1ª PÁGINA


Concurso de Cantores 2018/19:

Jovens talentos testam capacidades no início de nova época

Por Jonathan Costa
Sol Português

Cerca de 30 jovens talentos compareceram no passado domingo (9) na Casa do Alentejo de Toronto para a primeira ronda de audições da edição deste ano do Concurso de Cantores com John Santos (SCJS, na sigla em inglês).

Com vários luso-canadianos inscritos, a 13.ª edição da popular competição regista mais uma vez um número impressionante de concorrentes, cerca de três centenas, tendo este sido o primeiro grupo a demonstrar os seus dotes artísticos perante o júri responsável pela fase inicial de selecção.

O trio de jurados foi composto por Lisa Santos, música e compositora e que, juntamente com o promotor do concurso, John Santos, constitui a outra metade do conhecido Duo Santos; a locutora e apresentadora do concurso, Marisa Oliveira; e a vencedora da edição 2013, Jheo Navarro.

Tal como em edições anteriores, o concurso premiará um vencedor em duas categorias: juvenis e adultos, sendo os principais prémios em jogo a gravação de um álbum de oito faixas com o produtor Tal Vaisman, bem como o vídeo para um dos temas desse disco.

Patrick Lopes foi um dos luso-canadianos que ali encontrámos durante a realização das provas e que aguardava ansiosamente para ser chamado a demonstrar a sua capacidade vocal.

"Fui finalista no ano passado e este ano volto com ainda mais ambição e experiência", indicou o jovem, que considera a participação neste concurso uma oportunidade "espectacular" para "poder vir fazer o que mais adoro na vida, que é cantar", além de poder também "obter conselhos e sugestões destes excelentes músicos e profissionais que têm uma enorme experiência".

Patrick revelou-nos algumas das suas técnicas de preparação para as ocasiões em que a pressão é maior: "Gosto de beber sumo de limão com mel, para hidratar a garganta, e antes de iniciar a audição arranjo sempre um canto da sala isolado, para cantarolar comigo mesmo e afinar aquelas notas mais difíceis".

Enquanto cada um dos concorrentes subia ao palco e se apresentava em frente do júri e debaixo das luzes fortes das câmaras e dos holofotes, os outros candidatos esperavam ansiosamente pela sua vez, sentados às mesas do restaurante da Casa do Alentejo com os seus familiares que tentavam de tudo para os acalmar e instituir-lhes a confiança necessária nestes momentos, enquanto escondiam o seu próprio nervosismo.

Foi ali que encontrámos Jenna Pimentel, outra concorrente de descendência lusa e que demonstrava a serenidade de quem já passou por este género de experiências.

Como nos confessou: "já participei em edições anteriores e este ano tenho o objectivo de chegar às finais", indicando que o concurso "é uma oportunidade muito especial para cada um de nós corrermos atrás do nosso sonho".

E ainda que os nervos estejam sempre presentes, "quando temos confiança nas nossas capacidades, na nossa voz e respiramos fundo, tudo fica mais fácil", concluiu.

Para além de proporcionar uma competição saudável entre jovens talentos, o concurso oferece-lhes também várias oportunidades para desenvolverem as suas aptidões e continuarem o seu processo de evolução.

Cada participante beneficia de uma avaliação técnica feita pelos profissionais que compõem o júri, elementos com vasta experiência no ramo da música e que oferecem críticas, conselhos e sugestões fundamentais para o início da carreira de qualquer cantor e músico.

Como realçou o director-executivo do concurso, John Santos: "Estes jovens têm oportunidade de trabalhar aqui com excelentes profissionais que os vão guiar no caminho certo para encontrarem o seu melhor som. Não só no canto, como na postura, no gerir da ansiedade, na forma de agarrarem o microfone, na respiração – em todos os diversos aspectos técnicos que contribuem para o melhor som e actuação de cada cantor".

Segundo John Santos, que ao longo da sua longa carreira musical trabalhou com nomes sonantes da música portuguesa e internacional, incluindo Amália Rodrigues, Quim Barreiros, Marco Paulo, Mike Sergeant, Burton Cummings e outros, "todos estes pormenores, que serão trabalhados ao longo deste processo, permitem a evolução de cada um destes jovens talentos".

Com a competição a entrar já no 13.º ano, John Santos deu-nos uma breve panorâmica da forma como tem vindo a crescer, recebendo actualmente candidaturas não só de Toronto como de outras localidades e até de outras províncias.

Como recorda, na altura "começámos focados na procura de talentos na comunidade portuguesa residente em Toronto e na Área da Grande Toronto", mas "fomos crescendo rapidamente e com o apoio das redes sociais e dos canais televisivos conseguimos agora acolher jovens talentos de todas as comunidades e culturas".

Para o músico luso-canadiano, que se afirma "imensamente orgulhoso ao ver tantos jovens aqui presentes a mostrarem todo o seu talento e a lutarem pelos seus sonhos", o maior conselho que tem para lhes dar é que percam o nervosismo e dêem asas às suas vozes, manifestando assim "o talento que carregam na alma".

Uma vez terminada a selecção dos concorrentes inscritos, o elenco que integrará a edição do concurso deste ano passará à fase de apuramento, que irá decorrer de 13 de Outubro a 13 de Fevereiro, concluindo a competição com uma grande final, em Abril.


Voltar a Sol Português