1ª PÁGINA


Canadá/Covid-19:

Ontário entra na segunda fase de reabertura

Com o número de infecções de Covid-19 superior já a 7,2 milhões e com mais de 400.000 mortos em todo o mundo, a pandemia continua a dar sinais de ter atingido o auge no Canadá onde no principio desta semana se registava um acréscimo de 4.700 novos casos – 3.000 menos do que os que tinham sido detectados uma semana antes.

De acordo com os números divulgados pelas autoridades, o número de infectados no Canadá ultrapassa agora os 97.000, com cerca de 8.000 óbitos (um aumento de cerca de 500 em relação à semana anterior) e mais de 56.000 já recuperados.

Isto levou os diferentes níveis governamentais a continuarem a preparar a reabertura da economia, por fases e de diferentes formas, consoante as localidades e a gravidade da situação que nelas se vive.

Em meados da semana anterior o Banco do Canadá anunciou que iria manter a taxa de juro base a 0,25 por cento aludindo ao facto de que embora o impacto da pandemia pareça ter atingido o auge, o futuro da recuperação económica continua incerto.

Enquanto isso, o Primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, continuou a defender perante uma cimeira virtual da Organização de Estados Africanos, Caribenhos e do Pacífico que uma resposta global, coordenada, é a melhor forma de amortecer o impacto da pandemia nos países mais pobres.

Por seu turno, o Primeiro-ministro do Ontário, Doug Ford, revelou que entidades dos serviços de saúde estariam em deliberações com respeito ao segundo estágio do plano económico para a reabertura da província, cujos resultados viria a apresentar ao longo desta semana.

Como salientou, apesar do Ontário ter prolongado a declaração de estado de emergência até 30 de Junho, isso não afecta o processo de reabertura.

Entretanto o ministro da Educação provincial, Stephen Lecce, anunciou que um investimento de 150 milhões de dólares no melhoramento dos serviços de Internet de banda larga nas zonas rurais é uma necessidade para precaver todas as eventualidades aquando da reabertura do ano escolar em Setembro.

A pesquisa de vacinas e tratamentos para a Covid-19 continua um pouco por todo o mundo, mas um novo estudo em que participaram cientistas canadianos concluiu que o uso de hidroxicloroquina não é eficaz na prevenção da doença.

Este que foi o primeiro ensaio clínico em dupla ocultação, aleatório e com controlo de placebo a investigar este composto que já tanto deu que falar foi publicado no New England Journal of Medicine por uma equipa que foi liderada no Canadá pelo Dr. Todd Lee e pela Dra. Emily McDonald, do Instituto de Pesquisa do Centro de Saúde da Universidade McGill, em parceria com colegas das Universidades de Manitoba e de Alberta, e coordenado com um estudo de grande envergadura levado a cabo na Universidade de Minnesota, EUA.

Entretanto, no Reino Unido outro estudo semelhante foi encerrado após análises preliminares não terem revelado qualquer benefício no tratamento da doença.

Entretanto a empresa Bombardier, que sob contracto com a Metrolinx opera os serviços da Go Transit e UP Express, anunciou o despedimento temporário de 196 funcionários a partir de 21 de Junho – um quarto da força laboral destes serviços ferroviários da Área da Grande Toronto – devido ao que indicou ser uma redução no número de utentes na ordem dos 90 por cento.

Poucos dias depois a empresa anunciaria também o despedimento temporário de mais 2.500 empregados que trabalham no ramo da aviação.

Por seu turno, a Associação de Cuidados Continuados do Ontário instou o governo federal a prestar mais ajuda às províncias para prepararem os lares da terceira-idade para a próxima vaga do vírus corona.

Nessa quinta-feira (4) Justin Trudeau participou na que foi a sua terceira cimeira internacional numa semana, altura em que reiterou a sua opinião de que uma eventual vacina contra a Covid-19 deve ser partilhada com o resto do mundo por forma a erradicar a doença, fazendo eco ao apelo da ONU, da Cruz Vermelha Internacional e do Movimento do Crescente Vermelho no sentido de que esta deverá ser "do povo".

O Primeiro-ministro viria ainda a anunciar a atribuição de um subsídio especial para a terceira-idade, a partir de 6 de Julho, no valor de 300 dólares para os mais de seis milhões de pessoas que recebem pensão de velhice e 200 dólares para os 2,2 milhões que recebem o suplemento de rendimento garantido do governo.

Entretanto e segundo a Dra. Theresa Tam, directora dos serviços de saúde do Canadá, o novo modelo federal que projecta a evolução da pandemia no país demonstra que o Canadá tem tido sucesso nas medidas que têm sido aplicadas e que a doença está em fase decrescente por todo o país, mas acautela que o abrandamento apressado das directivas de saúde poderá originar um ressurgimento descontrolado.

Segundo a médica, os modelos iniciais baseavam-se parcialmente em dados sobre a forma de propagação e período de incubação do vírus, enquanto que os números actuais incluem dados reais, recolhidos no Canadá.

Um número cada vez maior de investigações parece sugerir que a Covid-19 é uma doença inflamatória dos vasos sanguíneos e não das vias respiratórias e pulmões como inicialmente se julgava, uma pista potencialmente importante que poderá alterar a forma como é tratada.

O governo do Ontário designou a médica e ex-ministra federal da Saúde Jane Philpott para o cargo de conselheira no planeamento e implementação de uma nova plataforma de dados de saúde cujo objectivo é ajudar os pesquisadores e funcionários do sistema de saúde a terem acesso a informações actuais, protegendo a privacidade dos pacientes cuja informação é tornada anónima.

No final da semana o governo provincial assumiu a gestão de mais um lar da terceira-idade que tem tido dificuldades em conter um foco infeccioso de Covid-19, o Woodbridge Vista Care Community, de Vaughan – para o qual foram também destacados elementos das Forças Armadas Canadianas – passando a administração interinamente para o William Osler Health System, de Brampton.

Em resposta a críticos que defendiam a divulgação da lista de lares que estavam em situação de "alerta vermelho", Doug Ford recusou dar a conhecer as 19 instituições nessas circunstâncias para, como indicou, não as alertar para as inspecções-surpresa.

O governo provincial anunciou ainda um investimento de 1,5 milhões de dólares em organizações que prestam apoio a famílias e a jovens negros a recuperarem do impacto da pandemia.

Entretanto, cresce o número de epidemiologistas e economistas que questionam se terá sido necessário ou benéfico o confinamento em massa que foi decretado desde meados de Março ou se a cura não terá sido pior do que a doença.

A maioria dos economistas concordam que o Canadá atingiu o seu ponto mais baixo desta crise entre finais de Abril e o princípio de Maio, encontrando-se actualmente em fase de recuperação, mas ressalvam que apesar de haver sinais promissores será um processo longo e difícil.

Em Toronto o Presidente da Câmara, John Tory, anunciou um novo programa designado CafeTO que se pretende venha a permitir a rápida reabertura de esplanadas com um processo de aprovação acelerado e espaços adicionais.

Segundo indicou, a autarquia está preparada para ajudar os bares e restaurantes permitindo-lhes utilizar parte dos passeios para esplanadas logo que for possível ao público voltar a frequentar este tipo de estabelecimentos.

O edil aconselhou também as empresas no ramo de serviços pessoais, tais como barbeiros, cabeleireiras, lojas de tatuagens e salões de beleza, a familiarizarem-se com as recomendações da cidade e a prepararem-se para quando o governo provincial os autorizar a reabrir.

No final da semana, com o Ontário a registar mais de 20.000 testes de despistagem pelo segundo dia consecutivo, as unidades regionais de saúde voltaram a indicar que o número de novos casos (416) detectados foi superior aos 400 diários que são considerados indicadores do sucesso da luta contra a doença – a vasta maioria dos quais (361, ou 90 por cento), na área da grande Toronto.

Segundo a Associação de Enfermeiras Registadas do Ontário, o rápido alastramento da Covid-19 e a elevada taxa de mortalidade em lares de idosos comprovam a necessidade de haver uma enfermeira especializada no controlo de infecções em cada lar.

Por seu turno, a Organização Mundial de Saúde (OMS) passou a recomendar o uso de máscaras de pano em zonas onde o vírus se estiver a propagar e não for possível observar as distâncias consideradas seguras.

A par dos vários subsídios que têm vindo a ser concedidos por Otava como forma de apoio financeiro a vários grupos e sectores da sociedade, o Primeiro-ministro canadiano anunciou que irá ser feito um pagamento de 600 dólares aos deficientes afectados pela pandemia.

A ministra do Emprego, do Desenvolvimento Laboral e da Inclusão dos Deficientes, Carla Qualtrough, viria a anunciar igualmente uma verba destinada às organizações nacionais de deficientes, no valor de 1,1 milhões de dólares.

Justin Trudeau anunciou também que o governo federal irá distribuir pelas províncias e territórios 14.000 milhões de dólares para ajudar os respectivos governos a equilibrarem as finanças, mas dada a enormidade dos défices que estes enfrentam o valor foi imediatamente reconhecido como insuficiente por vários chefes de governo.

No Ontário, Doug Ford indicou que só a recuperação desta província irá custar cerca de 23.000 milhões de dólares pelo que os 14.000 mil milhões de Otava deverão ser "o início, e não o fim" dos apoios que terão de vir do governo federal.

Por seu turno, John Tory voltou a enfatizar que se os governos federal e provincial não satisfizerem as necessidades económicas da autarquia, a Câmara de Toronto terá que decretar enormes aumentos no imposto predial e/ou cortar nos serviços que presta.

Entretanto, e embora as restrições impostas aos alugueres de curta duração no Ontário tenham sido retiradas e as pensões, condomínios e pousadas passassem a poder receber hóspedes desde o último fim-de-semana, o governo anunciou o prolongamento das leis de emergência durante pelo menos mais 10 dias, as quais incluem a proibição de comer em bares e restaurantes, assim como encontros de mais de cinco pessoas.

No fim-de-semana o escândalo dos lares de idosos voltou a estar em destaque com a revelação de que os elementos das Forças Armadas Canadianas que prestaram serviço nos lares mais afectados pela pandemia poderão vir a ser chamados para testemunhar em processos jurídicos movidos contra as instituições.

Estas e outras acções, incluindo contra transportadoras aéreas, universidades e companhias de seguros, poderão vir a sobrecarregar os tribunais canadianos durante anos, segundo vários advogados, havendo já vários processos a decorrer, tanto individuais como colectivos.

Com o público a ser consciencializado para a importância da lavagem e desinfecção frequente das mãos, a notícia de que o Departamento de Saúde do Canadá decretou a retirada do mercado de alguns desinfectantes por conterem etanol industrial com elementos químicos que não são aprovados para uso pessoal provocou alguma consternação.

Os produtos visados são "Eltraderm Hand Sanitizer", "Gel 700 Hand Sanitizer", "Sanilabs Hand Sanitizer" e "Walker Emulsions Hand Sanitizer", e as autoridades recomendam que quem os tiver deixe imediatamente de os usar e os devolva a uma farmácia para que possam ser devidamente eliminados.

Já no início desta semana Justin Trudeau anunciou que a proibição de atravessar a fronteira com os EUA em situações consideradas "não essenciais" iria ser alterada por forma a autorizar a reunião de famílias que ficaram separadas pela pandemia.

A isenção à regra aplica-se aos parentes imediatos de cidadãos ou residentes permanentes no Canadá, incluindo "cônjuges, filhos e pais de crianças menores", mas o Primeiro-ministro avisou que ao entrarem no Canadá terão de se isolar durante 14 dias ou sujeitarem-se a graves penalidades.

Com o processo de reabertura da economia a decorrer por fases, Doug Ford anunciou que Toronto, Durham, Halton, Peel, York, Haldimand-Norfolk, Hamilton, Niagara e Windsor-Essex continuariam no chamado "primeiro estágio de confinamento", podendo o resto da província, incluindo Otava, passar ao segundo estágio.

Assim, os restaurantes em certas zonas da província poderão reabrir a partir de hoje, sexta-feira (12), embora em Toronto e arredores tenham de aguardar até, pelo menos, 19 de Junho.

Numa altura em que vários profissionais de saúde se queixam de lhes ter sido sonegado o salário de quarentena atribuído pelo governo, de serem obrigados a trabalhar em grupos enquanto aguardam os resultados dos testes de Covid-19 e de condições de trabalho que impossibilitam o distanciamento, dados tornados públicos revelam que cerca de 1600 trabalhadores do sector ficaram infectados com Covid-19 no mês passado no Ontário – uma média de 53 por dia.

Entretanto, a entidade responsável pelos stocks de sangue e plasma a nível nacional, a Canadian Blood Services, destaca que o número de dadores está aquém do normal devido às restrições de distanciamento ainda em vigor.

Foi também esta semana que o Primeiro-ministro do Ontário anunciou que o seu governo iria introduzir legislação a proibir as acções de despejo contra as empresas afectadas pela pandemia.

John Tory manifestou-se de imediato em apoio a esta decisão, indicando que havia empresas de todas as dimensões por toda a cidade que estavam em risco de encerrar devido à impossibilidade de pagarem a renda.

O edil apelou aos senhorios para que se candidatem ao apoio oferecido pelo governo federal ao abrigo da iniciativa CECRA, que lhes garante 75 por cento das rendas – 50 por cento pago pelo governo e 25 por cento pelos inquilinos.

Entretanto e confrontado com o extraordinário número de pedidos de subsídios CERB – que garantem 2.000 dólares por mês a todos os cidadãos ou residentes que deixaram de trabalhar devido às medidas de contenção da pandemia – Justin Trudeau indicou estar a ser elaborada uma proposta de lei que propõe elevadas multas e prisão para quem o fizer indevidamente.

O anúncio foi imediatamente criticado pelo partido NDP que considerou tratar-se de uma ameaça às pessoas mais vulneráveis que enfrentam dificuldades financeiras e a quem o CERB se propõe ajudar.

Justin Trudeau viria a requalificar as suas afirmações para indicar que não seriam punidas aquelas pessoas que, embora indevidamente, tivessem solicitado o subsídio de boa-fé, mas no ar ficou a ameaça que os críticos consideram poderá levar algumas pessoas a simplesmente não pedirem ajuda, mesmo que se qualifiquem.

Justin Trudeau rejeitou igualmente pedidos da oposição para pôr as contas do governo em dia, alegando que nesta altura qualquer tentativa de estimar o impacto da pandemia e da reabertura da economia seria pura "invenção e imaginação".

Outras medidas do governo federal incluem a promessa da ministra da Agricultura, Marie-Claude Bibeau, de revelar em breve os detalhes de um programa que visa comprar produtos alimentares em excedente aos agricultores e redistribuí-los pelos bancos alimentares, e o lançamento de um portal com o objectivo de ajudar compradores e vendedores de material de protecção a entrarem em contacto, assim como a determinar o tipo de equipamento que devem usar no trabalho.

As limitações impostas pelas medidas de contenção da pandemia provocaram um aumento significativo no uso de tecnologia para a criação de encontros e reuniões virtuais, algo a que nem o Supremo Tribunal do Canadá escapou, tendo anunciado que até ao final desta semana iria realizar quatro audiências nesse formato.

Entretanto, com o mundo a braços com uma crise económica de monumentais proporções devido às medidas que foram decretadas para travar o contágio pelo vírus corona, o secretário-geral da ONU, António Guterres, apelou a uma tomada de acção imediata no sentido de evitar uma "emergência alimentar" a nível do globo.

Segundo o dirigente das Nações Unidas, "há comida mais do que suficiente para alimentar os 7,8 mil milhões de pessoas do planeta, mas os nossos sistemas alimentares estão a falhar" em vários países, sobretudo os mais carenciados.


Voltar a Sol Português