SUPLEMENTO DESPORTIVO


Sporting aproveita deslizes alheios e tem `via verde' para o título

O Sporting aproveitou domingo os empates de FC Porto e Benfica, ao vencer o Paços de Ferreira por 2-0, na 19.ª jornada da I Liga de futebol, e tem `via verde' para conquistar o título.

Na conversão de uma grande penalidade, aos 20 minutos, João Mário marcou o primeiro golo da equipa `verde e branca', que aumentou a vantagem a abrir a segunda parte, aos 48, por intermédio de João Palhinha.

A `almofada' pontual de 10 pontos para `dragões', 11 para Sporting de Braga e 13 para `encarnados' deixa o Sporting, que soma 51, cada vez mais perto de vencer o campeonato pela primeira vez desde 2001/02, embora nunca tenha sido assumida a candidatura ao título, enquanto o Paços de Ferreira mantém o quinto posto, com 35, a três do Benfica.

Gonçalo Inácio, Nuno Mendes, João Mário e Tiago Tomás foram as novidades no `onze' sportinguista, em detrimento de Luís Neto, Antunes, Matheus Nunes e Nuno Santos, ao passo que Pepa recuperou a titularidade de Maracás e Bruno Costa, para os lugares de Marcelo e Diaby.

O primeiro lance de perigo na partida teve lugar ao fim de 10 minutos, graças a uma jogada articulada por João Mário e Pedro Gonçalves, com o último a ir até à linha de fundo e a entregar a Paulinho, que, de calcanhar, atirou contra Jordi.

Numa entrada intensa e algo agressiva no jogo, como provam os cinco cartões amarelos (mais dois mostrados a elementos das duas equipas técnicas) nos primeiros 22 minutos de jogo, por vezes com um critério muito apertado do árbitro André Narciso, o Sporting chegaria ao tento inaugural através de uma grande penalidade, batida por João Mário.

O médio internacional português enganou Jordi e,
aos 20 minutos, converteu o penálti cometido pelo lateral-esquerdo pacense Pedro Rebocho, que derrubou Pedro Gonçalves no interior da área.

A partida acalmou depois do golo, até pelas muitas faltas assinaladas que quebravam o ritmo, e os `castores' apenas incomodaram a baliza de Adán aos 42 minutos, num `tiro' de Luther Singh com `selo' de golo, mas negado por uma defesa do espanhol com os joelhos, enquanto Coates, na outra baliza, provocou alguns calafrios e cabeceou por cima, após uma bola parada.

Se a primeira parte foi escassa em oportunidades de golo, a segunda seguiu pelo mesmo caminho, embora o início tenha prometido, com o segundo golo do Sporting, aos 48 minutos, a surgir através de um belo gesto técnico de João Palhinha, que beneficiou de um desvio de cabeça de Feddal para rematar `à gaveta' da baliza de Jordi, sem hipóteses de defesa.

Com a vantagem dilatada e o jogo aparentemente controlado, o Sporting deixou o Paços de Ferreira assumir as despesas do encontro, usando como `arma' a consistência defensiva e a enorme entrega dos jogadores, incansáveis na solidariedade entre eles e a disputarem todas as bolas com raça e atitude.

Pepa efectuou uma tripla alteração e viu a sua equipa chegar à área contrária logo de imediato, com Douglas Tanque a `encher' o pé, mas a atirar contra a malha lateral, seguido das tentativas do recém-entrado João Amaral, aos 74 minutos, e de João Pedro, aos 80, mas sem conseguirem que o Paços de Ferreira saísse de Alvalade a `zeros'.


Voltar a Golo


Voltar a Sol Português