1ª PÁGINA


Ponta Delgada:

Prémio Nobel da Paz nas XV Grandes Festas do Divino Espírito Santo

Por Natividade Ledo e Carlos Ledo
Sol Português

No passado fim-de-semana, a cidade de Ponta Delgada, em São Miguel - Açores, encontrou-se de novo em festa para celebrar o Divino Espírito Santo, atraindo milhares de visitantes não só desta que é conhecida também por "ilha do Arcanjo", como das outras ilhas do arquipélago, de Portugal Continental e da Diáspora.

Anualmente, milhares de imigrantes cruzam terras e mares para se deslocarem à sua terra natal para matarem saudades das suas tradições, mas são também cada vez mais os estrangeiros que viajam até aos Açores para apreciarem não só as belezas das ilhas, como também as suas afamadas festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres, do Divino Espírito Santo e outras de cariz religioso e profano, e que são levadas a cabo nas suas freguesias, vilas e cidades.

A 15.ª edição das Grandes Festas do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada organizadas pela autarquia decorreram de quinta-feira (5) a domingo (8) e tiveram este ano como convidado especial o Prémio Nobel da Paz, D. Ximenes Belo, que teve participação activa nas várias actividades.

O início do programa oficial registou a abertura ao fim da tarde de quinta-feira das exposições fotográficas "Divino em Objectiva 2017" e "Festas do Império do Divino Espírito Santo de Alenquer 2018", decorrendo pelas 21h30, na Igreja Matriz de São Sebastião, a conferência "Espírito Cristão", proferida por D. Ximenes Belo, seguida do concerto inaugural – um recital com professores e alunos do Conservatório Regional de Ponta Delgada.

A igreja matriz foi palco no dia seguinte, sexta-feira (6), do lançamento do livro "Missionários Açorianos em Timor Leste", da autoria de D. Ximenes Belo, e mais tarde, pelas 20h00, procedeu-se à mudança da Bandeira do Divino Espírito Santo do Centro Municipal de Cultura até aos Paços do Concelho e ao desfile da Charanga dos Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada, na Praça Município.

No salão nobre dos Paços do Concelho procedeu-se então à abertura do quarto do Divino Espírito Santo, que se encontrava lindamente decorado, prosseguindo as actividades com a realização de um concurso de massa sovada, a bênção da despensa do Espírito Santo, arrematação da massa e do pão, abertura dos quiosques de solidariedade social e do bazar dos centros de idosos do concelho e, a encerrar as festividades do dia, um concerto com a Banda Minerva, da freguesia dos Ginetes, que teve lugar no coreto frente às portas da cidade.

No sábado (7), logo pelas 9h00 procedeu-se à distribuição das pensões a instituições particulares de solidariedade social, seguindo-se pouco depois a inauguração do Triato do Espírito Santo.

Cerca do meio-dia passou-se à partilha das tradicionais e populares sopas do Espírito Santo, uma refeição colectiva que decorreu no campo de São Francisco, por onde passaram milhares de pessoas para saborearem esta iguaria, acompanhada de tudo o mais que integra o popular repasto, incluindo sumos e vinho.

O cortejo etnográfico representativo das 24 freguesias do concelho arrancou por volta das 15h00, percorrendo a Avenida Infante D. Henrique ao longo de uma tarde agradável de sol e calor.

Já no final do dia proceder-se-ia à recitação do terço cantado, que decorreu no Quarto do Espírito Santo, terminando o serão com animados espectáculos com o Grupo de Folias do Espírito Santo da Covoada e o agrupamento Brumas da Terra.

O domingo, último dia das festividades, ficou marcado pela realização de Missa Solene ao ar livre, no largo da Igreja Matriz, logo pela manhã.

O serviço religioso foi presidido por D. Ximenes Belo e acompanhado pelas vozes do grupo coral de São José, seguindo-se pouco depois o tradicional bodo de leite para todos os que quiseram saboreá-lo.

Nessa tarde proceder-se-ia ao cortejo das coroações e bandeiras dos impérios do Espírito Santo do concelho, que cerca das 16h00 partiu do Campo de São Francisco e seguiu pela Rua Luís Soares e Sousa, passou pelo Largo Dr. Manuel Carreiro e percorreu a Avenida Infante D. Henrique, a Rua da Fonte, a Rua Ernesto do Canto e a Rua dos Mercadores até terminar na Praça do Município.

As grandes festividades deste ano em honra do Divino Espírito Santo viriam a encerrar nessa noite com um espectáculo de cantigas ao desafio, seguido por um concerto do agrupamento Myrica Faya. da Ilha Terceira.


Voltar a Sol Português