1ª PÁGINA


Clínica de vacinação em Davenport: Primeira injecção para crianças e dose de reforço para maioria dos adultos

Por Luís Aparício

Sol Português

Cerca de 100 crianças e 50 adultos aproveitaram a iniciativa do passado domingo (5) em Davenport para se vacinarem contra a Covid-19 e assim contribuírem para o sucesso do plano de vacinação em curso na cidade de Toronto.

A clínica de vacinac'ao promovida pela vice-presidente da autarquia, Ana Bailão, em conjunto com a Cruz Vermelha Canadiana, nesta zona de grande concentração da comunidade lusa tinha como foco a imunização de crianças no grupo etário dos cinco aos 11 anos, mas estava também preparada para administrar uma primeira, segunda e até terceira dose (de reforço) da vacina da farmacêutica Pfizer.

Durante a nossa passagem pelo local foi possível, no entanto, perceber que a clínica de vacinação – para a qual não era necessário fazer agendamento prévio – teve uma maior procura por parte de pais com crianças entre os cinco e os 11 anos de idade, e por idosos que se integram no grupo de adultos elegíveis para receber a terceira dose da vacina.

Ainda assim, foram também muitos os adultos de outras idades que entre as 10h30 e as 17h00 passaram no Centro Comunitário Joseph J. Piccininni, onde tudo decorreu, para se informarem melhor sobre as condições para a administração da dose de reforço.

O Comité Consultivo Nacional de Imunização (NACI), recorde-se, está a recomendar doses de reforço de vacinas contra a Covid-19 para os maiores de 50 anos.

Além destes, reforçou também a sua recomendação para vários outros grupos e aconselha-as às pessoas que receberam vacinas Oxford-AstraZeneca ou Janssen, aos povos indígenas e das comunidades inuíte e métis, e a quem trabalha nas primeiras linhas no sector da saúde.

O NACI esclarece ainda que qualquer pessoa com mais de 18 anos pode receber uma injecção de reforço seis meses após a administração da segunda dose de uma vacina de mRNA.

Recentemente diagnosticada com uma condição imunológica, Sarah Daly, de 46 anos, passou a ser uma paciente imuno-comprometida, o que significa que apresenta uma resposta imunitária pouco eficiente face a infecções ou outras doenças, e é, por isso, elegível para receber a dose de reforço da vacina.

"Trouxe uma carta do meu médico de família e esta é a altura certa", explicou à nossa reportagem, adiantando que sente "algum conforto por receber a dose de reforço como protecção adicional", por estar num grupo de risco.

Albino Silva, de 68 anos, que afirma confiar a 100 por cento na vacinação contra a Covid-19, aproveitou para ali se deslocar.

"Estou a pensar ir a Portugal e estou interessado em levar a terceira dose e ficar imunizado e ir mais descansado para a viagem", justificou.

O sexagenário considera que o município, através das várias equipas que colaboram com os Serviços de Saúde Pública de Toronto, está a fazer um bom trabalho com a vacinação e diz que "era bom que toda a gente aproveitasse estas oportunidades".

No local estava também a família Yap, que decidiu levar os dois filhos, de sete e 10 anos, para receberem a primeira dose da vacina.

"Eles estão na escola, em contacto com as outras crianças, e agora com a nova variante (Ómicron) queremos sentir-nos mais seguros e despreocupados", como explicaram.

Também a mãe do jovem Dinis, de sete anos de idade, nos falou da importância de vacinar as crianças, porque "todos nós temos de fazer um bocadinho para as coisas melhorarem".

Ana Paula confidenciou-nos que foi o filho que tomou a decisão de se vacinar para "não ficar doente com a Covid".

Agradavelmente surpresa com a maturidade e bom senso do filho, admitiu que estava mais descansada ao deslocar-se à clínica de vacinação, "porque ele veio por vontade própria".

Festa comunitária de patinagem

O dia de domingo seria dedicado não só à realização desta clínica de vacinação, mas também de uma festa comunitária de patinagem que entre as 14h00 e as 16h00 decorreu na área adjacente à pista de gelo exterior do Parque Earlscourt e que foi, também ela, organizada por Ana Bailão.

A ocasião constituiu uma oportunidade para adultos e crianças, indiferentes aos flocos de neve que começaram a cair pouco depois da hora de almoço, receberem o bem-humorado Pai Natal e celebrarem "a época natalícia com os mais jovens e as suas famílias, com bebidas quentes, musica festiva e muito mais", como realçou a política, que além de vice-presidente da autarquia é a actual vereadora eleita pelo Distrito 9-Davenport.

Proporcionou-se assim "um dia cheio de diversao para as crianças e para toda a comunidade que queira patinar e tambem tomar a vacina", como sublinhou.

No espírito próprio da epoca, estava a ser também pedido aos que tivessem possibilidades de o fazer, que trouxessem alimentos nao pereciveis, para serem doados ao Oasis Dufferin Community Centre, banco alimentar de Davenport.


Voltar a Sol Português