SAÚDE & BEM ESTAR


Covid-19: DGS diz que é difícil saber se Portugal já enfrenta segunda vaga

A Direcção-Geral da Saúde (DGS) disse segunda-feira que é "muito difícil" saber se Portugal está neste momento a enfrentar uma segunda vaga de Covid-19, apesar de ser notório o aumento do número de casos diários.

"Relativamente à segunda vaga, é notório que estamos a ter um aumento do número casos, sendo que em Portugal no intervalo entre os primeiros meses e agora nunca tivemos num patamar com praticamente ausência de casos. Tivemos sempre uma situação com casos todos os dias e todas as semanas", disse aos jornalistas a directora-geral da Saúde, na conferência de imprensa regular de actualização dos números da Covid-19 em Portugal.

Graça Freitas sustentou que "é muito difícil" responder se Portugal está ou não a enfrentar uma segunda vaga de Covid-19, uma vez que esta é a primeira vez que se está a lidar com o vírus.

"Não temos um histórico como é o seu comportamento ao longo do tempo. O que sabemos é que na curva epidémica estamos a apresentar uma subida que é notória e que se prevê que vá continuar. Se constitui ou não uma segunda vaga só daqui a uns dias, daqui a umas semanas, é que perceberemos se essa tendência se mantém e vai ficar", frisou a responsável.

Graça Freitas acrescentou que à medida que se vai "conhecendo o historial do vírus é mais fácil saber" se Portugal está "em vaga ou é só uma questão técnica mais complicada".

Portugal contabilizou segunda-feira mais quatro mortos relacionados com a Covid-19 e 613 novos casos de infecção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da pandemia, Portugal já registou 1.871 mortes e 64.596 casos de infecção.


Voltar a Saúde


Voltar a Sol Português