1ª PÁGINA


Associação Cultural do Minho de Toronto vai fazer 45 anos

Porto de Honra abriu as comemorações destinadas a enaltecer a história e o futuro da colectividade

Por Rómulo Ávila

Sol Português

A noite de sexta-feira, 7 de Outubro, marcou o arranque das comemorações do 45.º aniversário da Associação Cultural do Minho de Toronto (ACMT) com um Porto de Honra na sua sede, "aperitivo" para o jantar celebratório que amanhã, sábado (14), oficializa a efeméride.

Fundada em 1977, é uma agremiação que apesar da sua longevidade consegue manter-se jovem e dinâmica, contrariando aquela que é uma tendência crescente para um número cada vez maior de clubes e associações portuguesas em Toronto.

Tânia Barbosa, relações públicas, traçou os marcos importantes da história desta associação cultural minhota, descrevendo-a como sendo constituída por uma "verdadeira família, que se entreajuda e onde se criam ligações fortes", para conseguirem "levar por diante os objectivos e metas, com muita alegria".

A relações públicas salientou que esta "organização da comunidade é, certamente, a que mais juventude incorpora nos seus órgãos sociais, numa verdadeira demonstração de que os jovens, ouvindo os conselhos dos mais experientes, podem desenvolver trabalho".

A par das suas actividades, a ACMT tem um conhecido rancho folclórico e um departamento dedicado aos mais jovens, mas conta também um grupo de bombos e uma rusga, à boa maneira minhota.

No seu discurso perante o público e os convidados que assistiram ao Porto de Honra, Paulo Pereira, enquanto presidente desta agremiação cultural, agradeceu à sua equipa de trabalho, aos patrocinadores, à comunicação social de língua portuguesa e a todos os que acompanham e se envolvem nas actividades que a ACMT promove.

"Aqui estamos, jovens e menos jovens, empenhados em desenvolver as nossas actividades, a manter bem viva a nossa Associação Cultural", referiu, acrescentando quererem "que ela continue com muito dinamismo, pois foi assim que os nossos pais e avós nos ensinaram e será assim que a vamos passar aos nossos filhos e netos", salientou, visivelmente emocionado.

Segundo apurámos, e no que toca a planos para o futuro, é intenção da Direcção continuarem a divulgar os membros/sócios da ACMT nas redes sociais, com eventos como o "Member Monday", às segundas-feiras, e divulgar momentos que marcaram o passado com o "Throwback Thursday", todas as quintas-feiras.

Entretanto a organização anunciou a continuidade de realizações como o jantar de arroz de cabidela e o bife de Páscoa, assim como a Noite das Catarinas e, naturalmente, a celebração do aniversário.

Contudo, novos eventos também estão em agenda, tais como a comemoração da noite de Halloween, um "Beer Pong Tournament e uma festa de final de Verão.

Focando ainda o futuro da ACMT, Tânia Barbosa anunciou a comemoração dos 45 anos, amanhã, dia 14 e o jantar "potluck" no dia 26 de Novembro, enquanto que para a época natalícia está já marcado um pequeno-almoço com o Pai Natal, no dia 18 de Dezembro, e a campanha de angariação e doação de comida enlatada para ajudar os mais desfavorecidos.

De realçar também que todas as sextas-feiras, das 7h30 às 8h30, a ACMT promove na sua sede uma hora dedicada a explicações escolares gratuitas para todos os jovens interessados.

Presente a este convívio na dupla função de vice-presidente da Aliança dos Clubes e Associações Portuguesas do Ontário (ACAPO) e de relações públicas da Casa do Alentejo de Toronto, Laurentino Esteves afirmou que a ACMT é "um exemplo onde os jovens, quando lhes são dadas oportunidades e espaço, também podem contribuir para o enriquecimento da comunidade portuguesa".

Como destacou, "precisam de contar com o apoio dos mais experientes na vida, mas a energia e a dinâmica dos jovens não pode ser desaproveitada".

O vice-presidente da ACAPO disse ainda sentir "um enorme orgulho na comunidade portuguesa, que se manteve, depois da pandemia, bem erguida, dinâmica e bem firme na prossecução dos seus objectivos e valores".

Por seu turno, a deputada federal eleita por Davenport, Julie Dzerowicz, tomou a palavra para sublinhar "a importância da cultura portuguesa" e do "trabalho dos portugueses na construção do Canadá moderno, que", como afirmou, "faz com que este país seja mais forte e mais plural".

Presentes também neste Porto de Honra estiveram os presidentes da Associação Migrante de Barcelos e da Casa dos Poveiros de Toronto, Victor Santos e Linda Correia, respectivamente, que assinalaram a efeméride com a entrega de lembranças à colectividade minhota.


Voltar a Sol Português