1ª PÁGINA


Poveiros em festa no 31.º aniversário da sua colectividade

Por António Perinú e Fátima Martins
Sol Português

A Casa dos Poveiros de Toronto festejou no passado fim-de-semana o 31.º aniversário da sua fundação, efeméride celebrada por dirigentes, sócios e simpatizantes da colectividade poveira em dois convívios distintos.

O primeiro decorreu na noite de sexta-feira (6) e assumiu a forma de um Porto de Honra, ficando o jantar formal de aniversário para o dia seguinte, sábado (7).

A cerimónia na noite de sexta-feira decorreu numa atmosfera de alegria e ficou marcada pela calorosa recepção dos dirigentes da colectividade aniversariante aos sócios, público e representantes de outros clubes e associações da comunidade portuguesa que compareceram ao encontro.

A apresentação ficou a cargo da presidente do Executivo, Linda Correia, que publicamente deu as boas-vindas a todos chamando para junto de si os colegas do associativismo comunitário que ali se deslocaram.

Foram eles Ana Costa, em representação do Clube Transmontano; Rick Coelho, da Casa da Madeira; Bernardino Nascimento, da Casa das Beiras; Victor Santos, da Associação Migrante de Barcelos; e Laurinda Araújo, do Arsenal do Minho – todos eles a darem uma palavra de amizade em apoio à organização aniversariante e a procederem à entrega de lembranças.

Da palavra usaram também Elizabeth Correia, uma amiga de longa data desta colectividade; assim como António Perinú em representação do jornal Sol Português; Fátima Martins, representante do jornal Voice; e Dario Amaral, vice-presidente de programação da emissora CHIN Radio, todos a valorizarem o trabalho desenvolvido pelos dirigentes e voluntários que garantem a preservação das tradições e cultura poveira nesta cidade.

Na impossibilidade de estar presente, a vereadora Ana Bailão – que nesse mesmo dia havia sido nomeada vice-presidente da Câmara Municipal de Toronto – enviou a sua assessora, Marlene Araújo para a representar.

No final da sua alocução, Marlene Araújo entregou a Linda Correia um certificado emitido pela Câmara e assinado pelo presidente John Tory e pela nova vice-presidente, a destacar a efeméride.

Antes porém, escutar-se-ia também Laurentino Esteves, presidente da Assembleia-Geral da Casa dos Poveiros, que agradeceu a presença de todos quantos ali se deslocaram para conjuntamente comemorarem este importante aniversário.

O mesmo fez Linda Correia, que enalteceu os elementos da sua Direcção, considerando que não se têm poupado a esforços para o bom funcionamento da Casa, e elogiou o trabalho desenvolvido por todos.

Em declarações ao jornal Sol Português, a dinâmica presidente destacou que a Casa está de boa saúde, em todos os aspectos, e revelou que o seu rancho folclórico – que tem estado inactivo – irá em breve voltar à actividade e às actuações, estando agora garantida a sua continuidade.

Linda Correia, que é poveira por afinidade e não por nascença, não se tem poupado a esforços para elevar bem alto o nome da Casa dos Poveiros de Toronto, marcando já sete anos como presidente do Executivo.

Os primeiros cinco nessa capacidade foram servidos anteriormente, estando agora, após um curto interregno, a cumprir o segundo mandato consecutivo no cargo para o qual considera ter a sorte de poder contar com um quadro de dirigentes de que "todos os sócios se podem orgulhar".

Como manda a tradição, não faltou um brinde com um cálice de vinho do Porto, seguido de um bufete que fechou as celebrações nesta noite, ficando para o dia seguinte a festa principal, com um jantar de gala a comemorar os 31 anos da Casa dos Poveiros de Toronto.


Voltar a Sol Português