1ª PÁGINA


Covid-19: Portugal com aumento sustentado de casos mas estável nos internamentos – Costa

O Primeiro-ministro salientou ontem que Portugal tem registado um "crescimento sustentado" do número de casos de Covid-19, mas adiantou que se verifica também estabilidade em indicadores referentes a cidadãos internados, doentes graves em cuidados intensivos ou óbitos.

Estes foram alguns dos indicadores relativos à evolução da pandemia da Covid-19 desde Março até hoje (quinta-feira) apresentados por António Costa no final da reunião do Conselho de Ministros que aprovou as medidas que irão acompanhar a situação de contingência no país a partir de terça-feira.

Na conferência de imprensa, António Costa começou por frisar que Portugal está longe de registar um crescimento exponen-cial de casos de Covid-19, mas ressalvou que se tem vindo a verificar "um constante aumento de novos casos desde o fim da fase de confinamento" em Maio.

No que respeita ao indicador do risco de transmissibilidade, o líder do executivo apontou que o país "nunca se afastou significativamente do valor 1, uns dias e umas semanas ligei-ra-mente abaixo, outras vezes ligeiramente acima desse risco de transmissi-bilidade".

No entanto, caso o foco incida nas últimas semanas, regista-se que desde o início de Agosto "tem havido um crescimento sustentado de novos casos, de que os números de quarta-feira e de quinta são particularmente significativos", apontou.

O aumento que se tem verificado, de acordo com o Primeiro-ministro, resulta de formas de transmissão associadas a relações familiares e à actividade social.

"Este período de férias, seja por natural relaxamento do comportamento individual de cada um, seja pela multiplicação de deslocações ou encontros, tem contribuído para um aumento significativos de novos casos", justificou.

Porém, segundo António Costa, estes novos casos estão concentrados entre os 20 e os 39 anos - grupo populacio-nal que apresenta maior prevalência de casos assinto-máticos e de menor gravidade.

"Verifica-se uma estabilização de pessoas internadas em geral e, em particular, nas pessoas que estão internadas em cuidados intensivos. Da mesma forma, felizmente, o número de óbitos tem-se mantido relativamente estável. Portugal apresenta uma taxa de letalidade bastante baixa comparativamente a outros países europeus", referiu.

O Primeiro-ministro afirmou ainda que o número de casos recuperados "tem tido uma evolução francamente favorável".

"No balanço entre pessoas recuperadas e óbitos, o número de ativos registou uma subida muito significativa entre Fevereiro e 18 de Maio, seguindo-se uma queda abrupta, uma estabilização e, agora, uma tendência de crescimento nas últimas semanas", acrescentou.


Voltar a Sol Português