1ª PÁGINA


Associação Cultural do Minho comemora 41 anos com apelo à união

Por Jonathan Costa
Sol Português

Centenas de pessoas festejaram no passado sábado (6) o 41.º aniversário da Associação Cultural do Minho de Toronto (ACMT), numa noite de gala repleta de emoção e nostalgia durante a qual sócios e dirigentes partilharam recordações de alguns dos momentos marcantes desta colectividade que tem como objectivo a promoção e a divulgação da cultura minhota.

Para o presidente do Executivo, esta foi uma noite "para celebrar mais um ano de trabalho" árduo nesse sentido, manifestando-se "imensamente orgulhoso desta Associação, de todos os sócios que a formam e de todos os que nos apoiam".

Em declarações ao jornal Sol Português, Augusto Bandeira lembrou que foram "a primeira Associação do Minho a abrir as suas portas em Toronto" e que já chegaram "a organizar festas que contavam com a presença de 700 a 800 pessoas, um feito extraordinário", considerou.

Prometendo terem "muito para dar para os próximos 41 anos", o responsável pelo Executivo da ACMT lançou um apelo "à união" entre todas as colectividades minhotas.

"Unidos somos mais fortes, chega de divisão entre nós", destacou, garantindo que "esta casa tem as portas abertas a todos os minhotos e membros da comunidade portuguesa" em geral, convidando-os a "fazer parte da nossa linda história e do nosso futuro que continuará a trazer tantos momentos de alegria e confraternização".

Francisco Pegado e Telma Pinguelo foram os apresentadores da noite gala, que se realizou num salão de festas em Mississauga, espalhando sorrisos e gargalhadas com o seu estilo humorístico.

Hernâni Raposo e Pedro Joel foram os primeiros artistas a actuar, ambos acompanhados das tradicionais guitarras nas quais dedilhavam melodiosas variações que arrancavam fervorosos aplausos do público.

Os convidados incluíram a deputada federal Julie Dzerowicz, que discursou maioritariamente em língua portuguesa, em honra da cultura celebrada nessa noite, desejando um "feliz aniversário a esta histórica associação e a todos vocês que a formam".

Agradecendo "a todos por me convidarem para fazer parte desta linda noite", a representante de Davenport em Otava salientou ser "um prazer poder estar aqui com vocês, a celebrar a vossa cultura" e recordou já ter tido "o prazer de visitar o Minho", destacando Braga e Viana.

"Posso garantir toda a sua beleza e rica história, fiquei fascinada", confessou a política que representa o distrito eleitoral com maior concentração de portugueses no Canadá.

Também a vereadora Ana Bailão marcou presença neste aniversário considerando "importantíssimo celebrarmos toda a história desta Associação que tanto tem feito pela comunidade minhota e portuguesa ao longo de todos estes anos".

A vice-presidente da Câmara de Toronto e candidata pelo distrito de Davenport nas próximas eleições autárquicas expressou à nossa reportagem ser um orgulho estar presente nesta comemoração e elogiou a participação jovem na ACMT.

"É de facto lindíssimo ver esta sala cheia de jovens envolvidos no clube e no rancho da casa, que irão formar o futuro deste grupo e da nossa comunidade", afirmou, antes de concluir com a formulação de votos de um feliz aniversário.

A vereadora viria a discursar publicamente depois de uma nova actuação dos músicos Hernâni Raposo e Pedro Joel, desta vez no acompanhamento da fadista Cláudia Pereira, uma jovem luso-canadiana que começa a dar os seus primeiros passos no mundo da música e que conquistou fortes aplausos nesta sua intervenção.

Ana Bailão lembrou o público da importância do voto, a propósito das eleições autárquicas que se realizam no dia 22 deste mês, com um apelo: "peço à comunidade que vote, seja em mim ou qualquer outro vereador, mas façam as vossas vozes serem ouvidas".

O seu discurso foi seguido por nova actuação, desta vez do rancho da casa, grupo composto por dezenas de crianças, jovens e adultos que encheram o salão de cores, com os seus trajes tradicionais minhotos, e de alegria, com as suas canções tradicionais.

Após interpretarem vários temas, Augusto Bandeira interrompeu a actuação para homenagear dois dos mais antigos sócios da colectividade:António Gonçalves e Maria Melo, aos quais atribuiu um galardão em reconhecimento dos seus largos anos de dedicação.

"É um orgulho enorme ter pessoas como vós na nossa associação, que sempre deram tudo por nós. Esta é uma lembrança, um símbolo da nossa gratidão por tudo o que fizeram ao longo de todos estes anos", ressalvou.

António Gonçalves subiu ao palco para receber o troféu, mas recusou discursar, enquanto que Maria Melo não pôde estar presente neste evento, tendo o seu prémio sido recebido pelo neto, Damião Melo, membro do Rancho da ACMT.

As homenagens ainda não estavam concluídas e Augusto Bandeira viria a reconhecer também o apoio do empresário Manuel da Costa, que por não estar presente foi representado pelo irmão, António da Costa.

Concluídas as formalidades, estava na hora de cantar os parabéns à ACMT, de que se encarregou o rancho, em tom de serenata, enquanto o bolo decorado com o brasão da Associação era partilhado com todos os presentes.

O rancho folclórico viria a dar por concluída a sua actuação com os elementos organizados em fila e a dançarem o vira.

Entretanto, e num momento de solidariedade que arrancou efusivos aplausos do público, Augusto Bandeira convocou ao palco os representantes da Luso Canadian Charitable Society, aos quais entregou um cheque no valor de 5.750 dólares a favor desta organização que presta apoio a famílias e adultos com deficiências motoras e físicas.

"Adorava poder encher mais três ou quatro destas salas para vos poder ajudar ainda mais", declarou o responsável da ACMT, agradecendo "todo o vosso trabalho fantástico pela nossa comunidade e pela qualidade de vida destas lindas pessoas".

"Ser minhoto é saber dar, saber retribuir, e em nome da nossa casa é um prazer enorme poder-vos atribuir este cheque, que representa 20% do montante total contribuído pelos nossos patrocinadores para a realização desta noite de gala", declarou.

O último convidado a discursar foi o novo cônsul-geral de Portugal em Toronto, Rui Gomes, que embora tivesse chegado ao Canadá há pouco tempo revelou estar consciente da actividade realizada pela ACMT.

"Esta casa demonstra todo o impacto que a nossa comunidade portuguesa e a comunidade minhota têm sobre esta cidade e este país. Tem uma história muito rica e estão de parabéns pelo orgulho com que sempre representaram a vossa cultura e as vossas tradições", afirmou o diplomata que expressou ainda a sua disponibilidade para ajudar no que for possível.

Na conclusão da cerimónia e após a despedida de Augusto Bandeira e dos apresentadores, foi a vez da Karma Band tomar conta da festa, levando o serão até para lá da uma da manhã com uma animada actuação e baile que coroou estas festividades aniversariantes.


Voltar a Sol Português