

O histórico dirigente do PS/Açores Avelino Rodrigues morreu no sábado com 76 anos, informaram domingo os socialistas da região, que lembraram o seu papel de "defensor acérrimo dos Açores na Assembleia da República".

Eleito dirigente socialista em 1981, na ilha Terceira, onde decorreu o I Congresso da Federação dos Açores do PS, Avelino Rodrigues, nascido em 10 de Novembro de 1943, tirou o Curso Geral do Comércio na Escola Industrial de Ponta Delgada e era bancário de profissão.

O socialista foi eleito deputado à Assembleia Legislativa dos Açores na II legislatura (1980-1984) e foi, ainda, deputado à Assembleia da República.

Em 1983, Avelino Rodrigues liderou a lista do PS para a Assembleia da República pelo círculo eleitoral do Açores, substituindo, na ocasião, Jaime Gama, que até então tinha sido sempre o cabeça de lista pelos socialistas açorianos pelo ex-distrito de Ponta Delgada, numa época em que os Açores tinham três círculos eleitorais.

Avelino Rodrigues foi também autarca, eleito vereador pelo PS à Câmara Municipal de Ponta Delgada. Citado em nota de imprensa, o presidente do PS/Açores, Vasco Cordeiro, lembra Avelino Rodrigues como "um do dos obreiros do PS nos Açores".

"Os socialistas açorianos estão hoje de luto pelo desaparecimento de Avelino Rodrigues. Foi um dirigente histórico do PS, impulsio-nador da imple-men-tação do PS nos Açores nos primór-dios da Autonomia, defensor acérrimo dos Açores na Assembleia da República. É com consternação que, em nome dos socialistas açorianos, endereço à sua família e aos seus mais próximos o nosso voto de pesar", declara.

Também Carlos César, presidente honorário do PS/Açores, lamentou a morte do socialista, numa publicação no Facebook onde definiu Avelino Rodrigues como "um entre os mais corajosos e influentes dirigentes do PS nos Açores, nos anos 70 e na década de 80".

E prosseguiu: "Mantive com ele uma boa amizade e camaradagem. Partilhámos o mesmo quarto no Hotel Fayal, quando a remuneração de deputado regional não nos permitia outro modo de permanência fora de casa nas nossas deslocações aos plenários do parlamento onde trabalhámos juntos. Um abraço muito solidário para toda a sua família".


Voltar a Portugal em Foco


Voltar a Sol Português