1ª PÁGINA


Exposição de fotografia em Toronto retrata 500 anos das peregrinações dos Romeiros

Mostra estará patente ao público na Peach Gallery até 29 de Maio

Por Luís Aparício

Sol Português

"500 anos _ Os Romeiros de São Miguel" é o título e tema da exposição de fotografia da autoria de Joseph Amaral que na passada quinta-feira (5) foi inaugurada na Peach Gallery, em Toronto, numa iniciativa em colaboração com o festival Scotiabank CONTACT.

A mostra, que estará patente ao público naquele espaço até ao dia 29 de Maio, "explora a peregrinação única dos Romeiros em 17 fotografias a preto e branco em metal", como a descreve o fotografo luso-canadiano que admite que o tema o fascina.

"Sou fascinado pelos Romeiros desde que vi a peregrinação pela primeira vez em 2012, quer pelo ritmo da caminhada às músicas que cantam no percurso, e a total humildade e devoção visível nos seus rostos", frisou.

A origem da peregrinação anual dos Romeiros a São Miguel remonta a 1522, na sequência do terramoto que então atingiu aquela ilha do arquipélago açoriano, ceifando a vida a milhares de residentes e soterrando Vila Franca do Campo.

Este desastre natural levou a que os locais apelassem às forças divinas para que os protegessem, tendo desta forma dado início às peregrinações dos Romeiros que durante oito dias, na Primavera, dão a volta à ilha em grupos, caminhando do amanhecer até ao anoitecer, abrigando-se nas casas e igrejas que encontram ao longo do percurso.

"Alguns são Romeiros há anos, outros são filhos e netos de Romeiros", explica Joseph Amaral, a propósito dos que escolher participar nestas caminhadas, ao mesmo tempo que sublinha que "a tradição ainda está muito viva hoje, e é uma lição de humildade" vê-la continuar.

O fotógrafo comercial, especializado em fotografia editorial e corporativa, é reconhecido pela sua preferência pelas imagens a preto e branco, e pela forma como utiliza a luz para iluminar os temas que retrata.

"A cor tende a trazer alegria, mas eu não queria mostrar alegria", justificou, quando questionado sobre o motivo de optar pela fotografia a preto e branco para retratar este tema.

"Queria mostrar a meditação, queria transmitir um certo sentimento, e senti que o preto e branco seria o mais indicado para o trabalho final", diz-nos o autor que remata: "estas fotografias são, para mim, as que melhor contam a história dos Romeiros".

A mostra fotográfica conta com o patrocínio do Governo Regional dos Açores e durante a cerimónia de abertura, Matthew Correia, membro do Conselho da Diáspora Açoriana (CDA) em representação do Ontário, leu uma mensagem de José Andrade, director regional das Comunidades da Região Autónoma dos Açores, onde este lembrava que as romarias quaresmais açorianas, especialmente simbolizadas nos Romeiros de São Miguel, são uma das mais antigas e representativas tradições religiosas do povo daquela região.

"Daí a especial pertinência e a adequada oportunidade desta interessante exposição evocativa, que celebra e projecta os nossos romeiros no outro lado do Atlântico", como refere na sua mensagem.

O director regional das Comunidades açorianas prossegue afirmando ainda que a apresentação da exposição em Toronto assume "um significado especial, porquanto a importante comunidade açoriana desta grande cidade canadiana também honra a tradição das romarias _ quer aqui, quer de cá para lá _ graças ao nosso conterrâneo António Tabico, entre outros emigrantes de ontem e de hoje".

A exposição estará patente ao público até 29 de Maio na galeria localizada no terceiro andar do número 722 da College Street, de segunda a sexta-feira, das 10:00 às 18:00, abrindo aos sábados e domingos apenas por marcação.

O CONTACT, é uma organização sem fins lucrativos que em Toronto promove a fotografia artística e profissional através da realização de um festival anual, em Maio.

Na edição deste ano do certame estão previstas mais de 140 exposições e instalações de arte ao ar livre de artistas canadianos e internacionais.


Voltar a Sol Português