1ª PÁGINA


Concurso de Cantores:

Audições com jovens talentos enchem Casa do Alentejo

Por Jonathan Costa
Sol Português

Para as dezenas de concorrentes que no domingo (8) participaram na primeira ronda de audições da edição 2019/20 do Concurso de Cantores com John Santos (SCJS, na sigla em inglês) o dia ficou marcado pela emoção e pelo nervosismo.

Tendo mais uma vez por palco a Casa do Alentejo de Toronto, esta prova inicial da 14.ª edição do popular concurso deu a cada um dos concorrentes a oportunidade de subirem ao palco e, debaixo do brilho dos holofotes e das câmaras, interpretarem um tema da sua predilecção na esperança de obterem o parecer favorável do júri para garantirem o apuramento para a primeira ronda de qualificação, em Outubro.

O júri, um quarteto repleto de talento e de experiência no mundo da música – composto por Andy Melo, guitarrista luso-canadiano; Trevor Shelton, produtor e proprietário da editora Rammit Records; Anthony Wright, ex-produtor do programa televisivo "The Launch"; e Lisa Santos, cantora e directora-executiva do concurso – teve a difícil missão de escolher entre a diversidade de estilos e talentos em prova.

Andy Melo, para quem este é o primeiro ano como membro da equipa técnica do concurso, indicou à nossa reportagem sentir-se "lisonjeado por poder testemunhar e treinar todo este talento", e considerou os concorrentes "jovens fantásticos" que "demonstram uma coragem incrível em busca do seu sonho e da sua paixão".

"As decisões" – como destacou – "não vão ser fáceis", face à elevada qualidade dos concorrentes, motivo porque admitiu jocosamente sentir-se até "um pouco nervoso".

Nervosos mesmo estavam os jovens e os seus familiares que esperavam ansiosamente que os seus nomes fossem chamados, percorrendo os corredores da CAT enquanto faziam exercícios para aquecer a voz e tentar descontrair.

A tensão era palpável e o nervosismo pairava no ar, situação normal num clima de competição, com cada concorrente a tentar lutar pelo sonho de uma carreira musical.

Para John Santos, músico luso-canadiano responsável pela competição, "é fantástico vermos aqui todos estes jovens à procura dos seus sonhos e dos seus objectivos", mostrando-se particularmente agradado pela presença de "vários luso-canadianos, a representar a nossa comunidade e todo o nosso talento português", salientou.

A competição, que tem vindo a tornar-se cada vez mais multicultural, tem crescido igualmente em termos da qualidade dos participantes e como John Santos destacou à nossa reportagem: "temos imenso talento nesta sala", considerando por isso que a selecção dos que irão este ano integrar o rol oficial de concorrentes "não vai ser nada fácil".

O concurso, que se encontra já na sua 14.ª edição, é reconhecido como uma rampa de lançamento para jovens talentos que pretendem fazer carreira no mundo da música.

Ao longo dos próximos meses, os concorrentes terão de conseguir os votos do público e do júri para se qualificarem e, após as várias rondas de qualificação, semifinais e uma grande final – que terá lugar em Março ou Abril de 2020 – será declarado um vencedor em cada uma das duas categorias: juvenil e adulta.

Os prémios para cada vencedor incluem a gravação de um disco com masterização e edição a cargo de um produtor profissional, bem como a gravação de um vídeo para acompanhar um dos temas do álbum.

"Cantar é a minha paixão e vou à procura do meu sonho", afirmava à nossa reportagem Isabel Antunes, concorrente luso-canadiana na categoria juvenil que aguardava a sua vez e que confessou estar "algo nervosa" mas que "a espera é o pior" e "tudo melhora" quando começa a cantar.

Um a um, os concorrente tiveram a oportunidade de conquistar o júri, apresentando temas de variados estilos e géneros musicais, puxando pela voz e deixando tudo em palco na procura do seu sonho.

O júri, por seu turno, analisou cada actuação e ofereceu a sua avaliação técnica e crítica – conselhos valiosos para jovens talentos que procuram evoluir e moldar o seu próprio estilo musical.

"Temos aqui diamantes que necessitam ser lapidados", afirmou John Santos, indicando que a equipa técnica do concurso constitui "um painel formidável, com vasta experiência no ramo da música e vai ajudar cada um destes concorrentes a encontrar a sua voz".

Trata-se, afinal, do objectivo do concurso que, como destacou, pretende ajudar "cada um destes talentos a encontrar o seu melhor estilo, o seu melhor produto e a demonstrá-lo ao mundo".

Para já as audições irão continuar ao longo deste mês, dado o número de inscritos que é necessário ainda avaliar, estando a primeira ronda de qualificação agendada para Outubro, em data que a organização indica será anunciada brevemente.


Voltar a Sol Português