1ª PÁGINA


Faleceu Salomé Gonçalves, presidente da Assembleia-Geral da Casa da Madeira de Toronto

Por Luís Aparício

Sol Português

O movimento associativo português voltou a sofrer um rude golpe esta semana com a partida de mais um nome incontornável da comunidade lusa no Canadá: Salomé Gonçalves, que presidia actualmente à Assembleia-Geral da Casa da Madeira de Toronto e que faleceu na segunda-feira (6), vítima de doença grave.

Em comunicado, a Direcção Regional das Comunidades e Cooperação Externa da Madeira lamentou a morte de Salomé Gonçalves descrevendo-o como um "grande impulsionador e dinamizador da cultura e das tradições madeirenses no Canadá" e uma referência para a comunidade.

Na nota assinada pelo director regional, Rui Abreu, é ainda destacado o seu papel "como figura incontornável da madeirensidade no Canadá".

Também numa nota publicada na sua página de Facebook, a Direcção da Casa da Madeira Community Centre de Toronto sublinha que a "Comunidade Madeirense no Canadá e a Casa da Madeira ficam mais pobres com a partida de um histórico líder e umas das grandes referências no seio da Comunidade Portuguesa".

A Direcção da colectividade madeirense acrescenta ainda que "ficará para sempre na memória de todos nós o legado de um exemplar madeirense, que ao longo da sua vida foi exemplo de empenho, Amor, dedicação, orgulho e paixão pelas suas raízes".

Em declarações ao jornal Sol Português por via telefónica, o presidente do Executivo da Casa da Madeira, Luís Bettencourt, confessou a tristeza que sentia por ver partir tão cedo "um grande amigo e pilar importante" da estrutura directiva do clube madeirense, com quem mantinha uma relação de amizade que remonta aos anos `80.

Segundo indicou, o cargo agora deixado vago por Salomé Gonçalves será assumido pelo vice-presidente da Assembleia-Geral, havendo a expectativa de se agendar novo acto eleitoral no primeiro trimestre de 2022 – aponta como provável o mês de Março – para escolher os novos corpos gerentes, depois de não ter sido possível realizar eleições no ano passado devido à pandemia.

Um "embaixador madeirense" no Canadá

José A. Rodrigues, conselheiro das Comunidades Madeirenses no Canadá, não tem dúvidas em considerar Salomé Gonçalves um "embaixador madeirense" em terras do Canadá.

"A obra, o dirigismo e a solidariedade demonstrada durante a sua vida, como cidadão e defensor da sua terra de origem, a Ilha da Madeira, são demonstrativos da sua dedicação na defesa dos nossos usos, costumes e tradições madeirenses", salientou o conselheiro numa nota publicada no perfil pessoal no Facebook.

"Ao partir, o amigo e dirigente Salomé, sempre disponível quando Presidente da Direcção para receber todas as delegações vindas da Madeira, deixou-nos um legado de responsabilidades e de continuidade, e a todos nós é solicitada a dedicação que teremos que ter com a nossa Casa da Madeira de Toronto", continua.

A nota publicada pelo Conselheiro das Comunidades Madeirenses dá também a conhecer um pouco da história da vida de Salomé Gonçalves, nascido a 16 de Fevereiro de 1954, na freguesia do Jardim do Mar, concelho da Calheta, na Ilha da Madeira.

Como relata, aos 13 anos de idade emigrou para a Venezuela onde o pai já residia e onde o veio a conhecer. Passados cinco anos (1971) visitou com o pai as três irmãs que viviam em Toronto, tendo optado, com o seu progenitor, por se radicar no Canadá, quando tinha 18 anos de idade.

Por cá, trabalhou sempre na indústria hoteleira e, numa faceta porventura menos conhecida do público, ganhou popularidade como vocalista do conjunto Sunset graças à "sua voz forte, distinta e aprimorada", como recorda José Rodrigues.

Na década de `70 do século passado, Salomé Gonçalves exerceu as funções de dirigente da Casa do Algarve e mais tarde tornou-se sócio e fundador do Canadian Madeira
Club, mantendo-se desde então sempre ligado à Casa da Madeira de Toronto onde foi a pessoa mais vezes eleita na história da colectividade clube madeirense e onde cumpriu doze mandatos, em cargos diversos, desde 1980 até ao presente.

Cidadão igualmente reconhecido pelos bons serviços comunitários, Salomé Gonçalves foi distinguido com a Medalha do Jubileu da Rainha Isabel II, a 7 de Fevereiro de 2013.

À semelhança do que fez o Governo Regional da Madeira através da Direcção Regional das Comunidades e Cooperação Externa, José Rodrigues endereçou à família enlutada as mais sentidas condolências.

***

A missa fúnebre será celebrada amanhã, sábado (11), na igreja Católica de St Clare of Assisi, em Woodbridge, seguida pelo funeral que será uma cerimónia particular.


Voltar a Sol Português