1ª PÁGINA


Luso Charities:

Procuram-se ciclistas e caminhantes para a Volta Luso

Por João Vicente
Sol Português

A Volta Luso Charities, um evento com fins beneficentes que convida o público a caminhar ou andar de bicicleta a fim de angariar fundos para a Luso Canadian Charitable Society (LCCS), vai decorrer já no dia 23 de Setembro, mas a organização procura ainda atrair muitos mais participantes.

A revelação foi feita durante uma conferência de imprensa que teve lugar no passado sábado (8) e durante a qual a organização – normalmente referida apenas como "Luso" ou "Luso Charities" – indicou estar preparada para receber este ano 500 participantes, mas que, até àquela data, tinha apenas 60 inscrições, apelando por isso a uma maior participação do público.

A porta-voz e vice-presidente da Direcção Executiva da LCCS, Lena Barreto, refere que normalmente há um maior afluxo no registo de participantes nas últimas duas semanas que precedem o evento mas ainda assim, a intenção e o desejo é conseguir maximizar a participação pois as verbas angariadas são essenciais para ajudar a manter e a ampliar os programas que a LCCS faculta a pessoas portadoras de deficiência e suas famílias nos seus três centros, em Toronto, Peel e Hamilton.

Como referiu, é importante que a comunidade lusa se mobilize, não só participando como convidando amigos e familiares doutras comunidades a fazerem-no e a apoiarem os participantes ou doadores, o que ajuda a dar a conhecer a organização a um público mais alargado ao mesmo tempo que contribui para o sucesso desta iniciativa.

O evento, que inclui circuitos de 60 e de 20 quilómetros de bicicleta, assim como uma caminhada de oito quilómetros, teve início há quatro anos e tem vindo a atrair entre 200 a 400 pessoas anualmente, pelo que a organização se propôs atingir este ano o meio milhar de participantes.

Como destacaram os organizadores, o objectivo é beneficiar esta boa causa e conviver com outras pessoas que têm esse mesmo interesse e empenho, pelo que a forma física é de certa forma secundária pois não se trata de uma corrida.

Presentes a esta conferência de imprensa estavam Rob e Anna di Carlo, pais de dois jovens com necessidades especiais.

Julia, a filha do casal, é utente de um dos centros da LCCS e tanto Rob como Anna fizeram questão de salientar a importância do papel desempenhado por esta organização que nasceu no seio da comunidade luso-canadiana de Toronto, mas serve também pessoas de outras etnias.

"Como pai de duas crianças com necessidades especiais, a intimidante tarefa de tomar conta delas tornou-se ainda mais difícil à medida em que foram crescendo", disse Rob, antes de explicar que "depois de passarem da idade da escola secundária as ajudas desaparecem e são organizações como a LCCS que preenchem essa lacuna, oferecendo ajuda também a outras nacionalidades e culturas, o que é fantástico".

Segundo indicou, a LCCS foi apresentada à família por Luís Fortunato, que integra o comité organizador deste evento e que também envolveu nele a filha, Kayla.

Agora, esta família de origem italiana quer reconhecer e enaltecer o trabalho desenvolvido pela organização.

"[A LCCS] é como uma casa fora de casa, é como um porto seguro onde as crianças não só se sentem em segurança como podem continuar a progredir e a crescer", afirmou Anna, realçando que "sem isso, a maioria regrediria após passarmos tantos anos a esforçar-nos para que elas floresçam".

A Volta é uma das várias iniciativas que a organização realiza ao longo do ano e o seu sucesso ajuda a custear algumas das despesas inerentes ao funcionamento dos centros.

Como destacou Filipe Ferreira, outro elemento que integra o comité organizador – onde também a esposa e a filha, Isabel e Victoria, respectivamente, são voluntárias – "o objectivo é ajudar estas pessoas que, se não fosse a Luso, não tinham para onde ir durante o dia, nem os pais tinham descanso".

A participação na edição 2018 da Volta Luso, que se realiza no dia 23 de Setembro, com partida do Centro Cultural Português de Mississauga (CCPM), dá direito a pequeno-almoço e almoço, com os participantes que angariarem mais de 100 dólares a receberem também camisolas de ciclismo ou t-shirts, consoante o evento em que estiverem inscritos.

No regresso ao CCPM, que funcionará como a base de operações para este evento, haverá ainda entretenimento musical e proceder-se-á à entrega de prémios a alguns dos participantes.

Para Lena Barreto, que cita voluntárias como Kayla Fortunato e Victoria Ferreira como exemplos de jovem que não só ajudam com a organização como têm vindo a envidar esforços para angariar fundos nas próprias escolas, é fundamental uma participação total por parte da comunidade.

Embora já vários clubes e associações apoiem esta causa, a vice-presidente da LCCS gostaria de ver todas as colectividades luso-canadianas desta província envolvidas, dando o seu apoio e ajudando a divulgar o trabalho e as necessidades da organização junto de um público mais alargado.

Entretanto, os interessados em participar neste evento ou contribuir com donativos podem fazê-lo ou obter mais informações no portal electrónico da organização, em lusoccs.org.


Voltar a Sol Português