1ª PÁGINA


Jogador canadiano da NFL distinguido como um dos 5 "Atletas do Ano" pela revista Sports Illustrated

Este tem sido um ano de grande actividade para Laurent Duvernay-Tardif, o jogador canadiano na linha da frente da equipa de futebol americano Kansas City Chiefs (KC) e que tem estado igualmente na linha da frente do combate à pandemia de Covid-19.

Para além de estar a terminar o curso de médico, o jovem atleta pode agora adicionar outro título ao seu palmarés: "Atleta do Ano: Atleta Activista", que lhe foi atribuído pela revista Sports Illustrated.

O canadiano está em boa companhia pois os outros quatro desportistas que receberam títulos de Atleta do Ano foram o companheiro de equipa Patrick Mahomes; a estrela dos Los Angeles Lakers, LeBron James; a basquetebolista dos Seattle Storm, Breanna Stewart, da liga WNBA; e a vencedora do campeonato americano de ténis, Naomi Osaka.

Após se ter voluntariado para ajudar uma instituição de idosos durante o auge da primeira vaga da pandemia, Laurent Duvernay-Tardif, que é natural de Mont-Saint-Hilaire, no Quebeque, optou por não jogar durante a época de 2020 da liga de futebol americano NFL deixando assim de ajudar a sua equipa a defender o título de campeã.

Formado em medicina pela Universidade McGill, o atacante da ala lateral direita dos Chiefs tem estagiado fora da temporada futebolística a fim de cumprir com os requisitos do curso de médico.

Num comentário publicado no Twitter no domingo (6), a propósito da nova distinção, considera que os atletas podem ter "um impacto positivo na sociedade" e que "ser reconhecido pelo meu envolvimento fora do campo com um dos maiores prémios desportivos é tudo para mim".

O canadiano, que foi o primeiro jogador da NFL a deixar o campeonato de 2020 devido ao novo coronavírus, anunciou em Setembro que ia passar o Outono a estudar nutrição, bio-estatística e epidemiologia na Escola de Saúde Pública T.H. Chan em Cambridge, Massachusetts.

Na altura revelou também a sua intenção de voltar a ajudar no lar de idosos onde se tinha voluntariado anteriormente.

"Dedico este prémio a todos os profissionais de saúde que têm feito enormes sacrifícios para proteger e cuidar dos outros", disse o atleta, que havia ganho a Super Bowl (taça da final do campeonato da NFL) em Fevereiro.

"Obrigado", mas, salientou, "o trabalho ainda não acabou".


Voltar a Sol Português