CANADÁ EM FOCO


Ontário:

Doug Ford reeleito com segundo governo de maioria

Os residentes do Ontário deram na passada quinta-feira (2) a Doug Ford e ao Partido Conservador (PC) o segundo governo de maioria consecutiva, numa noite eleitoral que acabaria com os dois principais dirigentes partidários da oposição, Andrea Horwath, dos neo-democratas (NDP) e o Liberal Steven Del Duca, a renunciarem aos cargos.

Esta foi a primeira vez que os Conservadores conquistaram maiorias consecutivas desde que Mike Harris conseguiu esse feito, em 1995 e 1999.

Os Conservadores não só continuam a sua governação como aumentaram o número de assentos parlamentares no Queen's Park, sede da Assembleia do Ontário, ao vencerem em 83 dos 124 círculos eleitorais da província – muito além dos 63 necessários para uma maioria parlamentar.

O próprio Doug Ford venceu facilmente a reeleição no distrito eleitoral de Etobicoke North – considerado o coração da chamada "Nação Ford" – o mesmo acontecendo com vários ministros do governo Conservador que irão igualmente regressar ao Queen's Park.

Embora a dirigente do NDP tenha sido reeleita no círculo eleitoral de Hamilton Centro e o seu partido alcançado o estatuto de oposição oficial na Assembleia do Ontário, Andrea Horwath viria a anunciar que depois de quatro tentativas para conseguir o cargo de primeira-ministra da província mais populosa do país, estava na hora de passar o testemunho.

Os Liberais vão também ter de procurar um novo líder depois de Steven Del Duca ter anunciado que o partido iria prosseguir sem ele na direcção, dada a sua derrota no distrito de Vaughan-Woodbridge e o facto de não terem conseguido recuperar o estatuto de partido oficial, perdido nas desastrosas eleições de 2018.

O quarto partido com assento no Parlamento viu o seu dirigente, Mike Schreiner, reeleito no círculo eleitoral de Guelph, embora a esperança dos "Verdes" em elegerem um segundo deputado viesse a cair por terra ao perderem o distrito eleitoral de Parry Sound-Muskoka para os Conservadores.

Mike Schreiner é o dirigente dos Verdes desde 2009, tendo conquistado o único assento do partido na Assembleia Legislativa há quatro anos.

Após as eleições o presidente da Câmara de Toronto, John Tory, congratulou Doug Ford pela vitória e expressou-lhe a sua expectativa de que continuem a trabalhar em colaboração, à medida que a cidade e a economia recuperam da pandemia.

O Primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, deu igualmente os parabéns ao dirigente provincial Conservador, dizendo-se ansioso para continuar a trabalhar com o governo de Doug Ford na construção de um futuro próspero para todos os habitantes do Ontário.

Um dos primeiros assuntos na agenda do governo será a reintrodução do Orçamento para 2022, no valor de quase 200.000 milhões de dólares e que foi apresentado antes da convocação das eleições, documento que os Conservadores indicaram servir como guia ilustrativo da sua plataforma eleitoral.

Das promessas eleitorais durante a campanha, os Conservadores prometeram investir em infra-estruturas, nomeadamente hospitais e numa nova auto-estrada a passar pelas regiões de Halton, Peel e York.

Doug Ford também prometeu aliviar os impostos para rendimentos inferiores a 50.000 dólares e uma redução do imposto de combustíveis para 5,7 cêntimos, com início a 1 de Julho, o que deve custar ao governo cerca de 645 milhões de dólares.

Participação eleitoral atingiu novo mínimo

Os resultados revelados pela Elections Ontário, entidade responsável pela realização dos actos eleitorais na província, indicam que apenas 43% dos eleitores registados votaram nestas eleições, o número mais baixo de sempre em eleições legislativas na província.

O mínimo anterior, 48%, aconteceu em 2011, tendo a participação eleitoral sido significativamente maior nas eleições de 2018, com 57% dos eleitores a exercerem o direito de voto.

Desta feita os Conservadores receberam pouco mais de 40 por cento dos votos expressos, tendo o apoio de cerca de 20% dos mais de 10 milhões de eleitores elegíveis da província, enquanto que o NDP e os Liberais somaram, colectivamente, quase 47 por cento do voto popular.

Mais de um milhão de pessoas, ou 10% dos eleitores, votaram durante o período de votação antecipada, um aumento significativo em relação às eleições anteriores.

A organização refere também que enviou mais boletins de voto por correio para os eleitores elegíveis, com kits de votação solicitados por 126.135 residentes, um aumento acentuado em relação a 2018 quando foram pedidos apenas 15.202.

Luso-descendente reeleita, outra derrotada

A luso-descendente Teresa Armstrong foi reeleita para um quarto mandato no distrito eleitoral de London-Fanshawe, no sul do Ontário.

A candidata do NDP garantiu a vitória, com 47,1% (16.123) dos votos contra 32,8% (11.224) obtidos pela Conservadora Jane Kovorikova.

A luso-canadiana Elizabeth Mendes, a concorrer pelo partido Liberal, foi derrotada com 36,8% (15.750 votos) em Mississauga-Lakeshore pelo conservador Rudy Cuzzetto, com 45% (19.272 votos).

Bobbi Ann Brady, entretanto, acabou com o longo domínio dos Conservadores no sul do Ontário, tornando-se a primeira independente em décadas a conquistar um assento parlamentar na Assembleia Legislativa, em representação do círculo eleitoral de Haldimand-Norfolk.

Bobbi Brady foi declarada vencedora com 35,15% dos votos, à frente do candidato Conservador Ken Hewitt (30,52%) e de Sarah Lowe (NDP) que ficou em terceiro lugar com 13,72%.

A vitória da candidata independente pôs cobro ao controlo do partido Conservador progressista em Haldimand-Norfolk, que durava desde 1995, o último ano em que os eleitores elegeram um candidato independente para a legislatura do Ontário, precisamente naquele círculo eleitoral.

Três rostos conhecidos da Câmara Municipal de Toronto deram o salto para o Queen's Park

Da Câmara Municipal de Toronto para o Queen's Park, Michael Ford, sobrinho do primeiro-ministro Doug Ford, foi eleito em York South-Weston numa disputa renhida que resultou na derrota do incumbente do NDP, Faisal Hassan, que tinha vencido em 2018.

A vitória de Michael Ford representa uma espécie de avanço para os Tories, que nunca tinham vencido naquele círculo eleitoral.

Michael Ford foi eleito pela primeira vez para a Assembleia Municipal de Toronto em 2016, após a morte do tio, o ex-presidente da Câmara de Toronto, Rob Ford.

Antes disso, desempenhou durante dois anos o cargo de administrador do Conselho Escolar do Distrito de Toronto.

Também a vereadora Kristyn Wong-Tam conseguiu ser eleita no centro de Toronto, ao derrotar o Liberal David Morris por mais de 2000 votos.

A ex-vereadora Mary-Margaret McMahon, por sua vez, foi eleita em Beaches-East York, em representação dos Liberais, assumindo um mandato que não tinha titular após Rima Berns-McGown (NDP) ter decidido não se recandidatar.


Voltar a Canadá em Foco


Voltar a Sol Português