CANADÁ EM FOCO


Antigo ministro provincial luso-canadiano pede renovação nos Liberais

O antigo ministro das Finanças do Ontário, Charles Sousa considera que o Partido Liberal "necessita de ser renovado" para que se possa reerguer, na sequência da derrota nas eleições provinciais.

"Já se sabia que Doug Ford [dirigente dos Conservadores] ia vencer as eleições provinciais, com maioria. Esta onda Conservadora ainda foi maior daquela se verificou há quatro anos atrás. Vamos precisar de renovar o partido. Tinha esperança que Elizabeth Mendes fizesse parte dessa equipa", afirmou o luso-canadiano na quinta-feira (2) à noite à Lusa, em Mississauga, na sede de campanha da candidata Elizabeth Mendes, que acabou por não conseguir a eleição.

A luso-canadiana (Liberal) foi derrotada com 36,8% (15.750 votos) em Mississauga-Lakeshore, pelo Conservador Rudy Cuzzetto com 45% (19.272 votos).

"Deram uma nova oportunidade a Doug Ford, houve muitos erros, mas ele pediu desculpas, reconheceu os erros. As pessoas deram-lhe uma nova oportunidade para tentar um segundo termo", sublinhou Sousa.

O antigo ministro também reconheceu que durante a pandemia de Covid-19, o primeiro-ministro provincial "fez o seu melhor" e foi recompensado pelos eleitores.

O partido liderado por Doug Ford foi reeleito para mais quatro anos, conseguindo nova maioria absoluta com 40,8% dos votos e 83 deputados, quando necessitava de 63 lugares para maioria parlamentar.

O NDP volta a ser o partido oficial de oposição, com 23,8% e 31 deputados.

Os liberais não conseguiram, mais uma vez, tornar-se num partido oficial, pois dos 12 mandatos necessários só conseguiram eleger oito (23,8%), apenas um mais do que nas eleições anteriores.

O antigo ministro das Finanças do Ontário (2013 a 2018) e deputado provincial do Ontário (2007 a 2018) também alertou para a importância de uma oposição activa como forma de "pressionar o governo".

"A democracia necessita de ter os dois lados. O governo e a oposição que até aqui tem sido muito fraca e necessita de manter essa posição para ter controlo do governo. A minha preocupação é mesmo essa, sem oposição, pode haver ainda mais problemas", advertiu.

Quanto ao futuro, Charles Sousa não descartou um regresso à política, ainda que após perder as eleições em 2018 se tenha dedicado ao sector privado.

"Estou envolvido em vários projectos, o que me mantém muito ocupado. A minha esperança era haver uma renovação do partido, mas vamos a ver o que se vai passar daqui para a frente", concluiu.


Voltar a Canadá em Foco


Voltar a Sol Português