1ª PÁGINA


Arsenal do Minho de Toronto:

32 anos celebrados com festa dupla

Por Jonathan Costa
Sol Português

O último fim-de-semana foi de celebração e alegria para o Arsenal do Minho of Toronto Community Center, colectividade que assinalou 32 anos de existência com um Porto de Honra na noite de sexta-feira (5) e um jantar de gala no dia seguinte, sábado (6), ambos na sua sede social.

A cerimónia de sexta-feira foi assistida por cerca de meia centena de sócios, dirigentes e convidados que relembraram e destacaram o historial desta organização que promove as tradições, os valores e a cultura minhota no Canadá.

A apresentação esteve a cargo de Karina Gonçalves e Vanessa Veloso, ambas manifestamente orgulhosas da colectividade que representam e onde são dirigentes voluntárias.

Para Karina Gonçalves, que ocupa o cargo de secretária do Arsenal, o clube faz parte da sua vida há quase duas décadas: "tenho enorme orgulho em ser minhota e é neste centro comunitário que demonstro todo esse orgulho pela nossa cultura e as nossas tradições".

"Já estou neste grupo desde criança, não imagino a minha vida sem ele", acrescentou, salientando que "ensinou-me muito do que hoje sei, ajudou-me a crescer e tenho aqui amigos para a vida toda".

Para Vanessa Veloso, que é directora da secção da juventude, a aderência dos mais novos ao Arsenal numa altura em que tantos clubes se deparam com dificuldade em atrair as camadas jovens, é algo que merece destaque.

"Temos crianças de várias idades, adolescentes que querem demonstrar todo o orgulho em pertencerem a esta cultura tão rica", refere com orgulho, destacando que "crescemos juntos nesta casa" e "esta união é para toda a vida".

"Juntem-se a nós, prometo que se vão divertir e vão ser muito bem recebidos neste clima de família", salientou.

É de facto notória a juventude que compõe a Direcção do Arsenal do Minho, colectividade que ultrapassou um período de transição na sua liderança depois das eleições realizadas em Julho deste ano.

Em declarações ao jornal Sol Português, Joel Bastos, que assumiu a liderança do Arsenal como um dos mais jovens dirigentes associativos, explicou as alterações que fez efectuar, incluindo a eliminação do cargo de presidente Executivo.

"Sim sou jovem, tenho menos de 30 anos, mas a minha voz é apenas uma numa Direcção que conta com quase 25 pessoas", ressalvou, salientando que "entre elas temos membros jovens e membros experientes que assumem a mesma voz – ninguém é mais que ninguém e decidimos tudo em grupo".

"Decidi mudar o formato da Direcção e eliminar a posição de presidente para que essa união e igualdade nas decisões possam ser justamente efectuadas", acrescentou ainda, prometendo que continuarão a levar "este centro comunitário no caminho do sucesso, com imenso orgulho nas nossas actividades e cultura minhota" e que "o futuro continuará a trazer imensas alegrias (...) a todos os membros desta casa".

Após a abertura da cerimónia, que começou com a interpretação dos hinos português e canadiano, Joel Bastos seria o primeiro a discursar publicamente, partilhando um pouco da sua história vivida nesta colectividade.

"Quando me mudei para o Canadá, há 10 anos, apaixonei-me por esta casa. Fui bem recebido e sempre senti que fazia parte desta família. Tenho imenso orgulho nas tradições minhotas e partilho esse sentimento com todos vocês", destacou o novo dirigente que agradeceu "aos nossos sócios, membros da Direcção, convidados e patrocinadores por tornarem tudo isto possível".

Também António Letra, sócio de longa data e editor da revista publicada anualmente por ocasião do aniversário do Arsenal do Minho, se manifestou publicamente, expressando o seu orgulho por tudo o que conseguiram atingir.

"Todos partilhamos este amor por este centro comunitário", destacou, lembrando que no seu caso "já faço parte desta família há imenso tempo e aprendi imenso com cada um de vocês".

"Os minhotos demonstram sempre união e dedicação ao próximo e cada um de vocês é e sempre foi um exemplo desses nossos valores", concluiu, antes de agradecer ao cônsul-geral de Portugal em Toronto, Rui Gomes, por estar presente.

"Sei que tem sido um fim-de-semana atarefado e agradeço o facto de estar aqui a comemorar esta nossa data histórica", referiu António Letra a propósito dos múltiplos eventos que o diplomata tinha agendados.

Rui Gomes, que deu por encerrados os discursos, prometeu apoio ao Arsenal do Minho e a todas as associações comunitárias, indicando a sua intenção de "rever as condições de várias associações comunitárias no sentido de poder proporcionar um maior apoio financeiro e social".

A propósito deste 32.º aniversário, o representante do governo português disse-se "orgulhoso de ver este grupo de minhotos de todas as idades, com corações cheios de orgulho das suas tradições", destacando que "isso demonstra que o futuro desta casa continuará a ser igualmente brilhante" nos anos vindouros.

Em declarações ao jornal Sol Português, o diplomata, que já ocupou cargos em países como o Brasil e a Espanha, revelou estar ainda a habituar-se à sua nova vida em Toronto, onde chegou há cerca de três semanas.

"Esta aventura no Canadá vai ser diferente, tenho pela frente um período de adaptação. Ainda estou a conhecer os arredores desta enorme cidade", referiu, destacando no entanto estar a ser "imensamente bem recebido" e prometendo dar o seu melhor para apoiar "esta enorme comunidade portuguesa deste lado do Atlântico, que demonstra um enorme orgulho na sua cultura mesmo estando longe de casa. É um orgulho poder estar aqui convosco e vou aprender bastante com cada um de vocês", concluiu.

Após o encerramento das formalidades procedeu-se ao corte do bolo de aniversário, que se apresentava decorado com as cores e o brasão do Arsenal do Minho e que foi partilhado com todos os convidados, acompanhado por um cálice de vinho do Porto. Foram também servidas iguarias típicas da gastronomia portuguesa à conclusão do Porto de Honra.

No dia seguinte, sábado, a sede do Arsenal engalanou-se mais uma vez para dar continuidade à festa de aniversário, desta feita um jantar de gala que registou a participação de cerca de 150 pessoas.

O alegre e animado serão contou com animação musical a cargo do Duo Raça Latina, assim como uma colorida e muito aplaudida actuação dos ranchos infantil e adulto do Arsenal.


Voltar a Sol Português