1ª PÁGINA


Dupla celebração na Casa das Beiras:

Rancho Académico de Viseu assinalou bodas de prata em noite de São Martinho

Por António Perinú e Fátima Martins
Sol Português

Em plena noite de São Martinho, 11 de Novembro, o ambiente de festa teve motivação dupla na sede da Casa das Beiras de Toronto onde o grupo folclórico da colectividade comemorou simultaneamente o seu 25.º aniversário.

Fundado em Fevereiro de 1992 no antigo Clube Académico de Viseu, hoje Casa das Beiras, o Rancho Académico de Viseu teve a sua primeira actuação em público a 14 de Novembro desse ano, constituindo-se desde então num cartão de visita e ex-libris da colectividade beirã apesar de preservar a sua designação inicial ligada às raízes viseenses.

Ao longo de um quarto de século tem vindo a registar actuações marcantes no Canadá e Estados Unidos da América, mas também além mar, onde se destacam duas notáveis digressões a Portugal e ao Brasil.

A primeira ocorreu em Agosto de 2007, com actuações repartidas pelas Beiras Alta, Baixa e Litoral – incluindo na famosa Feira de São Mateus, em Viseu – e a segunda em 2016, a convite da Casa de Viseu do Rio de Janeiro, no Brasil, no 50.º aniversário daquela colectividade.

Como nos confirmou Bernardino Nascimento, que preside à Casa das Beiras, o grupo é composto actualmente por meia centena de elementos, jovens e adultos, incluindo músicos, e para além destas deslocações além fronteiras tem prevista mais uma para breve, ainda em data a agendar, mas que o levará até terras de França.

Orgulhosos que estavam os beirões pelo sucesso do seu grupo e pelas bodas de prata, a verdade é que o serão ficou marcado também pela tradicional festa de São Martinho e, como tal, não faltariam castanhas para o magusto que se realizou no final das comemorações.

Coube a Bernardino Nascimento a apresentação do programa para essa noite que, logo após a sua saudação inicial e de um agradecimento aos patrocinadores do aniversário, prosseguiu com o serviço do jantar pelos voluntários, para os quais viria a pedir também uma salva de palmas.

Registou-se de seguida um espectáculo com o músico Flávio Santos, que levou à pista de dança muitos dos espectadores ali presentes, continuando depois a noite com folclore, numa exibição não só do rancho aniversariante, mas também do Rancho da Nazaré, que 25 anos antes havia apadrinhado os colegas viseenses.

Os nazarenos abriram com o tema "Toma lá dá cá" e depois de vários outros, sempre muito aplaudidos, finalizaram com a "Marcha da Nazaré".

Os aniversariantes, por seu turno, abriram com o tema "Fado beirão" e continuaram com "Indo eu a caminho de Viseu" e muitos outros que deliciaram o público, escutando-se durante a actuação fortes ovações até ao terminus, com a marcha de saída, em homenagem a Viseu.

No decorrer da actuação dos dois ranchos choveram elogios da parte dos responsáveis de ambos os lados, escutando-se palavras de simpatia, apreço, incentivo e parabéns, e no final o presidente do Rancho da Nazaré, José Mafra, assim como Bernardino Nascimento e Lúcio Oliveira, director do rancho Académico de Viseu, procederam a uma troca de placas.

Entretanto registou-se o corte do bolo que demarcava os 25 anos do grupo aniversariante, numa cerimónia efectuada por Bernardino Nascimento, Lúcio Oliveira e pelos ensaiadores Jennifer Machado e Scott Oliveira, dois jovens irmãos nascidos em Toronto e filhos de Lúcio Oliveira e Isaura Oliveira, elementos há muito ligados ao rancho.

Todos os membros do grupo foram convocados a receber uma lembrança e não faltou depois bolo e espumante para brindarem.

Embora o principal objectivo dessa noite fosse a comemoração do aniversário do rancho, o convívio continuou na temática das festas de São Martinho, não faltando castanhas "quentinhas e boas", servidas, não a estalar na brasa, mas no forno.

Apesar da tradição em dia de São Martinho mandar que se "vá à adega e prove o vinho", na verdade não era a prova do vinho novo que ali se celebrava mas a prova de que esta comemoração perdura e está enraizada também nas realizações desta colectividade beirã, que lhes dá continuidade.


Voltar a Sol Português